Início » Brasil » Operação histórica da PF mira em frigoríficos
CARNE FRACA

Operação histórica da PF mira em frigoríficos

Uma suposta organização criminosa liderada por fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura facilitava a produção de produtos adulterados

Operação histórica da PF mira em frigoríficos
A operação conta com a mobilização de 1,1 mil policiais em seis estados e no Distrito Federal (Foto: Wikimedia)

Nesta sexta-feira, 17, a Polícia Federal deflagrou a maior operação da história da corporação. A Operação Carne Fraca mira a venda ilegal de carnes por frigoríficos. São 309 mandados judiciais, sendo 27 de prisão preventiva, 11 de prisão temporária, 77 de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão em residências e locais de trabalho dos investigados e em empresas supostamente ligadas ao esquema.

Em cerca de dois anos de investigação, a operação revelou que as Superintendências Regionais do Ministério da Pesca e Agricultura do Estado do Paraná, Minas Gerais e Goiás “atuavam, diretamente para proteger grupos empresariais em detrimento do interesse público”. Entre os alvos da operação, estão os frigoríficos BRF, JBS e Seara. Além disso, a Justiça Federal do Paraná determinou o bloqueio de R$ 1 bilhão das investigadas.

A suposta organização criminosa liderada por fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura facilitava a produção de produtos adulterados por conta do pagamento de propina, e emitiam certificados sanitários sem fiscalização. A investigação chegou até mesmo a revelar o uso de carnes podres, maquiadas com ácido ascórbico, por alguns frigoríficos, além da re-embalagem de produtos vencidos.

Entre os presos, estão executivos da BRF: Roney Nogueira dos Santos, gerente de relações institucionais e governamentais, e André Baldissera, diretor da BRF para o Centro-Oeste. Na lista, também estão fiscais do Ministério da Agricultura, funcionários da Seara e do frigorífico Peccin. Segundo a PF, este último tinha irregularidades gravíssimas, como uso de carnes podres.

A operação conta com a mobilização de 1,1 mil policiais em seis estados (Paraná, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goiás) e no Distrito Federal.

De acordo com a investigação, os frigoríficos exerciam influência direta no Ministério da Agricultura para escolher os servidores que iriam efetuar as fiscalizações nas empresas, por meio do pagamento de vantagens indevidas. Roney dos Santos, da BRF, tinha acesso até mesmo ao login e senha do sistema de processos administrativos do órgão, que é de uso interno.

O nome Carne Fraca faz alusão à expressão popular, além de ter relação com a má qualidade dos alimentos fornecidos ao consumidor por grandes grupos corporativos do ramo alimentício.

Fontes:
Folha de S.Paulo-PF deflagra Carne Fraca contra corrupção na Agricultura
Estadão-PF deflagra Carne Fraca contra corrupção na Agricultura

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. Carlos Valoir Simões disse:

    Mas quem não sabe que muitos empresários pagam propina à alguns fiscais para aprovarem seus produtos?

  2. Almanakut Brasil disse:

    Detentos fazem “churrasco de PCC”, presos fazem “churrasco de carne humana” em presídio de Alcaçuz

    CENTRAL M O – 21/01/2017

    https://www.youtube.com/watch?v=Bv4zizosbls
    

  3. laercio disse:

    …dinheiro, dinheiro, dinheiro…a desgraça de milhões de pessoas que se alimentaram de lixo fez com que muitos médicos e empresários de frigoríficos e funerárias ganhassem muito dinheiro bem como o governo também o ganhara devido os impostos que arrecadou de toda essa cadeira produtiva…
    O governo mais uma vez não conseguiu garantir a qualidade dos alimentos que foram comprados pela população.
    Está bem claro que nosso sistema político é absolutamente corrompível e não faz frente às necessidades do povo.
    Tem que haver a mudança da máquina política usando de meios menos burocráticos e mais acessíveis à população viabilizando também punições mais rápidas e severas.
    Ainda há de se falar do reflexo internacional pois, japão, russia, china, hong kong, fuguram dentre nossos principais cliente da porcaria animal.

  4. Rogerio Faria disse:

    Os empresários tupiniquins estão ficando igual aos políticos, uma cambada de bandidos. Ainda querem “flexibilizar” a CLT.

  5. Eng. Paulo Bancovsky Pioneiro fundador da ANE ACADEMIA NACIONAL DE ENGENHARIA e ex Presidente disse:

    INACREDITÁVEL,IMPERDOÁVEL, SEM DÚVIDAS A PUNIÇÃO DEVE SER EXEMPLAR. DIGNA DE QUE OS AUTORES APODREÇAM COMO AS CARNES QUE SE UTILIZAVAM.REVELA-SE CRIME INAFIANÇÁVEL

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *