Início » Brasil » Obesidade custa R$ 488 milhões por ano ao Brasil
Tratamentos no SUS

Obesidade custa R$ 488 milhões por ano ao Brasil

Ministério da Saúde estima que atualmente cerca de 15% dos brasileiros sejam obesos

Obesidade custa R$ 488 milhões por ano ao Brasil
Obesidade onera o SUS (Fonte: Reprodução/Revista Galileu)

Uma pesquisa feita pela Universidade de Brasília revelou que o governo federal gasta R$ 488 milhões por ano com o tratamento de doenças relacionadas à obesidade na rede pública de saúde.

Leia também: Escolas brasileiras em campanha contra a obesidade infantil
Leia também: Refrigerantes mais caros contra a obesidade?
Leia também: Como enfrentar o problema da obesidade

A pesquisa levou em consideração o atendimento de média e alta complexidade de problemas diretamente relacionados à obesidade e também a outras 26 doenças ligadas ao excesso de peso, incluindo problemas cardíacos, diabetes e alguns tipos de câncer.

Baseada em dados de 2011, a pesquisa revelou ainda que, do total de R$ 488 milhões gastos, R$ 289 milhões foram com atendimento hospitalar. O restante foi gasto com atendimento ambulatorial.

‘Ações globais’

Em entrevista coletiva nesta terça, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse que “esse é o momento de agir. Temos de adotar ações globais”. O Ministério da Saúde estima que atualmente cerca de 15% dos brasileiros sejam obesos.

Ainda de acordo com a pesquisa, as mulheres são mais afetadas do que os homens por doenças relacionadas à obesidade no Brasil.

Fontes:
Estadão - Governo gasta R$ 488 mi com tratamentos para obesidade

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. mauricio silva disse:

    Olha só,
    Custa bem menos que o tabagismo.

  2. Luiz Henrique da Silva Santos disse:

    Nossa, e quanto que custa a corrupção?

  3. JULIO SPÍNOLA disse:

    Enquanto se destina, via sus, recursos sociais vultosos para fazerem uma cirurgia de alto risco com a condicionante de ser altamente constrangedora, já que o paciente passará o resto da vida admirando comida sem poder comê-las. Enquanto isto alguns sites chegam a falar de até 10% de mortalidade nas cirurgias de redução de estômago. Além disso, muitos pacientes ficam ansiosos ´por não mais poderem comer as quantidades que gostavam, entram em detressão e até se suicidam. planassiste.mpu.gov.br/news/consequencias-inesperadas-provocadas-pela-cirurgia-bariatrica
    Alguns médicos cullpam “uma doença mental pré-existente” que atingiria de 20% a 70% dos pacientes.(quem fez este estudo, óbviamente, não conhece estatística e desvio padrão e seu resultado de 20% a 70% é altamente tendencioso)
    Se o bypass do intestino é feito com métodos menos invasivos(videoscopia) de riscos menores e seu paciente PODE EMAGRECER COMENDO O QUE QUER, porque a escolha de um processo mais custoso, talvez, e mais arriscado além de mais constrangedor?

  4. celso disse:

    Nem encosta no custo da álcool.
    ” RESULTADOS. O valor do Custo Social do uso do álcool no Brasil no ano de 2007 foi de R$8.562.680.331,00.”
    Fonte: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-03022011-182714/fr.php
    “ALCOOLISMO: Estudo aponta conseqüências físicas e gastos públicos de mais de R$ 8 bilhões”
    Fonte: http://gentesemfuturo.blogspot.com.br/2011/01/alcoolismo-estudo-aponta-consequencias.html
    “A professora destaca que entre as drogas licitas e ilícitas, o álcool é mais consumida no mundo, sendo que no Brasil o percentual é de 12,3%. O uso de cocaína no país, por exemplo, fica em torno de 1%. A doutora ressalta que os gastos públicos são muito altos com esses problemas e os valores poderiam ser investidos em outras ações para beneficiar a população como um todo.”
    ” Mais de 10% de toda a mortalidade ocorrida no país é conseqüência do consumo excessivo de álcool. Dados recentes do Instituto Nacional de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas, da Unifesp, mostram que 22 milhões de homens abusam do álcool, 16 milhões são dependentes do álcool e 12 milhões são alcoólatras – um aumento de 30% em 10 anos; 8 milhões das mulheres abusam do álcool e 5 milhões são alcoólatras – aumento de 50% em 10 anos. Cerca de 30 milhões de brasileiros são bebedores de risco. Segundo a Associação Brasileira de Alcoolismo, cerca de 5% dos trabalhadores são alcoólatras comprometendo o Produto Interno Bruto (PIB). Dados de 2011 da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que os brasileiros consomem 18,5 litros de álcool puro por ano. Álcool associado ao volante é de altíssimo risco. Sandra Pillon, da Universidade de São Paulo, mostra que 72% dos carreteiros ingerem bebidas alcoólicas e 51% deles fazem uso abusivo. ”
    Fonte:http://eusr.wordpress.com/2011/09/16/alcoolismo-problema-de-saude-publica/
    Em todo o mundo 1 milhão e 800 mil pessoas morrem devido ao álcool.
    Fonte: http://www.buzzle.com/articles/alcohol-poisoning-statistics.html
    É uma verdadeira chacina.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *