Início » Brasil » Paralisação dos PMs no Espírito Santo continua
ESPÍRITO SANTO

Paralisação dos PMs no Espírito Santo continua

O acordo assinado, que não previa aumento salarial, não sensibilizou a maioria da tropa

Paralisação dos PMs no Espírito Santo continua
Familiares e policiais não se sensibilizaram com o acordo (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A Polícia Militar no Espírito Santo continua paralisada mesmo depois de um acordo assinado entre o governo estadual e as entidades de classe de policias na última sexta-feira, 10. As esposas e os familiares dos PMs continuam ocupando as entradas dos batalhões.

A Secretaria de Segurança confirmou na manhã deste sábado, 11, que os policiais não voltaram às ruas. Pelo acordo com o governo, quem deixasse os batalhões até as 7h deste sábado, estaria perdoado e não seria processado.

A proposta que não previa aumento salarial não sensibilizou a maioria da tropa. Apesar de um grupo de policiais no quartel do Comando-Central da PM, em Vitória, tentar voltar as ruas, eles foram impedidos pelos manifestantes. A maioria da tropa continuou dentro da unidade.

A tentativa do governo de pressionar os policiais com o indiciamento por crime de revolta não deu certo. “O que foi assinado ontem com as associações não nos representa. Esse é um movimento dos familiares. A comissão que representa as mulheres não foi convidada a comparecer e nem assinou nenhum documento. Quem deveria nos representar, nos traiu. Isso nos motivou ainda mais a lutar e vamos continuar”, afirmou uma das manifestantes a Folha de S. Paulo.

O presidente da Associação de Cabos e Soldados do Espírito Santo, Renato Martins, que havia assinado o acordo, afirmou que não se considera mais dirigente da entidade.

Ainda neste sábado, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vão a Vitória para avaliar soluções para a crise.

Atualmente, há três mil homens de tropas federais (entre Força Nacional de Segurança, Exército e Marinha) patrulhando o estado.

Fontes:
O Globo-PMs do ES não aderem a acordo anunciado pelo governo e mantêm paralisação
Folha de S. Paulo-Com apoio de familiares, PMs ignoram acordo e mantêm motim no ES

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

8 Opiniões

  1. Carlos Costa disse:

    Faltou citar uma verba extra que totalizam mais de três mil, Quem tive achando que ganha pouco “pede pra sair” ninguém tá obrigando você a continuar. Aqui fora tá melhor, trabalha-se todos os dias e ganha R$ 930,00 (Bruto), com riscos de morte que, pode ser por vocês ou pelos bandidos.

  2. Natanael Ferraz disse:

    É impressionante como as autoridades esbravejam e falam bem alto que tem que cumprir a Lei e a Constituição. Tivessem essa consciência antes, tudo isso poderia ter sido evitado.

  3. carlos alberto martins disse:

    o que me revolta é vermos que os salários dos srs políticos são uma verdadeira afronta ao erário público,e, no entanto sempre são reajustados sem o minimo controle.os mesmos recebem tanta ajuda de custo que poderíamos chamar até de apropriação desonesta.desafio os políticos desde um vereador até ministros e presidente a publicarem o que realmente estão recebendo em seus contra-cheques(pagamento),incluindo mordomias e ajudas para despesas.enquanto nóssos impóstos mantem as mordomias deles.póbres soldados da policia militar que recebem baixos salários para trocar tiros com a criminalidade,a qual os criminosos tem a lei favorecendo-os ,e,com a proteção dos direitos humanos,judiciário e oab

  4. Áureo Ramos de Souza disse:

    O exercito devia jogar esprei de pimenta na cara das mulheres e fazer com que ela desaparecessem da frente dos quarteis e os soldados saissem as ruas. As autoridades estão muito mole com essas mulheres. Policia é policia e mulheres devem ir para suas casas o problema é com os maridos soldados não com elas.

  5. laercio disse:

    O problema é o de sempre (dinheiro); basta se acabar com as regalias politicas, obras inacabadas, etc., que vai sobrar dinheiro para dar aumento e ainda sobrará para outros afazeres.
    O problema do Brasil é um só ( regalias políticas); nete país ser político é semelhante ganhar na loteria.

  6. Wholfensson l da cruz disse:

    Trabalhar 24hs00 por dia e arriscar à vida por 2.600R$? Pimenta nos olhos dos outros é refresco!!!

  7. LUIZ JUNIOR disse:

    É ISSO AÍ NELSON DE SOUZA, TEM TODA RAZÃO.

  8. Nelson de Souza disse:

    Como querem que trabalhem sem aumento na profissão de maior perigo… vão os de colarinho branco pras ruad e ver como é bom/

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *