Início » Brasil » O rasante do ministro da Agricultura
Coluna Esplanada

O rasante do ministro da Agricultura

Primeiro compromisso fora de Brasília do ministro da Agricultura, Antonio Andrade, foi uma reunião do PMDB para tratar das eleições de 2014

O rasante do ministro da Agricultura
Acompanhado de sua comitiva, Andrade chegou e saiu de Muriaé em avião particular (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Dias depois da posse no Planalto, o primeiro compromisso fora de Brasília do ministro da Agricultura, Antonio Andrade (PMDB), foi uma reunião do PMDB para tratar das eleições de 2014. O encontro foi em Muriaé, na Zona da Mata de Minas. O ministro chegou e saiu de avião particular, um King Air A350. Na comitiva, apareceu o deputado João Magalhães (PMDB-MG), novo presidente da Comissão de Finanças da Câmara, recém-denunciado ao STF alvo do MP e da PF, por suspeita de desvio de emendas.

Tripulação

O avião, para nove passageiros, foi lotado. Andrade levou também o seu sucessor no comando do PMDB de Minas, deputado Saraiva Felipe (ex-ministro da Saúde).

Tô brabo

Escanteado na negociação do ministério, o deputado Leonardo Quintão anda chateado. Foi ele quem abriu mão de se lançar à Prefeitura de BH, com bom potencial de votos.

Na mira dela

Há quem aposte que a investida pessoal da presidente Dilma contra José Maria Marin, presidente CBF, é por causa da ligação dele com militares durante a ditadura.

Leandro Mazzini é escritor e jornalista

Arremeteu

O ministro Moreira Franco (Aviação Civil) ligou para deputados e pediu para a Câmara segurar a votação do novo Código Aeronáutico Brasileiro. Quer conhecer melhor o assunto. Há pressão dos aeronautas contra a proposta de contratação de pilotos de outros países. Ponto consensual: abrir até 49% do capital das aéreas para estrangeiras.

Rodovia verde-total

Com apenas 9km, a rodovia Paraty-Cunha pode ser a mais ecológica do mundo. Após anos de imbróglio, o governo do Rio assina acordo com a Eletrobrás e ICMBio para pavimentação da rodovia, que dá vazão em eventual acidente nuclear em Angra.

Voa, morcego!

É que por determinação do ICMBio, o estado pagará seis empresas especialistas em meio ambiente para acompanhar as obras apenas de pavimentação. Até extinção de morcego entrou na lista dos ambientalistas.

From England

A Embratur pode comemorar a ofensiva em campanhas publicitárias durante os Jogos de Londres. É grande o número de britânicos no Rio este mês. E em baixa temporada.

UPP no cardápio

Autorizado por Sérgio Cabral, o secretário de Segurança do Rio, José Beltrame, fez palestra no Recife há dias. E teve longo almoço com o governador Eduardo Campos.

Prognóstico

Veja o que disse o ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão, em entrevista à Revista Plataforma Política Social: Há uma ‘crescente percepção de que o processo de ascensão social está centrado no acesso ao carro, à casa própria e ao plano de saúde’.

Ferida aberta

Temporão teme padronização de conceito: ‘que o acesso à saúde deve ser resultado do processo de inserção dos cidadãos no mercado formal de trabalho’. Assim o SUS, tão elogiado por Lula como o melhor do mundo, dança feio. Ou sustentará os ‘Planos’.

Arco-novela

O Arco Rodoviário do Rio, lembram dele?, que ficaria pronto em 2011, teve previsão de conclusão para Dezembro de 2013 e agora já se fala no ano que vem. O secretário de Obras, Hudson Braga, diz que as chuvas atrapalhem o cronograma.

História subterrânea

Braga explica que respeitou também a História. Só no trecho 2, entre Caxias e Nova Iguaçu, foram encontrados 60 sítios arqueológicos. Há outras seis dezenas de processos de desocupação na Justiça, andando a seu tempo, mas todos em acordo com moradores.

Amigão

Eduardo Campos, agora que concedeu à Odebrecht (Foz do Brasil) o saneamento do grande Recife, pede a retirada do PIS e COFINS para companhias de saneamento.

Pula o 40!

Em uma roda tucana, conta-se que o Planalto lançaria o 41º ministério pulando o 40, porque é o número de réus no Mensalão quando o STF abriu o processo.


Ponto Final

E o ministro da Agricultura vai irrigando a lavoura do PMDB com o avião dos outros..

 

______________________________

Com Marcos Seabra, Maurício Nogueira e Adelina Vasconcelos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *