Início » Brasil » O ministro, o pibinho e a balança
Economia

O ministro, o pibinho e a balança

Se Guido Mantega fosse diretor financeiro de uma empresa privada, já teria sido substituído há muito tempo

O ministro, o pibinho e a balança
Revista Economist sugeriu que Dilma demitisse o ministro Guido Mantega (Reprodução/ABr)

O ministro Guido Mantega, da Fazenda, tem uma enorme dívida de gratidão com a revista Economist, leitura indispensável para quem milita em círculos financeiros públicos e privados. Há três meses, matéria nesse respeitado órgão de imprensa antecipava que o nosso Ministro da Fazenda seria defenestrado.

Dilma, que não aceita “ordem” nem sugestão de ninguém, resolveu desmentir o semanário londrino e o manteve à frente dos negócios fazendários do país.

Fosse ele diretor financeiro de uma empresa privada, com os resultados modestos que o Brasil vem realizando, com seus “pibinhos”, Mantega já teria sido substituído há muito tempo. Mas o país pode esperar. Afinal, não somos súditos da Rainha?

E, se acham que vão influenciar “nossas” (dela) decisões, estão muito enganados! Não aceitamos palpites de terceiros. Sabemos errar sozinhos.

Ou sozinha.

Fontes:
Instituto Liberal - O Ministro, o Pibinho e a Balança

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

10 Opiniões

  1. André Luiz Duarte de Queiroz disse:

    Independente de quão competente (ou não) seja Guido Mantega para o cargo de Ministro da Fazenda, quanto dos resultados pífios de sua gestão são de sua exclusiva responsabilidade? Ele tem por acaso ‘carta branca’ para a tomada de decisões? O governo atual, assim como o anterior, tem um grande ranço de ‘ideologia’ na tomada de decisões das políticas financeiras — talvez, até mais que anterior, que cedeu ao pragmatismo quando lhe conveio… Certamente o grau de independência que Mantega tenha gerir a pasta seja muito pouco. E aí, dá-se o mesmo do que acontece com Petrobras e outras tantas empresas estatais: as ingerências externas acabam por afetar a boa gestão e prejudicar os resultados.

  2. Sobibor disse:

    Se o serviço público competisse com o privado já teria falido faz muito tempo!
    E viva o cargo de confiança!

  3. carlos a a gameiro disse:

    Como o André Luiz comentou, o Mantega não tem esta bola toda. O Brasil foi extremamente beneficiado com o crescimento da China e, em êxtase e sem visão ou sem seriedade. Com dinheiro sobrando, aumentou os gastos do governo, deixou-se de investir em infra-estrutura, em educação e fomento à indústria local.

  4. Áureo Ramos de Souza disse:

    Se temos um pibinho temos também um ministrinho Guido Mantega se derreteu, ele não tem capacidade e não é possível que a presidente Dilma não esta vendo isso, só nós sofridos brasileiros, podemos ser bestas, idiota mais burro não.

  5. renato vasconcellos disse:

    Para acertar é só ir na direção contrária das afirmações do ministro

  6. Rene Luiz Hirschmann disse:

    Quando ouço na mídia as propagandas governamentais fico rindo, é muito cômico ver o Sr. GARIBANDI ALVES, EDSON LOBÃO, MICHAEL TEMER, SARNEY etc., vi recentemente em frente a frente na TV Aparecida o Sr. Garibaldi, o cara nem falar mais conseguia, com que dinamismo esse senhor fara alguma coisa pelos aposentados, esse senhor deveria estar cuidando da sua vida, não tem vitalidade para mais nada, pelo amor ao Brasil, saia desse ministério.

  7. celso disse:

    Se o crescimento do PIB é o balizador para avaliação do Ministro Guido Mantega, então poderemos dizer que ele na realidade é o mais eficiente ministro da Sexta República(média de crescimento do PIB 4,9%, somente atrás do Antonio Palocci Filho(média de crescimento do PIB 3,5%). Então creio que a Pres.Dilma não está tão errada assim.
    ministro período Presidente Tempo
    Francisco O. N. Dorneles 15.03.1985 à 26.08.1985 José Sarney 5 meses Dilson D. Funaro 26.08.1985 à 29.04.1987 José Sarney 1 ano e 8 meses
    Luiz C. Bresser G. Pereira 29.04.1987 à 21.12.1987 José Sarney 8 meses
    Maílson F. da Nóbrega (interino) 13.05.1987 à 06.01.1988 José Sarney 7 meses
    Maílson F. da Nóbrega 06.01.1988 à 15.03.1990 José Sarney 1 ano e 2 meses
    Zélia M. C. de Mello 15.03.1990 à 10.05.1991 F. Collor 1ano e 2 meses
    Marcílio M. Moreira 10.05.1991 à 02.10.1992 F. Collor 1ano e 5 meses
    Gustavo K. G. Sobrinho 02.10.1992 à 16.12.1992 Itamar Franco 2 meses
    Paulo R. Haddad 16.12.1992 à 01.03.1993 Itamar Franco 3 meses
    Eliseu Resende 01.03.1993 à 19.05.1993 Itamar Franco 2 meses
    Fernando H. Cardoso 19.05.1993 à 30.03.1994 Itamar Franco 10 meses
    Rubens Ricupero 30.03.1994 à 06.09.1994 Itamar Franco 5 meses
    Ciro Ferreira Gomes 06.09.1994 à 01.01.1995 Itamar Franco 4 meses
    Pedro Sampaio Malan 01.01.1995 à 01.01.2003 Fernando H.Cardoso 7 anos
    Antonio Palocci Filho 01.01.2003 à 27.03.200 L. I. Lula da Silva 3anos e 2 meses
    Guido Mantega 27.03.2006 à 31.12.2010 L. I. Lula da Silva 4anos e 9 meses
    Guido Mantega 01.01.2011 Dilma Rousseff
    Algo curioso é o tempo de ministério dos ministros. Grandes nomes não ficaram muito tempo. Parece que são todos incompetentes.
    Fonte: pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_ministros_da_Fazenda_do_Brasil

  8. Hivitality disse:

    Caro Celso, pau mandado da esquerda com um caminhão de estatísticas estapafúrdias, busque uma função menos desastrosa na vida, não perca seu tempo defendendo gente que já prova há mais de 10 anos que além de incompetente é mal intencionada.

    O silencio vale ouro, guarde o seu, o país está caminhando lentamente para uma estagflação, e a coisa ainda vai ficar BEM mais feia.

  9. Ciro disse:

    Esse sujeito só está no cargo por um misto de estupidez da dilmanta – que é duplamente estúpida: intelectual e ideologicamente – e interesse dos petralhas em fazer ressurgir o mula como salvador da pátria!

  10. celso disse:

    Prezado Hivitality,
    Não sou de esquerda, nem PT, sou somente um brasileiro que espera que esta nação e seu povo ocupe o lugar adequado para o seu potencial. E de forma otimista ainda acredito que vá ocorrer, com ou sem esquerda ou direita.
    Quanto a caminhão de estatisticas, não são minhas, o Sr.Arthur Chagas Diniz é que avaliou o ministro usando o “pibinho” somente de 2012. As estatísticas também mostram, por exemplo, que o maior crescimento do PIB foi na época do Ex.Presidente Itamar Franco, portanto nem FHC nem Lula foram melhores.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *