Início » Brasil » Operação Lava-Jato pode afetar as Olimpíadas de 2016
obras em risco

Operação Lava-Jato pode afetar as Olimpíadas de 2016

Empreiteiras que estão sob investigação da Polícia Federal são responsáveis por 11 obras essenciais aos jogos olímpicos do Rio de Janeiro

Operação Lava-Jato pode afetar as Olimpíadas de 2016
O Parque Olímpico na Barra da Tijuca em construção. Falta de crédito para as construtoras pode diminuir o ritmo das obras (Foto: Reprodução/Internet)

A Operação Lava-Jato pode complicar a realização das Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. Isso porque sete empreiteiras que estão sendo investigadas pelo esquema de corrupção na Petrobras são responsáveis por 11 obras consideradas essenciais à realização dos jogos, como o Parque Olímpico da Barra e a Vila dos Atletas. Os problemas com a Justiça podem atrapalhar essas empresas na hora de obter empréstimos e manter o ritmo acelerado nos canteiros de obras.

Segundo a lista de projetos divulgados pela Autoridade Pública Olímpica, os contratos entre as construtoras e o poder público totalizam um valor de R$ 27,1 bilhões, 92% do montante total investido em infraestrutura para os jogos.

Além dos projetos que envolvem diretamente a estrutura para as Olimpíadas, há também a preocupação em relação às obras de infraestrutura urbana, que serão utilizadas durante o evento e ficarão de legado para a cidade. Parte delas também está sob responsabilidade dessas empresas. As empreiteiras envolvidas são: Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Mendes Júnior e Carioca.

A maior parcela das concessões tem contratos extensos. A revitalização da região portuária do Rio, que é gerida pelo consórcio Porto Novo S/A, cujos principais acionistas são Odebrecht (37,5%) e a OAS (37,5%), é uma delas. O consórcio Rio Mais é responsável pela construção Parque Olímpico e pela conservação das áreas públicas nos próximos 15 anos. Seus acionistas majoritários são a Odebrecht Realizações Imobiliárias (33,3%) e a Andrade Gutierrez (33,3%).

Falta de garantias para empréstimos

De acordo com a gerente de análise de investimentos da Lopes Filho & Associados, Leila Almeida, empresas no ramo da construção não costumam ter patrimônio para oferecer como garantia aos empréstimos, geralmente utilizando os contratos para obter o crédito.

“Nem faria sentido terem muito patrimônio. Empreiteiras não são fábricas que precisam de instalações, mas prestadoras de serviços que buscam financiamento, oferecendo como garantia os contratos que firmaram. Existe o risco de o que começou na Petrobras virar uma bola de neve pela falta de crédito”, explicou Leila Almeida.

No fim de 2014, o procurador de Contas junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Júlio Marcelo de Oliveira, entrou com o pedido para que as empresas citadas na Lava-Jato sejam consideradas inidôneas, ou seja, não confiáveis. Apenas a Odebrecht passou ilesa por esse processo. Em caso de vitória do procurador, as empreiteiras serão proibidas de firmar contratos com o setor público pelos próximos cinco anos, piorando seu fluxo de caixa.

AS OBRAS

Linha 4 do metrô: Queiroz Galvão lidera o consórcio Rio Barra, que tem ainda a participação da Odebrecht e Carioca Engenharia, entre outras.

Porto Maravilha: Participam do Consórcio Porto Novo S/A : Carioca Engenharia, Odebrecht Infraestrutura, uma subsidiária do grupo, e OAS. O empreendimento está orçado em R$ 8,2 bi.

BRT Transolímpico: Ao custo de R$ 1,7 bilhão, em regime de PPP, o empreendimento reúne a OAS, via Grupo Invepar (33,4%), Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, acionistas do Grupo CCR (33,3%), e a Odebrecht Transport (33,3%).

VLT Carioca: Camargo Corrêa, via CCR e Odebrecht.

Despoluição das Lagoas da Barra: Queiroz Galvão/OAS /Andrade Gutierrez.

Vila dos Atletas: Odebrecht (50%) .

Parque Olímpico da Barra (parte): Odebrecht (33,3%) e Andrade Gutierrez (33%)

Parque Olímpico de Deodoro (parte): Queiroz Galvão /OAS

Duplicação do Elevado do Joá: Odebrecht.

Obras de combate às enchentes na Grande Tijuca: Mendes Júnior.

Saneamento da Zona Oeste: Odebrecht e Queiroz Galvão (participação em Águas do Brasil).

Fontes:
Globo-Empreiteiras citadas na Lava-Jato podem ter dificuldade na execução de obras para Olimpíadas

1 Opinião

  1. Vitafer disse:

    Lá vai a vaca pro brejo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *