Início » Brasil » O respeito das mulheres do Supremo
COLUNA ESPLANADA

O respeito das mulheres do Supremo

Cármen Lúcia e Rosa Weber dizem serem injustas as acusações de machismo contra o ministro Ives Gandra Filho

O respeito das mulheres do Supremo
O nome do ministro agrada a ambas e a muitos colegas do Supremo (Foto: Portal STF)

Não é apenas a ex-ministra Eliana Calmon que diz serem injustas as acusações de misoginia lançadas contra o ministro Ives Gandra Filho. A presidente do STF, Cármen Lúcia, e a ministra Rosa Weber já comentaram reservadamente que Ives, além de probo e íntegro, sempre as tratou com muito respeito, até mais do que muitos colegas que declaram comungar apenas de ideias avançadas. Rosa foi colega do Ives no Tribunal Superior do Trabalho e não tem qualquer má lembrança dele, mesmo discordando de parte de suas posições jurídicas.

Trânsito

O nome do ministro agrada a ambas e a muitos colegas do Supremo, a começar pelo ministro Gilmar Mendes.

Duas lutas

O Brasil teria um déficit de 180 mil agentes penitenciários, segundo os sindicatos da categoria, que são claro, contra a privatização dos presídios e a favor de concursos públicos.

Conversa

A diplomacia brasileira divulgou que o melhor caminho para resolver conflitos é o diálogo, ao analisar o muro no México. Não é bem o que pensa o presidente Donald Trump.

Linha de fogo

Governo Temer adotou a tática de divulgar nomes cotados para cargos públicos. O balão de ensaio só prejudica o nome de quem entra na roda. A última vítima foi Ives Gandra Filho, cotado para o Supremo. O laboratório palaciano vai trabalhar a todo vapor com a suposta reforma ministerial prevista para meados de abril. Apenas Antônio Imbassahy (PSDB-BA) deve ser nomeado, aliás, outra vítima dos ensaios do Planalto.

Pompas

Rodrigo Maia (Dem-RJ) deverá lançar seu nome à reeleição da Câmara entre segunda e terça-feira, prazo final para registro da candidatura.

Palmas

Deputado Márcio Marinho (BA) festeja o acordo do PRB com a candidatura de Rodrigo Maia. Líder da bancada fechou acordo para que os 22 colegas tenham espaço nas comissões.

Todos juntos

PHS formalizou apoio a Rodrigo Maia. O “blocão” das eleições se fecha com 17 partidos, dos 25 com assento no plenário da Câmara.

Último ato

Nos bastidores, o deputado Rogério Rosso (PSD-DF) atribuiu ao novo líder do partido, Marcos Montes (MG), o “tiro de misericórdia” em sua candidatura.

Agrado

Vencido pela realidade, Rosso se converteu ao fisiologismo. Consta que para acalmar o espírito, recebeu promessa de cargos em ministérios, especialmente na Saúde.

Falta base

Apesar do número significativo, os sindicatos são instituições fragilizadas, aponta André Gambier Campos, que escreveu o livro “Sindicatos no Brasil”. São 5,2 mil patronais e 11,2 mil de empregados. O detalhe, segundo o pesquisador do Ipea, é que a maioria não tem condições de discutir a regulação do trabalho, cujo tema entra na pauta do Congresso Nacional.

Diversidade

Maioria dos sindicatos foi criado na área urbana e se dedica a trabalhadores privados. O Sudeste reúne 33,1% do total de sindicatos. O Nordeste 27% e a região Sul 23,8%. Mas surpresa: a maior taxa de adesão é entre os trabalhadores rurais (22,7%). Entre os urbanos, a maior participação é dos servidores públicos (36,8%). 

Bandeira no pescoço

O suplente de deputado Robson Almeida (PT-BA) veio à caráter ser empossado como titular na vaga de Fernando Torres (PSD-BA). A gravata vermelha se destacava em meio a seus cabelos grisalhos.

Ponto Final

“Precisa dar piti?”, do candidato à presidência da Câmara,  Jovair Arantes (PTB-GO), quando Marcelo Calero saiu do Ministério da Cultura.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    Sobre TRUMP: vários alunos muçulmanos inscritos em renomadas escolas de terrorismo no Afeganistão e cercanias foram impedidos de regressar aos EUA no primeiro dia de vigência de seu decreto. Parabéns TRUMP. Chega de correção política marxista. O problema agora são os juízes americanos pró-terrorismo que não gostaram da medida.

  2. Natanael Ferraz disse:

    Machismo é uma coisa inventada pelas mulheres, misoginia também: nunca conheci um HOMEM que detestasse MULHERES. Alguns desvios e uma suposta inferioridade social podem ser explicados de diversas outras maneiras.
    E o Brasil já foi governado por uma rainha (Dona Maria), uma imperatriz (Dona Leopoldina), uma princesa regente (Isabel) e uma presidentA (é, essa mesma). Onde está o machismo?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *