Início » Brasil » Entenda por que a nova versão do Mais Médicos está atraindo brasileiros
Saúde

Entenda por que a nova versão do Mais Médicos está atraindo brasileiros

Este ano o Mais Médicos passou a incorporar o Provab, programa que leva profissionais brasileiros ao SUS em troca de bônus de 10% nos exames de ingresso na residência

Entenda por que a nova versão do Mais Médicos está atraindo brasileiros
Segundo o Ministério da Saúde, 76% das vagas oferecidas no novo edital do Mais Médicos foram preenchidas por brasileiros (Reprodução/Internet)

O eixo mais polêmico do Programa Mais Médicos — a “importação” de médicos cubanos para tapar buracos na rede pública de saúde —  pode estar com os dias contados. Segundo o Ministério da Saúde, médicos brasileiros já preencheram 76% das vagas ofertadas nas duas primeiras chamadas do edital de 2015, lançado em janeiro. A porcentagem é semelhante a de médicos cubanos que compõem o programa atualmente: 79%. Mas o que mudou para que os profissionais brasileiros, antes repelidos pelo programa, mordessem a isca?

Em janeiro, o Ministério da Saúde lançou uma nova versão do Mais Médicos incorporando o Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab). O Provab é uma espécie de percursor do Mais Médicos, voltado somente para profissionais com registro no país. Em 2012, o Provab começou a enviar médicos para regiões carentes em troca de uma bolsa de R$ 8 mil (valor que passou para R$10 mil em 2013 para equiparar-se ao Mais Médicos) e de uma pontuação adicional de 10% nos exames de ingresso na residência médica.

Provab engorda a lista de brasileiros no Mais Médicos

O Provab foi inserido sob o guarda-chuva do Mais Médicos este ano. Os médicos inscritos passaram a poder escolher entre os 10% na nota da residência ou os benefícios do Mais Médicos, como ajuda de custo e auxílio-moradia. A grande maioria pede  o bônus de 10%, de modo que, para os brasileiros, o programa tornou-se uma ponte para a residência, como era o Provab antes dele. Ao contrário do Mais Médicos, que exige contrato de 36 meses, o Provab prevê somente um ano de permanência nos locais.

Entidades médicas ouvidas pelo O&N criticaram o incentivo oferecido pelo governo. Cláudio Franzen, membro do Conselho Federal de Medicina (CFM), compara a estratégia ao sistema de cotas em universidades e defende que o ingresso na residência seja por mérito. “O governo vai colocar os piores médicos na residência. Essa bonificação é ruim para o estilo de meritocracia que devíamos estimular em todo o país. Além do mais, esses médicos não vão se fixar no interior. Vão pra lá ganhar os 10%, depois nunca mais voltam.”

Florentino Cardoso, presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), também acha que o governo está “jogando o mérito no lixo” ao oferecer bonificação aos candidatos à residência. “O curso da residência médica tem x vagas para um determinado programa. Os melhores entram. Com o Provab não vão entrar os dez melhores”, lamenta.

Balanço do novo programa

Em fevereiro de 2015, o Ministério da Saúde anunciou que 15.747 médicos brasileiros haviam se inscrito no primeiro edital com a nova versão do Mais Médicos. Destes, 2.706 já integravam o Provab e foram absorvidos pelo Mais Médicos. Outros 11.736 aderiram para conseguir a pontuação extra na nota da residência. O restante optou pelos benefícios do programa.

Algumas faculdades de medicina, entre elas USP, Unesp, SUS SP e Unicamp, vêm se recusando a reconhecer a bonificação de 10%  e brigam na Justiça contra a medida. No último dia 30, a USP conseguiu reverter uma liminar que beneficiava candidatos do Provab, e cancelou as matrículas dos aprovados pela pontuação.

O Mais Médicos foi criado em 2013 e tem atualmente 14.462 médicos em 3.785 municípios e 34 distritos sanitários especiais indígenas.  Destes, 11.429 são cubanos, 1.846 brasileiros e 1.187 de outros países.

2 Opiniões

  1. Pereira disse:

    O (des)governo só está fazendo besteira, perdeu as rédeas da razão, de vez. O país não está quebrado? Não estão demitindo estagiários e terceirizados por conta de contenção de despesas? Como vão dar bônus para médicos irem para o interior? Como ficam a excelência e a meritocracia? Estamos cada vez mais descrentes dessa (des)governança.

  2. helo disse:

    Pontos para a prova de residência através desse provab é um bypass que aprovará os menos preparados. Pena.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *