Início » Brasil » Os possíveis cenários em caso de saída de Temer
CAOS POLÍTICO

Os possíveis cenários em caso de saída de Temer

Entenda os rumos do Brasil em caso de renúncia ou cassação do atual presidente

Os possíveis cenários em caso de saída de Temer
Revelações do jornal 'Globo' complicaram ainda mais o cenário político (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Após as revelações do jornal Globo na noite da última quarta-feira, 18, a BBC Brasil conversou com Oscar Vilhena Vieira, diretor da Faculdade de Direito da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo, para saber quais seriam os possíveis cenários do Brasil caso Michel Temer saia do poder.

Renúncia

Em caso de renúncia, a Constituição estabelece que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assuma interinamente a Presidência e convoque uma eleição indireta a ser realizada em 30 dias. Numa eleição indireta, quem escolhe o novo presidente é o Congresso, não o povo. Vieira lembra que não há uma regulamentação sobre como esse pleito deve ser realizado. Qualquer brasileiro acima de 35 anos poderia se candidatar, mesmo sem ter filiação partidária.

Segundo ele, o Congresso pode aprovar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para permitir eleições diretas. Para isso acontecer, a maioria ampla dos parlamentarem deveria ser a favor da proposta, ou seja, três quintos de deputados e senadores.

No novo pleito, devem ser escolhidos um novo presidente e um novo vice para concluir o mandato até dezembro de 2018.

Cassação

No Tribunal Superior Eleitoral (TSE), já existe uma ação pronta para julgamento para cassar a chapa Dilma e Temer. Apesar do tribunal não julgar denúncias contra Temer que não tenham a ver com processos eleitorais, denúncias confirmadas contra ele sobre a questão da JBS poderiam influenciar a decisão dos sete ministros do TSE.

Se Temer fosse cassado pelo TSE, já há uma ação pronta para ser julgada no Supremo Tribunal Federal (STF) que pode levar à convocação de eleições diretas no país. O argumento da ação é que se o TSE considerar que a eleição de 2014 foi ilegal, o direito de voto do eleitor foi desrespeitado, logo, deveria haver uma nova eleição. Desta forma, seria convocada uma eleição direta sem necessidade de aprovação de PEC no Congresso.

Caso a denúncia seja confirmada, Temer também pode ser cassado por crime de responsabilidade ou pode ser condenado no STF por crime comum. Nos dois casos, a Câmara dos Deputados precisaria autorizar o Senado a abrir um processo de impeachment ou o STF a abrir um processo por crime comum. As duas alternativas costumam ser lentas. No caso de Dilma, demorou cerca de quatro meses para a Câmara autorizar e mais quatro meses e meio para o Senado concluir o julgamento. Já no caso do ex-presidente Fernando Collor de Mello, o processo todo levou cerca de quatro meses.

Fontes:
BBC Brasil-Delação da JBS: quais são os cenários possíveis caso se confirmem denúncias contra Temer

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Natanael Ferraz disse:

    O problema de tirar o Temer é que não há o que colocar no lugar, e se tiver eleições diretas, o povo é capaz de votar naquela conhecida porcaria de novo.

  2. Markut disse:

    O trágico, nesta questão toda ,é que,como sempre, a maior vítima será a própria sociedade civil, destituída abruptamente das suas grandes expectativas , na solução urgente dos seus graves impedimentos, para prosseguir a vida, em condições mínimas de sobrevivência.
    A grande ameaça é continuarmos a ser governados por um bando de cleptocratas, devidamente instalados historicamente, lastreados em suposta democracia, que lhes serve de degrau para se preservar do poder, exercitando, na realidade, o verdadeiro populismo predador, baseado na ignorância do eleitor.
    Chegamos ao fundo do poço, ou ainda tem mais?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *