Início » Brasil » Partidos pedem afastamento de Temer por suspeita de caixa dois
GOVERNO INTERINO

Partidos pedem afastamento de Temer por suspeita de caixa dois

Parlamentares protocolaram a ação na Procuradoria-Geral da República com base na pré-delação de Marcelo Odebrecht, que acusa Temer de caixa dois

Partidos pedem afastamento de Temer por suspeita de caixa dois
Temer e Serra foram citados em delações acusados de caixa dois em campanha (Foto: Beto Barata/PR)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Parlamentares do PT, do PCdoB e da Rede, protocolaram uma ação na Procuradoria-Geral da República (PGR), pedindo o afastamento do presidente interino, Michel Temer. O pedido tem como base a citação de Temer na pré-delação premiada de Marcelo Odebrecht, a mais esperada da Operação Lava Jato.

No último fim de semana, uma reportagem da revista Veja divulgou um anexo da pré-delação premiada de Marcelo Odebrecht ao qual teve acesso. No trecho obtido pela revista consta que, em maio de 2014, Marcelo Odebrecht foi convidado a um jantar no Palácio Jaburu, residência oficial do vice-presidente da República. O executivo foi recepcionado por Temer e o atual ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, na época deputado pelo PMDB.

Durante o jantar, Temer pediu “apoio financeiro” ao executivo na forma de R$ 10 milhões em espécie para a campanha do PMDB daquele ano. Em nota, o presidente interino afirmou à revista que o encontro, de fato, ocorreu, mas que o apoio financeiro de Marcelo Odebrecht foi feito “em absoluto acordo com a legislação eleitoral”. Já Padilha nega ter recebido dinheiro do executivo.

No pedido feito à PGR, os parlamentares pedem que Janot se baseie no mesmo argumento usado para afastar Eduardo Cunha da presidência da Câmara: o afastamento da função por medida cautelar. Esse tipo de afastamento é pedido quando o acusado pode usar seu cargo para se proteger. “Se votarmos o afastamento definitivo da presidenta Dilma Rousseff não haverá a investigação de nenhum caso envolvendo Michel Temer e o PMDB. É por isso que pedimos à PGR que se posicione como se posicionou no caso Eduardo Cunha”, disse o senador Lindbergh Farias (PT).

Um dos maiores defensores do impeachment de Dilma Rousseff, José Medeiros (PSD) afirmou que o julgamento da presidente afastada nada tem a ver com as delações, mas sim com crime de responsabilidade fiscal. “A presidente mesmo foi várias vezes citada e não está sendo julgada por isso. Com relação ao presidente Temer, são coisas que a Justiça vai averiguar. São coisas para o futuro”.

Lindbergh também pretende entrar com pedido de afastamento para Padilha e o ministro das Relações Exteriores do governo interino, José Serra.

O pedido contra Serra tem como base uma pré-delação premiada de outros executivos da Odebrecht obtidos no últimos fim de semana, pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo. Segundo ela, executivos da Odebrecht que tentam firmar acordo de delação premiada afirmaram que Serra recebeu R$ 23 milhões de caixa dois para sua campanha de 2010.

As delações ameaçam trazer para dentro da Lava Jato o governo interino de Temer e o PSDB. O partido já havia sido citado por executivos presos da Queiroz Galvão. Segundo eles, em 2009, o ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, pediu R$ 10 milhões à empreiteira para subornar deputados e interromper uma CPI da Petrobras no Senado.

Fontes:
El País-Oposição pede a Janot que Temer seja afastado por suspeita de caixa 2

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Beraldo disse:

    Consumado seu primeiro objetivo, que era a derrubada do PT, a Mídia, comandado pela Globo, inicia o processo de destruição dos “presidenciáveis” que ela própria encastelou em Brasília.

    Passo seguinte, no curto/médio prazo, iniciará a construção da candidatura que lhe interesse. Um novo Collor.

    A primeira aposta é o Bolsonaro, ou “coisa” que o valha.

    Como em todo golpe, os que o apoiaram, esperando uma “boquinha”, tomarão pés nos traseiros, como ocorreu com Carlos Lacerda e Magalhães Pinto e seus seguidores, em 1964.

    Dentre os que “podem tirar o cavalinho da chuva” e tirar o bumbum da reta, estão Aécio Neves/sua turma, o próprio Temer/sua turma e mais uma dezena de estrupícios do mesmo naipe.

    Nada como um dia depois do outro.

  2. Apocaliptica disse:

    Só existe um fato incontroverso : qualquer estrupício é melhor do que os energúmenos petistas que se aboletaram no poder por 13 longos anos…

  3. Beraldo disse:

    São, de fato e incontroversamente, estrupícios quaisquer.

    Retratos irretocáveis da direita incompetente, que governou o Brasil durante 502 anos (colônia, império e república), sempre privilegiando o pico da pirâmide social.

    Nada como um dia depois do outro.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *