Início » Brasil » Os 300 de Dilma
COLUNA ESPLANADA

Os 300 de Dilma

O exército petista comandado por Lula, Ricardo Berzoini e Jaques Wagner comemora a adesão de 300 ‘deputados fiéis’ ao Planalto

Os 300 de Dilma
Contingente de deputados é crucial para fazer o segundo mandato de Dilma avançar (Fonte: Reprodução/Getty Images)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Numa ofensiva estratégica nas últimas semanas, com prazo para vencer amanhã, o exército petista comandado por Lula, Ricardo Berzoini (Governo) e Jaques Wagner (Casa Civil) comemora a adesão de 300 ‘deputados fiéis’ ao Planalto. O contingente foi a meta imposta pelo trio não apenas para enterrar em plenário um eventual processo de impeachment da presidente Dilma. É crucial para fazer o segundo mandato dela avançar a partir de agora, com uma governabilidade para valer, analisa um palaciano.

O preço

Depois da reforma ministerial, as armas usadas para conquistar os votos de deputados neutros e até adversários foram liberação de emendas e cargos federais nos estados.

Dilma venceu?

Um aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, diz: se ele enterrar o pedido de impeachment do PSDB, é porque já sabe que não terá os votos para derrubá-la.

No cantinho

Cunha e o chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, têm conversado, sim, diretamente, naquela que pode ser a última tentativa de paz entre o deputado e Dilma.

Dilmista sofre…

Um dos expoentes do PSB anos atrás, Roberto Amaral, ex-ministro da Ciência e Tecnologia de Lula e hoje governista, foi abandonado pelo partido. Ninguém da cúpula do PSB apareceu no lançamento de um livro seu na noite de terça em Brasília. O ministro Rosseto (Trabalho e Previdência) e o deputado Chinaglia prestigiaram.

Compensação

O gelo socialista é o preço pago por Amaral por contrariar a decisão de oposição ao Governo, decidido pelo PSB. O ex-ministro ganhou de Dilma um excelente cargo como conselheiro da usina binacional Itaipu.

Na moita

O ativista de direita Kim Kataguiri apareceu quieto na Câmara ontem. Na véspera, empurrara para o diretor jurídico do seu movimento a missão de surgir na CPI dos Crimes Cibernéticos, para confronto com deputado Wyllys (PSOL), seu alvo nas redes.

UFC Cinegrafistas

Não bastasse o clima tenso entre políticos, os jornalistas entraram na onda. Dois cinegrafistas, do SBT e da Record, saíram no braço no Salão Verde.

Quem diria

A deputada comunista Jô Morais (MG) destinou R$ 10 milhões de suas emendas para ações sigilosas da Marinha. Em tempo, o ministro Aldo Rebelo (Defesa) é do PCdoB.

Enganando o cidadão

A passos lentos, como o Planalto quer para não provocar choradeira, andam os novos ministérios. Demissão de comissionados estão previstas só para janeiro. Até lá, circulam nos gabinetes só estudos de cortes e fusões das secretarias e departamentos.

Cadeado no cofre

Vice-presidente da Comissão de Educação, a senadora Fátima Bezerra (PT-RN) proporá mudanças no repasse do Fundo de Educação Básica. É o Fundeb o antro de corrupção de verba federal nos municípios. Ela encerra hoje debate em audiência pública. Vale lembrar, a ‘prefeita ostentação’ de Bom Jardim (MA) foi presa por farra com o Fundeb.

Takayama x Marcão, round 2

Passa bem, mas ainda sob licença médica, o deputado Takayama (PSC-PR), nocauteado pelo motorista do senador Delcídio, o Marcão, há 16 dias numa discussão de trânsito na Chapelaria. Ele faz hoje exames médicos em Curitiba. A licença vence amanhã.

Quanto devemos

Silvia Felismino, a presidente do SindiReceita, dos analistas tributários, revelou: apenas no mês passado cresceu R$ 8,7 bilhões a soma de impostos devidos por brasileiros. O total acumulado é de R$ 1,5 trilhão.

Mais um

O PP vai engrossar a bancada no Senado. Hélio José (PSD-DF), suplente de Rodrigo Rollemberg — eleito governador –, vai se filiar em breve.

Que é isso, doutor!?

Do ex-governador Anthony Garotinho, ex-aliado e hoje adversário figadal do presidente da Câmara, num restaurante do Anexo IV: ‘Pimenta no Cunha dos outros é refresco’.

Ponto Final

“Tenho muito receio das consequências do instituto da reeleição no Brasil”.
Do ex-presidente FHC, na autobiografia ‘Diários da Presidência’ que será lançada no final do mês.

Com Equipe DF, SP e Nordeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. carlos alberto martins disse:

    como estamos vendo tudo vai acabar em piza, pelo visto no congresso todos tem seu preço.eta pizaria cara.

  2. Áureo Ramos de Souza disse:

    300 DEPUTADOS COMPRADOS E FIEIS AO PLANALTO E CONTRA AOS BRASILEIROS. FAZER O QUE?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *