Início » Opinião » Artigos » O começo do fim!
GRITA BRASIL

O começo do fim!

Este é o fim de uma era de muita roubalheira, falcatruas, desvios, descalabros, mentiras

O começo do fim!
A coluna Grita Brasil é publicada às quintas

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O julgamento de Dilma começa hoje, e, com ele se inicia o que se espera que seja o começo do fim. O fim de uma era de muita roubalheira, falcatruas, desvios, descalabros, mentiras. O que o PT fez ficará marcado na história do país. Ficará marcado na pele de quem sofreu ou vem sofrendo com toda essa arruaça causada por uma quadrilha extremamente articulada, mas que ainda não teve o seu chefe oficialmente declarado como tal. Mas tudo será questão de tempo.

Não que eu ache e acredite que num provável governo Temer, tudo ficará cor de rosa, a corrupção irá acabar, os desvios cessarão e sairemos do status de republiqueta para a de país de primeiro mundo. Me engana que (não) gosto. Nada disso. No fundo do nosso âmago sabemos que não existe país assim, perfeito. Sem corrupção. A diferença é no tamanho da corrupção. Lá fora a descoberta gera vergonha, aqui gera arrogância e negativa. E até em muitos casos deve gerar orgulho só que não revelam isso. Aqui a era PT resolveu que no caso deles deveria se  roubar bonito, e assim eles fizeram. Roubaram o bolo todo, o prato, a espátula e os guardanapos. Foram gulosos. Um bando de glutões. Perderam a mão. A medida. Era sempre quero mais e mais e mais.

E quando disse num provável governo Temer, estou levando em consideração a fama que nossos políticos têm de se venderem barato entre um acordo aqui e outro acolá, do tipo uma mão lava a outra, você me apoia agora nessa causa nobre que eu consigo que aquele projeto seja aprovado, aquele emprego naquele gabinete e por aí vai. Nossos políticos não são confiáveis. Os poucos que talvez sejam acabam sendo condenados por antecipação.

Esse julgamento vai ser um marco na história do nosso país. Para o bem ou para o mal.

Serão dias de tensão. De expectativa, de elucubrações, de apostas.

Eu só espero que se acontecer o afastamento da presidente Dilma que não baixemos a guarda, que não achemos que todos os nossos problemas acabaram. Não existe Organizações Tabajaras que de jeito. Nossos problemas PT x Dilma x Lula acabarão por agora. Mas em 2018 virão novas eleições e deveríamos estar vacinados e com a memória enxuta e em dia.

Seria até interessante fazer do dia final do julgamento quando se dará a sentença de vida ou morte da Dilma, um feriado mesmo que não oficial. Um dia “D” para ser lembrado por todos os próximos anos de nossas vidas e de nossos filhos e netos. A data deveria ser perpetuada. E marcada na nossa pele. Não podemos cair no esquecimento e fazer valer a frase de Severino Cavalcanti, ex-presidente da Câmara que renunciou para não ser cassado e que disse que o povo logo esquece de tudo e vota em todo mundo de novo.

Temos que em algum momento mostrar que Severino Cavalcanti e todos da sua laia estão redondamente enganados. Mas isso só pode ser dito nas urnas.

Promessas vis! Ou me engana que (não) gosto!

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse mais uma vez que a União não trabalha com um cenário de aumento de impostos em 2017.

Isso me acendeu todas as luzes. A vermelha, a amarela, a roxa.

Como assim?

Não que eu queira aumento de impostos. Mas fico pensando de onde vão tirar o dinheiro para mover e pagar a máquina?

Prometeram acabar com vários ministérios, acabar com cargos comissionados e na prática pouco se fez e o efeito foi nenhum.

O orçamento aponta um déficit primário de R$ 139 bilhões. Ou seja, estamos *&*@#$ e mal pagos ainda por cima.

E por falar nisso, servidores da área econômica ameaçam entrar em greve por melhores salários. Todos querem aumento. Eu além de um aumento quero um emprego.

Eu até entendo que se queira aumento salarial, mas é algo que está na contramão das coisas. Empresas do setor privado estão fazendo acordos até de diminuição de salários em troca da manutenção do emprego. Não é o momento de se  ter aumento salarial de servidores públicos. Mas isso deveria valer para todos. E não só beneficiar certas classes. Como o aumento no salário dos ministros do STF.

E por outro lado o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, diz que a hipótese do governo aumentar (ainda mais) impostos não deve ser descartada. Será que o ministro da Casa Civil conhece o ministro da Fazenda? Eles falam o mesmo idioma?

Sei que milagre não existe, mas o governo não está fazendo o dever de casa. O caminho mais fácil, mais plausível, mais evidente seria o de se cortar despesas no governo. Mas parece que quanto mais eles tentam cortar, mais despesas aparecem.

O governo está brincando de enxugar gelo. Ou está querendo se cobrir com um cobertor de solteiro em cama de casal. Parece que não prenderam nada. Sei que não é fácil cortar na própria pele, mas é necessário. Porque senão fica muito fácil aumentar imposto. Ou criar novos.

É uma conta que não consigo entender. Já temos uma das cargas tributárias mais altas do mundo e mesmo assim vivemos sempre devendo e querendo mais. Se ao menos víssemos o valor desses impostos voltando pra gente. Mas nem isso.

E é assim aqui na política. Um diz uma coisa, o outro faz outra e as coisas não casam. Não se tem coerência nas palavras. Mas já deveríamos estar calejados nisso. Mas não me contento em assistir a essa novela mexicana e não sofrer. Vou ver se promovo um encontro entre Padilha e Meirelles.

O negócio é o seguinte e é o que conversei com alguns passageiros que embarcaram no meu Uber: “Agora é a hora da verdade. É hora de esquecer-se das Olimpíadas que foram lindas, um sucesso tremendo. Mas a vida segue dura e penosa. Estamos num momento muito difícil econômico e politico. E agora que acabaram as Olimpíadas viramos abóbora de novo. Acabou o encanto. O país ficou cinza de novo.”

Salve as baleias. Não fume em ambientes fechados. Não jogue lixo no chão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. iOS disse:

    Não será o começo do fim, apenas entrará uma nova etapa, o governo Temer será tão corrupto quanto o da Dilma. Quando cassaram o sr. Collor, isso já deveria ter servido de lição para as quadrilhas no poder. Serviu??? Para quem não lembra, isso aconteceu em 1992, e a rigor , a única coisa que mudou foram as moscas. A renovação há de passar pelo judiciário, com novas leis que reintegrem a posse do poder público no dinheiro malvertido, digamos assim…Poderão continuar roubando, mas se forem flagrados, o dinheiro retorna a quem de direito.

  2. jorge disse:

    Doce ilusão, Infelizmente o pais já esta saindo da crise e a crise não foi tão funda a ponto de realmente mudar as estruturas de poder. Os grupos de poder viram o mundo do avesso mas não largam do osso enquanto conseguirem se segurar no poder.

  3. Markut disse:

    Diria que o país continua cinza, apesar desse lampejo das Olimpíadas, que nos deu uma breve pausa, neste desfiar de malfeitos, desta forte institucionalidade terceiro mundista.
    A baixaria do senado foi o mais recente espetáculo vexaminoso e não será o último.
    Vem mais por aí.

  4. Beraldo disse:

    O autor tá brincando!!

    Ou simplesmente acha melhor escrever o que pode agradar um certo público, de cabelos loiros e óculos escuros, que por enquanto está alinhado com o governo golpista.

    Pelo sub-título, não há motivo para ler a matéria.

    “Fim de uma era de roubalheira, desvios, falcatruas, descalabros, mentiras”?!?!?

    Seremos todos panacas?!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *