Início » Opinião » Artigos » O Pixuleco e o ministro!
Grita Brasil

O Pixuleco e o ministro!

O ministro falou de democracia, ok, de respeito, ok, e honra. E aí quando ele mais deveria ter se calado, ele resolveu falar um pouco mais

O Pixuleco e o ministro!
A coluna Grita Brasil é publicada às quintas
pixuleco

Pixuleco em ação na Avenida Paulista

No último domingo, 30, o “desavisado” ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, caminhava em plena Avenida Paulista com um amigo, Marco Aurélio de Carvalho, por acaso coordenador jurídico do PT, e, que por acaso estava vestido de camiseta vermelha (tinha mesmo que ser vermelha?), quando foi abordado por um grupo de manifestantes. O protesto era contra o governo Dilma e o ex-presidente Lula com a presença de Pixuleco, o boneco inflável do Lula vestido de presidiário (adoro!) o que fez com que o ministro abrisse a boca e dissesse o que não deveria ter dito.

O ministro falou de democracia, ok, de respeito, ok, e honra. E aí quando ele mais deveria ter se calado, ele resolveu falar um pouco mais.

E foi nessa hora que “meu mundo caiu”. O ministro se disse contrário ao Pixuleco. Queria “matá-lo”, pois em sua opinião, ele fere a honra de uma pessoa, no caso, Lula. Como assim? Matar Pixuleco seria uma forma de matar a democracia, a livre escolha de se manifestar, de protestar. Pixuleco nada mais é do que uma charge em 3D. “Je suis, Pixuleco”. Não vejo como o ministro, José Cardozo, tem coragem em falar de honra. Que honra? E logo de quem, de Lula!

Será que o ministro não acha que é preciso um pouco mais para se desonrar uma pessoa? E para seu governo, ministro, nessa questão o governo tem doutorado nisso.

Ou vai me dizer que, por exemplo, um trabalhador que precisa dar entrada no seu seguro desemprego, é obrigado a chegar um dia, passar a noite e a madrugada na fila para conseguir receber o benefício que está garantido em lei. E de lei você deve entender, ou pelo menos deveria. Não sei se essa situação acontece em outros estados, mas aqui no Rio, está assim. E isso é em minha opinião muito mais grave do que um boneco inflável. Isso é desonrar uma pessoa. É humilhar. Posso continuar se você quiser, ministro! Fazer com que uma pessoa enfrente uma fila de espera de anos para conseguir realizar uma cirurgia que iria dar uma qualidade de vida melhor não é tripudiar da honra desse cidadão? Então, não me venha falar de honra ferida que acho que ganhamos a batalha.

Ministro, está mais do que na hora do governo começar a honrar seu povo da melhor maneira possível.

“Je suis economistas”

dilma eco

Meu Deus, tudo isso de rombo? Lascou-se

Dilma, se você perguntar para “qualquer” pessoa, excluindo-se, as da sua equipe econômica, as que babam o seu ovo e as que defendem o seu governo até no inferno, não é preciso nem faculdade de economia feita online para saber que a solução para que vocês do governo tenham capacidade de pagar suas despesas é tão simples que vocês acabam nem enxergando.

Dilma, eu aprendi que quando eu ganho R$ 100,00 eu não posso gastar R$ 101,00. Eu tenho que gastar ou R$ 100,00 ou menos. O que eu faço? Diminuo meus gastos. Vê se você enxerga isso. Em vez de ter um ponto da NET em cada uma das oito suítes da minha casa, eu vou ter em sete, em seis, ou até mesmo posso concentrar um único ponto o que vai servir até para fazer com que as pessoas se encontrem. Se eu vou ao Restaurante Fasano jantar toda sexta-feira, eu posso passar a fazê-lo em duas sextas-feiras. Se eu como filet mignon eu posso passar a comer alcatra. Posso cortar a carne e comer frango. Se eu bebo todo dia uma taça do vinho Romanée-Conti, eu posso muito bem trocar por um Sangue de Boi. Deu para entender?

Então Dilma, é simples. Corte despesas. Corte ministérios, corte cargos comissionados, corte reformas no Palácio, troca de frota de carros, diminua o limite do cartão corporativo do seu governo. Corte. Seja a Dilma mãos de tesoura.

Mas uma coisa eu tenho que tirar o chapéu pra você. Talvez só dessa vez. Ainda bem que você desistiu da ideia descabida de ressuscitar a CPMF. Não ia prestar isso. Mesmo você dizendo que iria dividir o “roubo” com os estados, isso não ia acabar bem.

Aprenda que nós não podemos ser sempre penalizados pela sua incompetência. Da sua equipe. Do seu governo. Já estamos pagando a conta da luz. A conta da recessão que você nos colocou está sendo paga com o aumento de demissões, de negócios fechando, do desespero que se instalou no país. Em outras palavras, somos nós que continuamos a pagar. Não vejo vocês fazendo sacrifícios.

Se é como você mesma disse hora de nos darmos as mãos, é preciso que o sacrifício seja uma via de mão dupla. Assim como tudo na vida né?

Somente elevar impostos vai deixar a população mais furiosa e não vai evitar o rombo, pois parece que quanto mais se eleva os impostos, mais despesas vocês conseguem gerar, e aí nem milagre para dar jeito. É uma conta simples de matemática. Mas parece que vocês preferem passar pela química, biologia e a física antes de resolver a equação onde P + T = falência governamental.

Salve as baleias. Não fume em ambientes fechados. Não jogue lixo no chão.

 

 

 

2 Opiniões

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Discordo, trocar Romanée-Conti por Sangue-de-boi não é possível – faz mal à saude, melhor beber cerveja.

  2. Beraldo Dabés Filho disse:

    Direito de expressão: O autor deste artigo, como pretenso analista político é um pixuleco. Quanto à sua honradez, somente com a quebra do seu “sigilo de honradez”, que seria mais ou menos como conhecer sua vida pregressa. Com seu RG e com o seu CPF, talvez… deixa pra lá.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *