Início » Brasil » Odebrecht arremata trecho da rodovia BR-163, em Mato Grosso
Concessão de rodovias

Odebrecht arremata trecho da rodovia BR-163, em Mato Grosso

Segundo a ser leiloado pelo governo Dilma, trecho passa por 19 municípios e é responsável pelo escoamento de 70% da safra agrícola do estado

Odebrecht arremata trecho da rodovia BR-163, em Mato Grosso
Concessão faz parte do Plano de Investimento em Logística do governo (Reprodução/Internet)

A Odebrecht arrematou nesta quarta-feira, 27, a concessão do trecho da rodovia BR-163 que passa por Mato Grosso. O grupo apresentou uma proposta de valor de pedágio de R$ 0,02638 por km (R$ 2,638 por 100 km rodados), o que corresponde a um desconto de 52,3% em relação ao teto estabelecido pelo governo.

Com 850,9 km de rodovia, o trecho leiloado passa por 19 municípios, entre eles a capital Cuiabá, e é responsável pelo escoamento de 70% da safra agrícola do estado. A concessão tem prazo de 30 anos. Ao longo desse período, a Odebrecht  terá de realizar obras de duplicação e manutenção da rodovia, além de outras melhorias. Para isso, a Odebrecht deve investir R$ 4,6 bilhões, sendo R$ 2,4 bilhões nos primeiros cinco anos.

Outros sete grupos participaram do leilão, que ocorreu esta manhã na sede da BM&F Bovespa, em São Paulo. Pelas regras do edital, o grupo vencedor seria o que apresentasse o menor valor de pedágio cobrado dos motoristas.

O trecho da BR-163 é o segundo leiloado pelo governo e faz parte do Plano de Investimento em Logística (PIL). O primeiro a ser leiloado foi o trecho da BR-50, entre Goiás e Minas Gerais, arrematado em setembro pelo consórcio Planalto. O grupo ofereceu um valor de pedágio de R$ 4,534 para cada 100 km rodados.

 

 

Fontes:
G1-Odebrecht arremata concessão de trecho da BR-163 em Mato Grosso
Estadão-Odebrecht vence disputa pela BR-163 no trecho de Mato Grosso

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Gutemberg Oliveira disse:

    Sobre os tipos de “privatizações” das rodovias adotadas pelo governo, há um artigo muito interessante no Instituto Ludwig von Mises Brasil, que faz uma análise mais aprofundada sobre o tema.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *