Início » Brasil » Paes avisa PMDB: não quero ser bucha para 2018
Coluna Esplanada

Paes avisa PMDB: não quero ser bucha para 2018

Nome potencial do PMDB como candidato a presidente da República após 28 anos, para daqui a três anos, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, vive um dilema

Paes avisa PMDB: não quero ser bucha para 2018
Paes já mandou o recado: não quer ser bucha para futuras negociações de aliança. ‘Se for, quero ser candidato para valer’ (Foto: Reprodução/Internet)

Nome potencial do PMDB como candidato a presidente da República após 28 anos, para daqui a três anos, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, vive um dilema. Sente-se afagado pela cúpula da legenda ao passo que, conhecedor dos seus pares e de experiências passadas, já mandou o recado: não quer ser bucha para futuras negociações de aliança. ‘Se for, quero ser candidato para valer’, disse Paes há poucos dias a aliados do Rio. Mas este é o plano B. Paes está no segundo mandato e o plano A é suceder Luiz Fernando Pezão no governo do Estado.

Movimento nacional

A citação de Paes como cotado para 2018 não é um movimento carioca da legenda. Foi cotado por Eduardo Cunha e Pezão, mas também pelo senador Valdir Raupp.

Na pista

Ocorre que o PMDB pós-Paes não tem candidato forte ainda. Os dois cotados são Pedro Paulo, secretário da Prefeitura, e o líder do partido na Câmara, Leonardo Picciani.

2016 começou

Estima-se que outros candidatos do Rio serão Marcelo Crivella (PRB), Marcelo Freixo (PSOL) e o hoje vereador Cesar Maia (DEM), ex-prefeito por quatro mandatos.

Levy cresce

Enquanto Joaquim Levy se ajeita no cargo para não ser atropelado pela presidente Dilma, como ela fazia com o antecessor dele, Guido Mantega, ministros palacianos lembram que a condução está como o esperado. Só havia duas opções fortes, que animavam os banqueiros – quem realmente manda na economia: Levy e Trabuco.

Trabuco sobe

Primeira opção de Dilma, Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco que fez carreira no bancão, não aceitou porque teve a notícia de que sucederá o fundador do banco, Lázaro Brandão, na presidência do Conselho a partir de 2017.

Alto astral..

Enquanto o PMDB articula pacificamente, das hostes à cúpula, um nome nacional para 2018 – até porque poucos ali se salvam – continua a briga velada, mas forte, entre o ex-presidente Lula e Aloizio Mercadante pelo controle do Palácio (e da inquilina).

..inferno vermelho

Mas não é segredo entre petistas que, se houver convenção daqui a três anos para decidir quem será o candidato, Lula dá uma lavada em Mercadante. A conferir.

Lava Jato

Está crescendo a ciumeira entre as corporações. Os procuradores tomaram de vez o lugar dos delegados como os xerifes anticorrupção, justo na maior das operações.

Mais consciência

Pelo terceiro mês consecutivo, a Intenção de Consumo das Famílias, apurada pela Confederação Nacional do Comércio, atingiu o menor nível da série histórica. A ICF de março registrou quedas de 6,1% junto a fevereiro e 11,9% em relação a março de 2014.

Bolso furou

Dados de março da IFC mostram que o nível de confiança das famílias brasileiras diminuiu em todos os níveis salariais: a confiança das com renda abaixo de 10 salários mínimos mostrou queda de 5,7% na comparação mensal, e a das famílias com renda acima de 10 salários apresentou recuo, de 7,8%, na mesma base comparativa.

Fibra na rede

Um pesquisador descobriu como a internet ajuda a divulgar, mas também atrapalha, quando há má informação. Notou que em sites há duas versões, com troca de palavras ‘perigo’ e ‘inimigo’ em versos, do hino Fibra de Herói, conhecido dos militares.

Curto-circuito

Causou um climão no PSDB que vai durar o fim de semana o elogio prolongado do governador goiano Marconi Perillo à presidente Dilma. Para quem recebeu R$ 2 bilhões da Eletrobras em cash para salvar a companhia estadual de eletricidade, foi até pouco.

Controle remoto

Bastou o problema ser citado no Fantástico da TV Globo para a Câmara desengavetar um projeto parado desde 1999. O deputado Pompeu de Mattos (PDT-RS) reapresentou ideia do ex-federal Enio Bacci sobre punições para quem retransmitir propositadamente o virus da Aids em materiais ou no ato sexual.

Canal seguro

O Projeto de lei 198 de 2015 será relatado pelo deputado Marco Tebaldi e torna crime hediondo o ato proposital. Eduardo Cunha vai dar prioridade na pauta.

Ponto Final

Quem tem Marconi Perillo como aliado não precisa de adversário. É o caso de Aécio Neves.

1 Opinião

  1. Áureo Ramos de Souza disse:

    Vamos trabalhar focado nos escândalos e não o que pode acontecer daqui a três anos, vocês foram eleitos por nós para trabalhar pelo país e não já de olho gordo no futuro. Mostrem trabalho, depois é que vem a eleições!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *