Início » Brasil » País registra quase 800 mortes por dengue, zika e chikungunya em 2016
MINISTÉRIO DA SAÚDE

País registra quase 800 mortes por dengue, zika e chikungunya em 2016

Do total de mortes, 629 foram provocadas pela dengue

País registra quase 800 mortes por dengue, zika e chikungunya em 2016
Mosquito Aedes Aegypti transmite dengue, zika e chikungunya (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um boletim epidemiológico do Ministério da Saúde revelou que pelo menos 794 pessoas morreram no país no ano passado em decorrência de dengue, zika e chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti.

Do total de mortes, 629 foram provocadas pela dengue. Os dados do boletim incluem registros feitos até o dia 24 de dezembro.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, foram notificados um total de 1.496.282 casos prováveis de dengue no país em 2016 — ou 731 casos a cada 100 mil habitantes. O número diminuiu em relação a 2015, quando foram notificados 1.677.013 casos prováveis de dengue. Outras 629 mortes ainda estão sendo investigadas.

Entre janeiro e meados de dezembro de 2016, foram registrados 265.554 casos prováveis de febre chikungunya no país — ou 129,9 casos para cada 100 mil habitantes. Neste caso, o número aumentou de forma significativa em relação a 2015, quando foram notificados 38.499 casos prováveis da doença. Foram 159 mortes em decorrência da doença no ano passado. Em 2015, foram 14.

Já os casos prováveis de zika chegaram a 214.193 no país no ano passado — ou 104,8 casos para cada 100 mil habitantes. Seis mortes por zika foram confirmadas em laboratório.

As três doenças causam, em geral, febre, dores de cabeça, dores nas articulações, enjoo e manchas vermelhas pelo corpo.

Fontes:
EBC - Dengue, zika e chikungunya mataram quase 800 pessoas em 2016 no Brasil

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *