Início » Brasil » Os tropeços e sucessos da Rio 2016
OLIMPÍADAS

Os tropeços e sucessos da Rio 2016

As longas filas e as piscinas com água verde provocaram críticas, mas não prejudicaram os primeiros Jogos Olímpicos sediados na América Latina

Os tropeços e sucessos da Rio 2016
Frequentadores habituais dos Jogos Olímpicos disseram que o Rio teve mais problemas do que Londres e Pequim (Foto: Wikipedia)

A primeira impressão foi de caos. À medida que os torcedores desembarcavam dos trens no Estado Olímpico Engenhão em 13 de agosto, no segundo dia dos Jogos Olímpicos, deparavam-se com uma multidão na entrada do estádio. Quem quer que tentasse ultrapassá-la era barrado com gritos de “fila!”

Esse não foi o único problema da primeira Olimpíada realizada na América do Sul. Em 6 de agosto, quando as competições começaram, o público também enfrentou filas enormes no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca. Quatro dias depois a água das piscinas do Parque Maria Lenk ficou verde, aparentemente em razão do despejo indevido de peróxido de hidrogênio na água. Em 15 de agosto, uma câmera de televisão presa em cabos de aço caiu no Parque Olímpico e feriu pelo menos sete pessoas.

Houve também surpresas agradáveis. O fracasso do Rio em não despoluir a baía de Guanabara foi alvo de críticas constrangedoras antes dos jogos, mas nas competições de vela os níveis de poluição foram toleráveis, pelo menos para os atletas. Não houve registros de congestionamento nem interrupções na rede de telefonia móvel, a despeito da sobrecarga.

A nova linha de metrô que conecta os parques e os estádios olímpicos ao centro da cidade funciona bem, apesar do receio que não ficasse pronta no prazo previsto. Os ônibus do BRT Transpolímpico, com faixas exclusivas, transportam um grande fluxo de passageiros que chegam na nova estação de metrô no Jardim Oceânico para o Parque Olímpico, na Barra. Os problemas são inevitáveis em uma cidade como o Rio de Janeiro, onde a pobreza coexiste com a riqueza e a violência prejudica a organização de eventos.

Os frequentadores habituais dos Jogos Olímpicos disseram que o Rio teve mais problemas do que Londres e Pequim, que sediaram as duas Olimpíadas anteriores. Mas o Brasil é muito mais pobre do que a Grã-Bretanha, e de grande parte dos países que sediou os jogos. E, ao contrário da China, é uma democracia onde os problemas não podem ser escondidos com facilidade por governos autoritários. A maioria dos espectadores locais e dos turistas está decidida a não deixar que as preocupações com segurança, água poluída, filas ou com qualquer acontecimento desagradável ou inesperado, atrapalhem o clima da Olimpíada. Na área portuária milhares de pessoas comemoram as vitórias e lamentam as derrotas de seus países. Apesar de algumas falhas na segurança e na organização, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro predomina o ambiente de alegria característico do Brasil.

Fontes:
The Economist-Snafus and successes at the Olympics

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. Paulo Fernando disse:

    Apesar da situação político-econômico, saída da Presidente etc.., entendo que o Brasil sai ganhando com as Olimpíadas 2016, aos olhos dos estrangeiros e consequentemente isso é muito
    bom para o nosso País, não resta duvida que já é motivo de uma alavancagem nesse momento positivo

  2. Rogerio Faria disse:

    Legado do PT.

  3. helo disse:

    Os cariocas são muto acolhedores, o Rio ficou lindo, o tempo maravilhoso, um sucesso.

  4. abrão disse:

    Participei desse maravilhoso evento e a unica critica dedico ao sistema de transporte que se mostrou insuficiente e com poucas orientações aos usuarios.

  5. Áureo Ramos de Souza disse:

    Eu aqui do nordeste em Recife, assisti tudo pela TV e fiquei surpreso, lamentável a morte do soldado da força nacional e a GAFE do atleta Americano e adorei o final com frevo, Luiz Gonzaga,Maestro Spok com a orquestra de frevo e as leituras rupestres e os bonecos de Vitalino. Foi bom até demais.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *