Início » Brasil » ‘O tempo está correndo contra a democracia’, diz Lula em artigo no ‘NYT’
ARTIGO NO 'NEW YORK TIMES'

‘O tempo está correndo contra a democracia’, diz Lula em artigo no ‘NYT’

Em artigo publicado nesta terça-feira, 14, no 'New York Times', ex-presidente Lula diz que Brasil vive um golpe da direita e pede para ser derrotado nas urnas

‘O tempo está correndo contra a democracia’, diz Lula em artigo no ‘NYT’
'Se querem me derrotar, que façam isso nas urnas’, escreveu Lula (Foto: EBC)

O ex-presidente Lula publicou nesta terça-feira, 14, um artigo no jornal New York Times alertando para o que chamou de golpe da direita no Brasil. Intitulado “Há um golpe da direita em curso no Brasil. Mas a justiça prevalecerá”, o artigo inicia narrando os anos de governo do PT no Brasil.

“Dezesseis anos atrás, o Brasil estava em crise; seu futuro era incerto. […] Menos de duas décadas após o fim da ditadura, algumas feridas daquele período continuavam abertas. O Partido dos Trabalhadores ofereceu uma esperança, uma alternativa que pudesse transformar esse cenário. Por este motivo, acima de tudo, eu acredito, nós triunfamos nas urnas em 2002. […] Nos anos que se seguiram, os governos do Partido dos Trabalhadores, que eu liderei, reduziram a pobreza pela metade em apenas oito anos”, escreveu Lula, ressaltando que seu partido “provou que combater a pobreza é uma boa política econômica”.

O ex-presidente, então, narra o fim da era petista, consolidada com o impeachment de Dilma Rousseff. “Então, este progresso foi interrompido. Não através das urnas, embora o Brasil tenha eleições livres e justas. Em vez disso, a presidente Dilma Rousseff sofreu impeachment e foi destituída do cargo por uma ação que até mesmo seus oponentes admitiram não ser uma ofensa imputável. Então, eu também fui mandado para a prisão, depois de um julgamento duvidoso sobre acusações de corrupção e lavagem de dinheiro”, diz o artigo.

Lula afirma que tanto o impeachment de Dilma quanto sua prisão são manobras de um golpe orquestrado por forças de direita, que visam implementar sua agenda. “Minha prisão foi a última fase de um golpe em câmera lenta destinado a marginalizar permanentemente as forças progressistas no Brasil. Pretende-se impedir que o Partido dos Trabalhadores seja novamente eleito para a presidência. Com todas as pesquisas mostrando que eu venceria facilmente as eleições de outubro, a extrema direita do Brasil está tentando me tirar da disputa. Minha condenação e prisão são baseadas somente no testemunho de uma pessoa cuja própria sentença foi reduzida em troca do que ele disse contra mim. Em outras palavras, era do seu interesse pessoal dizer às autoridades o que elas queriam ouvir.

Em seguida, Lula narra medidas impopulares tomadas pelo governo Temer – o limite de 20 anos nos gastos públicos, as reformas trabalhistas e da Previdência – e afirma que tais ações são destinadas a reverter o progresso dos governos petistas. “Eu não acredito que a maioria dos brasileiros aprova esta agenda elitista. É por isso que, embora eu esteja na cadeia hoje, eu estou concorrendo à presidência, e porque as pesquisas mostram que, se as eleições fossem realizadas hoje, eu venceria. Milhões de brasileiros entendem que minha prisão não tem nada a ver com corrupção, e eles entendem que eu estou onde estou apenas por razões políticas. Eu não me preocupo comigo mesmo. Já estive preso antes, sob a ditadura militar do Brasil, por nada mais do que defender os direitos dos trabalhadores. Essa ditadura caiu. As pessoas que estão abusando de seu poder hoje também cairão”, escreveu Lula.

Lula finaliza o artigo afirmando que “não quer estar acima da lei, mas um julgamento deve ser justo e imparcial”. “Essas forças de direita me condenaram, me prenderam, ignoraram a esmagadora evidência de minha inocência e me negaram o habeas corpus apenas para tentar me impedir de concorrer à presidência. Eu peço respeito pela democracia. Se querem me derrotar de verdade, que façam isso nas eleições. Segundo a Constituição brasileira, o poder vem do povo, que elege seus representantes. Então, deixe o povo brasileiro decidir. Eu tenho fé que a justiça prevalecerá, mas o tempo está correndo contra a democracia”, finaliza o ex-presidente.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Almanakut disse:

    NYT – quanta credibilidade!

  2. carlos alberto martins disse:

    o jornal NYT,deveria ter mais respeito as nossas leis,e não ficar pondo em evidencia um notório charlatão.desde quando o LULA sabe o que é democracia?a sua herança política é o que estamos vendo:desemprego,falta de educação,segurança,etc.isso sem contar que foi o maior corrupto já visto.ao comando do mesmo,estamos vendo a invasão de propriedades produtivas,saques no comércio,passeatas com o único propósito de alavancar a desordem socialista.qual será o objetivo desse jornal em entrevistar o LULA?coméço a acreditar no dito popular que todo mundo tem seu preço.qual seria o desse pasquim?

  3. Aureo Ramos de Souza disse:

    É por isso que os prisioneiros de presidios e lider de facção entram em contato externo de dentro do presidio pois Lula é um prisioneiro como pode dá entrevista ao The Nel York Times se está preso? Ai vem a resposta: Lula é Lula.

  4. José Miguel disse:

    Engraçado, um presidiário condenado em todas as instâncias da justiça por crime de corrupção e lavagem de dinheiro em suma crimes de lesa-pátria, “escrevendo artigo” para o NYT denegrindo a imagem do país, é mesmo surreal para dizer o mínimo!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *