Início » Brasil » Padilha pede licença médica em momento complicado
MINISTRO DA CASA CIVIL

Padilha pede licença médica em momento complicado

Procuradoria-Geral da União deve pedir abertura de inquérito para investigar ministro por recebimento de pacote suspeito de conter propina da Odebrecht

Padilha pede licença médica em momento complicado
Padilha tirou licença do governo na última quarta-feira, 22, por cerca de 12 dias (Foto: Wikimedia)

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, entra de licença médica em um momento delicado de sua gestão. Segundo a Folha de S. Paulo, a Procuradoria-Geral da União deve pedir abertura de inquérito para investigá-lo por conta do depoimento de José Yunes, ex-assessor do presidente Michel Temer.

Na semana passada, Yunes, que pediu demissão em dezembro, prestou depoimento aos procuradores em Brasília. Ele disse ter recebido um “pacote” em 2014, em seu escritório político em São Paulo, a pedido de Padilha.

O conteúdo do pacote é suspeito, já que o ex-diretor da Odebrecht, Claúdio Melo Filho, disse em sua delação premiada ter participado de um jantar no Palácio do Jaburu com Marcelo Odebrecht, Temer e Padilha. Na ocasião, segundo Melo Filho, Temer pediu apoio financeiro para o PMDB na campanha eleitoral de 2014. Na delação, Melo Filho disse que pagaria R$ 10 milhões, sendo que R$4 milhões ficariam sob responsabilidade de Padilha. Além disso, ele disse que um dos pagamentos foi feito na sede do escritório de advocacia de Yunes, no Jardim Europa, em São Paulo. Por isso, a Procuradoria-Geral avalia ser inevitável pedir ao Supremo Tribunal Federal autorização para investigar o ministro.

Yunes conta que, naquele ano, em meio à campanha eleitoral, recebeu um telefonema de Padilha, pedindo um favor. Ele queria que Yunes recebesse alguns “documentos” em seu escritório, que depois seriam retirados por um emissário. Yunes concordou. Na hora combinada, Lucio Funaro, apontado como operador do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), apareceu no escritório, trazendo um “pacote”. Yunes diz que até hoje não sabe o conteúdo do pacote.

Licença médica

Padilha tirou licença do governo na última quarta-feira, 22, por cerca de 12 dias, já que deve operar a próstata no final de semana. A licença é por atestado médico e não está publicada no Diário Oficial.

Na última segunda-feira, 20, Padilha foi internado no Hospital do Exército, em Brasília, com um quadro de hiperplasia prostática benigna. Ele teve uma obstrução urinária e precisou fazer um procedimento ambulatorial.

Ao receber alta ainda na quarta-feira, voltou ao Palácio do Planalto, onde despachou com Temer e avisou ao presidente que estava de atestado médico e que, por isso, iria para Porto Alegre, onde tem residência,  repousar até depois do Carnaval.

Fontes:
Folha de S. Paulo-Procuradoria deve investigar Padilha após versão de Yunes sobre pacote
O Globo-Eliseu Padilha pede licença da Casa Civil para tratar problemas de saúde

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. Carlos Valoir Simões disse:

    Todos sabemos que a política no Brasil funciona com propinas disfarçadas de “doações-de-campanha”, que depois são ressarcidas com licitações fraudulentas e obras super-faturadas. O problema agora é acabar com a doença sem matar o paciente.

  2. Markut disse:

    Se não for encenação, veio em momento oportuno para o próprio indigitado, pois ninguem ai tem asinhas de anjo.
    Como diz bem Carlos Simões , a questão é acabar com a doença, sem acabar com o doente,em todos os sentidos.

  3. Áureo Ramos de Souza disse:

    Dizem que quando se pisa em m. ou sonha com m. é dinheiro, agora o pacote não foi de m. não foi explicando onde estava o dinheiro. Bons preságios.

  4. Beraldo disse:

    Depois do impeachment “juridicamente perfeito” veio este lamaçal politicamente perfeito.

    Verborragia inútil esclarece nada, e deixa a nítida impressão de que a corruptela no poder está se tornando natural (normal, vulgar e comum).

    Muito blá blá blá e pouca mão a palmatória.

    Manifestantes que fizeram trio elétrico em torno do patinho amarelo do Paulo Skaf, perplexos, tem dificuldade extrema de reconhecer que na corte de Sua Alteza Michel Temer, a começar pelo próprio, “se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão”.

    Nada como um dia depois do outro.

    O que vem ocorrendo, sinceramente, dá medo!

  5. Beraldo disse:

    Volta pra casa Padilha!

    Sua máscara de cara séria, cairia a qualquer momento!

    Caiu!

    Alguém se surpreendeu?!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *