Início » Brasil » O ano pode ser novo, mas os políticos…
Grita Brasil

O ano pode ser novo, mas os políticos…

Me espanta a falta de ética dos políticos e a apatia do povo, que assiste a tudo sentado no sofá, tomando a sua cerveja gelada

O ano pode ser novo, mas os políticos…
A coluna Grita Brasil é publicada às quintas

Como escreveria Ancelmo Gois, ‘deve ser horrível viver num país, você sabe…’ E é mesmo. Se fosse mais simples pegava o primeiro táxi rumo ao aeroporto mais próximo. Destino: algum lugar, qualquer lugar, desde que seja fora da América Latina.

É inconcebível que ainda aceitemos notícias como a dos deputados de Pernambuco que interromperam suas férias para se darem um pequeno aumento de salário. “Quer saber? Acho que merecemos um aumento. Vamos convocar uma reunião extraordinária e nos conceder um aumento. Até porque qual o deputado estadual que pode sobreviver com um salário de R$ 20 mil? Impossível. Por isso, decretamos que a partir de agora nosso salário é de R$ 25 mil. Agora que não temos mais nada para fazer, vamos voltar às férias”.

Cadê as passeatas? Cadê o povo pedindo um basta de tanta safadeza?

É vergonhoso! É nojento!

Assim como é também vergonhoso e nojento que na falida capital Brasília tenha sido permitido que se fizesse uma reforma na residência oficial do hoje ex-governador Agnelo Queiroz (PT), onde se gastou “meros” R$ 2 milhões, sendo somente R$ 1,5 milhão na casa de hóspedes, e onde já existia uma licitação no valor de R$ 2,4 milhões para a compra de alimentos para a residência oficial. Entre os itens relacionados havia 21 toneladas de peixe, camarão, bacalhau, picanha e outras carnes, dando um consumo médio de 59 kilos por dia, sem incluir o frango, a linguiça, a carne de porco. Mas, para sorte nossa, o atual governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), já mandou suspender a licitação. Até porque recebeu o governo com um rombo de R$ 3,1 bilhões.

O que me espanta é a falta de critério dos políticos. Mesmo com o estado em frangalhos, existe um servidor público, no caso o governador, que pensa exatamente como a maioria dos políticos: pensa com a carteira, pensa como pode tirar o máximo de proveito do dinheiro que tem em mãos. Se por ventura sobrarem uns trocados, ele vê depois o que faz. Paga um fornecedor aqui, um salário acolá.

Sem falar que no Maranhão dos Sarney o rombo é de R$ 1,1 bilhão, uma bela herança deixada pela “querida e amada” Roseana Sarney, que está nos “Estates” passeando, usando e abusando da gorda aposentadoria que nós pagamos para ela.

E o povo assiste a tudo isso sentado no sofá, tomando a sua cerveja geladinha, sabendo que, se apesar disso tudo, o salário do Bolsa Família não atrasar, eles não cortarem o número de abençoados que o recebem, tá tudo muito bem. Se falta médico para atendê-los, tá tudo ‘de boa’, afinal quem nunca faltou ao trabalho uns dias na vida, né? O hospital está fechado? Qual o problema, né? Tem tantos outros hospitais fechados pelo Brasil. Não vai ser um aqui em Brasília que vai transformar isso numa COISA. Se o governo resolve usar a verba de escolas, limpeza pública etc,. para proporcionar uma festa de réveillon na Esplanada dos Ministérios, que mal há? Réveillon, afinal, é uma vez por ano. E repetimos, se não faltar a cerveja gelada e o Bolsa Família no final do mês, por eles tá tudo bem. E se tiver futebol no pacote, melhor ainda.

Joaquim Levy diz que esse aumento de impostos não deve doer muito

Joaquim Levy diz que esse aumento de impostos não deve doer muito

E enquanto isso…

Bravo! Bravíssimo para o governo que resolveu cortar R$ 9 bilhões em subsídios, o que fará certamente a nossa conta de luz subir duas vezes ainda em 2015!

É surreal isso. Só aqui. Eles não cortam Ministérios, não seguram aumento dos próprios salários, mas cortam onde a conta acaba sendo paga por nós.

Belo governo – quem mandou votar nela! – belo começo de ano. Fora que ainda vem aumento de impostos por aí, segundo já anunciou o novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Mas ele já disse que o governo não tem a intenção de fazer um “saco de maldades”. Ah, bom! Então a partir de agora, vou dormir tranquilo. Acho até que vou até abrir uma cerveja gelada para comemorar.

Aumentar mais o quê? E qual será a mágica para que o aumento da carga tributária tenha o menor impacto na atividade econômica? Será que Joaquim Levy, além de ministro, é mágico? Ou ilusionista?

Será que ainda ninguém do governo percebeu que se a população visse o que se paga de imposto por aqui ser revertido para nós mesmos, em melhorias nos serviços prestados, nos transportes públicos, mais hospitais, escolas, mais casas com luz e saneamento, seria tudo mais fácil de aceitar? Mas não, quanto mais se fala em aumentos de impostos a primeira coisa que vem na cabeça da grande maioria é : mais dinheiro para ser desviado e roubado por eles.

Esse é o nosso Brasil.

E como escreveria Ancelmo Gois, ‘deve ser horrível viver num país, você sabe…’

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. Não fume em ambientes fechados.

 

9 Opiniões

  1. Jose Milton DeQuevedo disse:

    Enquanto Tivermos vivendo sob este sistema Presidencialista, nesta Republiqueta Bananeira será sempre assim!
    Muda-se o Estrume mas as MOSCAS continuam as mesmas.

  2. olbe disse:

    Aqui no Rio as farmácias populares foram fechadas, os funcionários demitidos,as pessoas dependentes não conseguem fraldas descartáveis…tinham que começar cortando gastos justamente de que é dependente de fraldas? Se o Aécio tivesse ganho as eleições e fizesse o que o atual governo está fazendo com certeza o PT já estaria colocando fogo no brasil…

  3. olbe disse:

    É uma tristeza de ver como o povo ficou anestesiado..nada mais o escandaliza. No dia seguinte que o Fantástico mostrou médicos colocando Stend vencidos no coração de seus pacientes eu achei que todos iam prás ruas para reclamar dos criminosos vestidos de médicos pois nunca vi coisa tão barabara e sem um pouco de sentimento, vindo de médicos que ralam tanto pra entrar numa faculdade de medicina, prestam juramento, são pessoas que escolheram a profissão para salvar vidas e fazem disto comercio arriscando conscientemente a vida de seus pacientes…e o povo não reage??????? QUE PAÍS É ESTE??????

  4. mário rubens costa disse:

    Nós vivemos em uma república de 5ªcategoria.
    Com o povo e o govêrno que temos, nosso futuro
    é o mais negro imaginável.

  5. Joaquim Caldas disse:

    Os políticos do pós militar não mudam, faz séculos,30 anos de assalto e enganação aos eleitores,”Diretas Já”.O portão da organização criminosa chamada de democracia federal.Não vê quem e cego dos olhos e ouvidos arrancados,que o Brasil está sequestrado desde 86,com o assassinato de Tancredo Neves.Os bandidos revolucionários,orientados por Fidel Castro,venderam o Tancredo como o presidente para afastar os militares,conseguiram,e em seguida veio o golpe de Sarney,que ficou no poder até os dias atuais,controlando o crime organizado do governo federal,nas mão de dois outros bandidos: FHC e Lula.E o povo ainda não deu conta de que os militares estão anestesiados com altas doses de supostas torturas.O sequestro do Brasil,cujo resgate ´são as empresas de alta produção como a Petrobrás e o suor do povo.Um brinde à Cuba!

  6. Gutemberg disse:

    Parece que nos resta somente a saída pelo aeroporto internacional, e seguir o conselho de um dos maiores ídolos da América Latina, Simón Bolvar: “A melhor coisa que se pode fazer na América Latina é ir embora”.

  7. Ewerton Azevedo disse:

    Só digo uma coisa, desliga facebook e whatzapp desse povão durante uma semana que você vai ver o quebra quebra que não vai dar nesse país, enquanto tiver essas porcarias no ar o povo tá tudo alienado e se esquece o que realmente tem valor. Antes era a televisão hoje são essas redes sociais engolindo a massa no dia que der uma crise nisso e parar pense num estardalhaço nesse país que vai ocorrer.

  8. Joma Bastos disse:

    Um excelente texto para refletir sobre a política e os políticos do Brasil! Será que ainda existe alguma ética e moral?

  9. André Luiz D. Queiroz disse:

    Será que ninguém ainda do governo percebeu que se a população visse que o que se paga de imposto por aqui é revertido para nós mesmos, com melhorias nos serviços prestados, nos transportes públicos, com mais hospitais, escolas, com mais casas com luz e saneamento seria tudo mais fácil de aceitar?” — hummm, acho que dá melhorar um pouco, colocando a palavra ‘ainda’ antes de ‘ninguém’, e o modo/tempo verbal aqui também está mal empregado; melhor seria usar o modo subjuntivo: “Será que ainda ninguém do governo percebeu que se a população visse que o que se paga de imposto por aqui fosse revertido (…)” Fica melhor, né?

    Mais importante que a gramática do texto: quando será que a sociedade brasileira vai dar um basta!, ela mesma, ao tanto de carga tributária que suportamos? O governo cobrar muito imposto e proporcionar serviços públicos de qualidade, condicente como que se arrecada, é uma opção política da sociedade, como o fazem nos países escandinavos. Mas, cobrar muito imposto e não dar praticamente nada de volta, é parasitose!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *