Início » Brasil » Os políticos e seus escusos privilégios
Corrupção na política

Os políticos e seus escusos privilégios

Típica nas esferas do poder, a troca de favores já não surpreende mais os brasileiros. Cada novo escândalo revela que nem a mídia inibe os excessos praticados por figuras publicas

Os políticos e seus escusos privilégios
Os meios de transporte são uma máxima no hall do poder (Reprodução/O Globo)

“Mete o pau aí. Para muitos é o melhor vinho do mundo, de todos os tempos. Passa o cartão do nosso amigo aí, depois a gente vê”. Está claro que além de política o ex-senador Demóstenes Torres aprecia um bom vinho. Não foi à toa que o ex-parlamentar encomendou duas garrafas do proibitivo Cheval Blanc, safra 1947, ao “faz-tudo” do bicheiro Carlinhos Cachoeira, Gleyb Ferreira da Cruz. Duas garrafas da bebida foram adquiridas por US$ 2,9 mil e outras três por US$ 2,7 mil. O caso retrata a típica relação de favorecimentos da qual se beneficiam altos membros do poder. Confira abaixo uma lista de outros mimos regalados a figuras públicas que envergonham a nação.

Uma funcionária pública que sabe aproveitar os prazeres da vida é a “Madame”, apelido dado à nobre ex-secretária da Presidência da República, Rosemary Noronha. Indiciada pela PF pelos crimes de formação de quadrilha, tráfico de influência e corrupção passiva, Rose teve seu refinado gosto musical coroado com cruzeiro avaliado em R$ 2,5 mil, onde a dupla sertaneja Bruno e Marrone fez as honras dos passageiros. Além disso, Noronha logrou o máximo dos mimos femininos: uma cirurgia plástica no valor de R$ 7,5 mil.

Já o doleiro Alberto Yousseff, flagrado na Operação Lava-Jato, conhece exatamente o significado da palavra generosidade; que o diga Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras que recebeu de Yousseff um Range Rover Evoque de R$ 250 mil.

Os meios de transporte são uma máxima no hall do poder. Silvio Pereira, secretário do PT em 2003, ficou conhecido em 2005 como “Silvinho Land Rover” por ter aceitado o capricho em quatro rodas (de R$ 75 mil, na época) do vice-presidente da GDK, uma prestadora de serviços da Petrobras.

Alberto Yousseff também revelou seu “lado família” ao presentear o vice-presidente da Câmara, André Vargas, agora afastado do cargo, com um taxi aéreo de R$ 100 mil para que ele e seus parentes pudessem desfrutar de um voo tranquilo até João Pessoa.

 

Fontes:
O Globo-De jatinhos a plásticas, os mimos do submundo da política

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Estanislau Sidonsky disse:

    Isso tudo é ninharia, precisa ver é quem é que paga as contas de familiares de políticos que estudam em universidades na Europa, Canadá e USA. Conheço o filho de um prefeito (petralha) que estudou na Bélgica.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *