Início » Brasil » O ouro indígena
Coluna Esplanada

O ouro indígena

Para congressistas, dinheiro salvaria muitas tribos da dizimação

O ouro indígena
Projeto tem grandes chance de ser aprovado no início de 2014 (Reprodução/Internet)

A despeito do impasse entre ruralistas e indígenas sobre demarcação de terras, um projeto paralelo causa rebuliço entre os nativos. Há chance de ser aprovado no início de 2014 o PL 1610/96, do senador Romero Jucá (PMDB-RR), que avança em comissão especial na Câmara. Ele permite e regulamenta, via licitação, a extração mineral em reservas indígenas. ‘Paga royalties às aldeias e cria um fundo’ para aplicação dos recursos, conta Jucá. Não há mais tanta resistência da Funai, tampouco dos nativos, e o dinheiro salvaria muitas tribos da dizimação, avaliam congressistas.

Projeto piloto

A ideia, segundo o senador, é ‘pegar duas comunidades (indígenas) para implantar um plano piloto’, avaliar erros e acertos, para que outras reservas sigam.

Mapa da mina

Dados oficiais apontam que nos oito países da região amazônica, existem minérios em 407.320 km² dentro de reservas indígenas.

Leandro Mazzini é escritor e jornalista

Paraí$o

Em Cacoal (RO), na reserva dos Paiter Suruí, o Departamento Nacional de Produção Mineral já mapeou ouro, estanho, diamante, níquel, granito, manganês e terras raras.

Rota da facção

A operação que enquadrou 175 da facção criminosa em São Paulo é apenas a ponta do iceberg – ou a moita do matagal. Estão prestes a ser reveladas por autoridades estrangeiras os laços dessa facção com a produção e remessa de cocaína da Bolívia para o Brasil. Centenas de brasileiros ligados à rede criminosa já moram no país vizinho.

AeroCoca

Cerca de 30% da população boliviana já vive direta ou indiretamente do negócio de drogas, sabe o governo hermano. Aliás, semana passada, três aviões pequenos caíram lotados de droga na fronteira. Não foram abatidos. Foi o excesso de peso.

Sírios-libaneses

Da Esplanada na Revista Voto, nas bancas: O chanceler Luiz Alberto Figueiredo acompanha com atenção a situação da Síria. Diz que ‘não há como não se envolver’ na questão. O Brasil possui hoje 15 milhões de sírio-libaneses e descendentes.

Dois deles

Em encontro com deputados, Figueiredo ainda citou dois importantes: O vice-presidente Michel Temer, e o presidente da Fiesp, Paulo Skaff.

Benfeitoria$

Em tempo, um projeto do senador Jucá regulamenta o que é de interesse da União na desapropriação de terras para reservas indígenas.

Presentão histórico..

Na restauração do Palácio Los Lopes, feita pelo presidente Federico Franco, foram descoberta em pilastra ao lado do gabinete presidencial pichações de soldados brasileiros quando da Guerra do Paraguai: ‘Cap Casto e João Pedro’.

.. e saia justa

Federico Franco, considerado pelo Planalto golpista contra o antecessor Fernando Lugo, mandou preservar as inscrições históricas e deixou-as à mostra para as vistas do séquito da presidente Dilma, durante a posse de Horácio Cartes.

Epa, epa!

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) pediu (Req. 244) à Comissão de Viação e Transportes e ao TCU a suspensão de três itens do edital de licitação dos aeroportos de Confis e Galeão, que tira do Congresso poder de fiscalizar obras.

Confusão

O recém-criado PEN51 passa por turbulências internas. Representantes afastados dos diretórios de Sergipe, Minas Gerais, Paraná e Mato Grosso do Sul protocolaram denúncia no MP Federal e se dizem ‘golpeados’ pelo presidente Adilson Barroso.

Vaticano & Padre Cícero

Vaticano analisa pedido do líder do PT, José Guimarães (CE), via Igreja, de reconhecimento do Padre Cícero, outrora excomungado. Guimarães insistiu e foi recebido pelo Papa Francisco no Rio.

Memorial da fuga

O senador Roger Molina desabafa que seria morto fora da Embaixada em La Paz. Na noite de sua fuga, 36 morreram vítimas do narcotráfico por cidade em que passou.

Ponto Final

A coisa anda feia – de caráter. Mais de 2 mil prefeitos e vereadores receberam o Bolsa Família nos últimos anos.

________________________________________

Com Equipe DF e SP

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. newton pereira da silva mathias disse:

    BOA TARDE EU GOSTARIA DE COMENTAR ESTE ABI SURDO Para congressistas, dinheiro salvaria muitas tribos da dizimação,alguém conhece algum hospital de renome nos estados unidos que tenha sido construído com as riquesa dos Apache, mais quando os cara pálido que ferra alguém isso ninguém empata, rapaz porque não pega logo este indios traga para são paulo e faz uma grande fogueira gente a cabe logo com isso pois esse pais so tem lugar para mensaleiro governador ladrão deputado que mantido pelo o crime organizado vamos acaba logo com isso afinal de conta é só indio, da nojo não dar para continuar

  2. Áureo Ramos de Souza disse:

    Quando o Brasil foi descoberto os índios aqui já se encontravam, portanto se em suas reservas existe ouro, estanho, diamante e outras preciosidades são deles, agora vem o Sr. Romero Jucá querer dá uma parte do que pertence aos índios e chamam de royalties, porque não dizem em português um percentual ou melhor uma merreca ao pobres indígenas. Se lembra daquela loura estrangeira que dizia: brasileiros é tão bonzinho!.

  3. Roberto1776 disse:

    A funai não precisa incorrer em um erro já perpetrado pelo norte americanos. Por que tratar exemplares de homo sapiens que vivem na idade do neolítico (ou anterior) como se fossem cidadãos do século atual e enchê-los de dinheiro sem que façam nada, como verdadeiros marajás?
    O que esses silvícolas precisam é ser tirados de 12.000 anos atrás.
    Mantê-los em zoológicos gigantescos às custas do nosso dinheiro é que não é mais possível.
    E ninguém precisa ser forçado a vir para o século 21, mas eles precisam ter a oportunidade de vir para a atualidade e passar a ganhar a vida como nós outros.
    No princípio será difícil, como foi para os negros, mas hoje eles tem até a presidência dos EUA.
    Não podemos mais fazer o que a funai faz e mantê-los definitivamente acorrentados na idade da pedra. Esse não é o destino do homem (a não ser que a funai não os reconheça como exemplares do homo sapiens sapiens).

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *