Início » Brasil » ONU pede que execução de jornalista goiano seja investigada
LIBERDADE DE IMPRENSA

ONU pede que execução de jornalista goiano seja investigada

Organização pede a punição dos assassinos do jornalista Jõao Miranda do Carmo. Investigação aponta que crime foi encomendado pela Prefeitura

ONU pede que execução de jornalista goiano seja investigada
Miranda escrevia sobre corrupção e problemas de gestão do município (Foto: Facebook)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Organização das Nações Unidas (ONU) exortou o Brasil a investigar a morte do jornalista João Miranda do Carmo, assassinado no último domingo, 26, no município de Santo Antônio do Descoberto, em Goiás.

Miranda, de 54 anos, era dono e editor do jornal digital “SAD Sem Censura”, onde publicava reportagens sobre violência, corrupção política e problemas de gestão do município, como a falta de pavimentação.

Segundo parentes, ele já havia recebido várias ameaças de morte por conta da profissão. No domingo à noite, ele estava em casa, quando vários homens tocaram a campainha. Assim que ele abriu porta, foi executado com 22 tiros à queima roupa.

Irina Bokova, diretora da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), condenou o assassinato e pediu a punição dos autores. “É importante que as autoridades investiguem esse assassinato e levem à Justiça os seus autores. A impunidade em relação a crimes contra jornalistas ameaça o trabalho dos profissionais da imprensa e o acesso do público a fontes de informações independentes e plurais”.

Mirandafoi o terceiro jornalista assassinado no Brasil este ano. Segundo a Comissão para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), desde 1992, 38 jornalistas foram executados no Brasil.

Acredita-se que o ativismo de Miranda foi o fator que motivou sua execução. “Ele era bem controverso em sua cidade. Ele exigia respostas de políticos, policiais e autoridades locais. Acreditamos que o crime teve motivação política. Ele questionava os políticos locais”, disse Claudio Curado, presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de Goiás.

Investigações apontam para envolvimento da Prefeitura no crime

Na última segunda-feira, 27, agentes da Polícia Civil de Goiás prenderam o chefe de segurança da Prefeitura de Santo Antônio do Descoberto, Douglas de Morais. Ele é suspeito de participar da execução.

Segundo o delegado-chefe da corporação, Pablo Batista, a Polícia Civil trabalha com várias hipóteses, mas a principal delas aponta para um crime encomendado pela Prefeitura. Isso porque Miranda foi ameaçado de morte logo após divulgar em seu jornal um vídeo em que o prefeito Itamar Lemes do Prado aparece pagando uma funcionária. Além disso, em 2015, ele noticiou a prisão do irmão de Douglas por homicídio.

Batista afirmou que há a possibilidade de o prefeito do município, Itamar Lemes do Prado, ser chamado para depor, mas que antes outras pessoas serão ouvidas. “Por hora, ainda não. Outras pessoas serão chamadas”, disse o delegado-chefe, ao Jornal de Brasília. O prefeito foi procurado pela Reuters para comentar o episódio, mas não foi encontrado.

Fontes:
Reuters-U.N. asks Brazil authorities to investigate journalist's death

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Beraldo disse:

    OK! Tá certa a tal de Irina Bokova.

    Mas, por que a ONU e os EEUU não se manifestam fortemente contra o fechamento de 130 órgãos de imprensa na Turquia?

    Aliado estratégico né!

    E aqui no Brasil? Cadê aquele alvoroço todo que a Globo apronta, quando ocorre meo esboço de ofensa a qualquer profissional da mídia, aqui dentro ou em países desalinhados com o “Ocidente?”

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *