Início » Brasil » PCdoB incomoda militares em compras da Defesa
COLUNA ESPLANADA

PCdoB incomoda militares em compras da Defesa

Nomeação da ex-deputada Perpétua Almeida como Secretária de Produtos de Defesa passou a incomodar altos oficiais das três Forças Armadas

PCdoB incomoda militares em compras da Defesa
Perpétua em seu discurso de posse. Secretária passou a dar a última palavra sobre compras, contratos, licitações (Foto: defesa.net)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Avalizada pelo ministro Aldo Rebelo, a recente nomeação da ex-deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC) como Secretária de Produtos de Defesa passou a incomodar altos oficiais das três Forças Armadas no Ministério da Defesa. Perpétua passou a controlar contratos bilionários de aquisição de armamentos, munições, veículos e equipamentos, numa aérea antes comandada há anos por especialistas na pasta. Para monitorar de perto as ações da ex-deputada, os militares colocaram no gabinete um experiente general. A assessoria do ministério nega que haja ciúme dos militares, enquanto a caserna ferve.

Dona da caneta

Perpétua passou a dar a última palavra sobre compras, contratos, licitações. Está com a Base Industrial de Defesa nas mãos, com carteira de 220 fornecedores de grande porte.

Tudo em casa

O futuro secretário executivo da Aviação Civil na gestão de Mauro Lopes, José Alexandre, é filho do saudoso ex-senador por Minas Eliseu Resende.

Distância

Ex-homem forte do PT e de Lula, com quem tinha relação diária, Tarso Genro não fala com Lula há mais de três meses. Com Dilma, desde o início do ano passado.

Com quem andas..

Pegou mal na foto a coletiva de Lula acompanhado dos senadores Lindbergh Farias e Gleisi Hoffmann, investigados pelo STF, e das deputadas Jandira Feghali e Luciana Santos, do PCdoB, que idealizaram projeto de lei de controle da imprensa. Sem olhar para trás, Lula falou de liberdade de expressão e sobre idoneidade do partido.

Índice Renegade

A alta do dólar encareceu os carros produzidos no Brasil, que apesar de montados aqui têm componentes estrangeiros. Para variar, o frete encareceu as peças. Maior exemplo é o Renegade, fabricado em Goiana (PE), o queridinho da atualidade. Estreou 2015 com R$ 69 mil a versão básica. Na tabela de hoje está a R$ 81 mil.

Adeus, redução

Afinadíssimo com a presidente Dilma, o presidente do Congresso, Renan Calheiros, engavetou para valer as propostas da redução da maioridade penal e da flexibilização da compra de armas, ambas aprovadas com festa na Câmara.

Olheiros

Pode ser só turismo. Agentes do Mossad, a inteligência de Israel, foram vistos em um famoso american bar de Brasília. Há também oficiais cubanos e venezuelanos na cidade.

Roda o globinho

Um figurão do setor crava que, atualmente, existem 2 mil bingos em atividades apenas na Grande São Paulo. Seguem no Congresso projetos pela legalização.

Rebelião silenciosa

Auditores da Receita Federal, indignados com a morosidade das negociações salariais por parte do Governo, têm feito operação padrão em todo o País. Eles desligam os computadores às terças e quintas, embora cumpram a carga horária no trabalho.

Munição

A presidente Dilma não quer dar munição para o adversário Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara. A leniência do Governo é um prato cheio para as críticas do peemedebista. “O governo fala em CPMF e não faz a parte dele”, alfineta Cunha, referindo-se à demora do governo em tirar as medidas de redução dos gastos do papel.

Sinais

Joaquim Levy, ex-ministro da Fazenda, Aloizio Mercadante (Ex-Casa Civil) e mais recente, José Eduardo Cardozo (Ex-Justiça), arderam sob o ‘fogo amigo’ do PT. O histórico acendeu alerta para outros ministros que passaram a afagar o partido.

Mancha no campo

Peritos Federais Agrários preparam nova ofensiva no campo e nas redes sociais contra o ministro Patrus Ananias e a presidente Incra, Lúcia Falcón. Ano passado, não houve decreto de desapropriação de terras para a reforma agrária.

Operação Acarajé 2

Há uma barraca de venda de acarajés há anos ao lado do Ministério da Justiça. Nos últimos dias, o cheiro tomou corredores. Virou hábito diário a degustação por servidores

Ponto Final

Com as revelações dia a dia das operações da PF, agora entende-se a frase da presidente Dilma sobre ‘Vamos fazer o diabo’ na eleição.

 

Com Walmor Parente e Equipe DF, SP e Nordeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. carlos alberto martins disse:

    o poder público está de toda fórma destruindo as forças armadas com o único objetivo de poder domina-los se por acaso o pt for para um confronto para implementar a ditadura democrática por longos anos no poder obscuro da ganancia sem fim para que passemos a ser um povo escravizado .

  2. Ludwig Von Drake disse:

    Linguagem corporal é tudo:
    Os dedos entrelaçados, mãos ou braços sutilmente cruzados dos generais são sinais de contrariedade.
    O ministro tem o queixo empinado, que indica presunção e autoritarismo.
    A secretária, com aquela flor vermelha, é apenas cafona.

  3. Rogerio Faria disse:

    Enquanto a milicada não pedir desculpas por rasgar a Constituição em março de 1964, não dá para encher a caserna de armamentos. É um tiro no pé, ou melhor, pode ser um tiro na democracia…

  4. Henrique de Almeida Lara disse:

    “INTERVENÇÃO CONSTITUCINAL?” – Por Henrique de Almeida Lara

    O nosso País está em estado de emergência! Alarmante descontrole moral, econômico, social e político. Sem credibilidade! O povo não confia mais em suas autoridades. Se uma autoridade abre a boca para dizer alguma coisa pelas vias de comunicação, seja ela política ou gestora, o povo não acredita em uma só vírgula daquilo que é dito. A reação mais comum é: “mente e jamais cumpre aquilo que promete, distorce e camufla a verdade”. Quando as lideranças de um País caem generalizadamente nessa espécie de “fosso”, a administração correta do País se torna impossível. Tenho 84 anos. Vivi o auge da propaganda comunista no Brasil e no mundo. Como sói acontecer, os comunistas prometiam o céu na terra. Enganaram muitos ingênuos, despreparados e desavisados, a ponto de se tornarem “inocentes úteis”. A subversão social tomou conta do Brasil, especialmente no período mais ou menos correspondente entre 1957 a 1964. Desordem mesmo: baderna, anarquia (ninguém respeitava lei alguma). O povo sofria. Greves pipocavam sem avisos! Guerrilhas e atos terroristas aconteciam em todos os cantos do Brasil, principalmente nas cidades grandes, mas abrangia também o campo. Essa é a metodologia comunista: anarquizar ao máximo, para depois tentar justificar a tomada do poder. Os baderneiros tomaram conta do País. Alguém consegue imaginar que um País governado por baderneiros possa ter uma democracia ordeira? Haverá, por acaso, paz e progresso? Boa educação, boa segurança, boa saúde? Haverá infraestrutura ideal? Cúmulo: O presidente João Goulart quebrou todos os princípios de disciplina e hierarquia das Forças Armadas, princípios básicos da lei e da ordem.
    Antes que acontecesse o pior – a implantação da Ditadura Comunista – as Forças Armadas do Brasil tomaram o poder em nome da liberdade de um povo que não merece sofrer mais do que tem sofrido. Dou graças a Deus pela bravura de nossas Forças Armadas. Há um número grande de inconformados que continuam criticando o Governo Militar. Eles levantam lamúrias, esperneiam, criticam, condenam veementemente o Governo militar. Essas pessoas produzem essa enxurrada de críticas porque tiveram os seus interesses pessoais contrariados. Mas, comigo, há um grande número de concidadãos que dão graças a Deus pelo fato de o Brasil ter ficado livre do regime comunista.
    O povo brasileiro é um povo alegre, feliz, ordeiro, bem humorado, solidário, descontraído, hospitaleiro, religioso, amante da liberdade. Não tem vocação para viver sob nenhuma ditadura; principalmente sobre uma ditadura materialista, comunista, ateu. O marxismo é uma ideologia que nega a existência de Deus, mas faz do seu partido o seu deus. Não concordo e jamais concordarei com a metodologia da tortura, venha ela de onde vier. A pessoa honesta, preparada, intelectualmente imparcial, de bom caráter, pode negar os horrores das torturas perpetradas nas implantações dos regimes ditatoriais comunistas? Você nega, leitor? Tem coragem? Ou não tem bom caráter?
    Sabe quantas pessoas foram fuziladas em “el paredon” de Cuba? Sabe quantas pessoas foram torturadas ou morreram em campo de concentração e de trabalho forçado nos campos gelados da União Soviética? Sabe os horrores do desrespeito aos direitos humanos na China e na Coreia do Norte? Você tem uma virtude chamada “sã consciência”?
    Na verdade houve e ainda há no mundo as chamadas “Ditaduras de Direita”, também. São também cruéis e implacáveis! Mas um erro não justifica o outro. Nunca, jamais!!!
    Voltando ao nosso status quo atual: O Brasil está em ruina, doente. Assemelha-se ao trem, sem freio, solto ladeira abaixo. A impunidade reina. O delinquente ri na cara da polícia e diz: “Você me prende hoje, mas amanhã estarei na rua e vou matá-lo”. O juiz solta, sim. Os policiais estão morrendo no cumprimento do dever…!!! MPL é uma organização criminosa, baderneira, desordeira. E para justificar a continuação da desordem, pede o impossível, o ilegal. Os fatos demonstram que o MST também é desestabilizante. O socorro que o Brasil precisa receber é urgentíssimo! Não se pode mais esperar! É imprudente demais esperar a eleição de 2018!!!
    As coisas poderão deteriorar de modo incontrolável! E a nossa amada Nação para onde irá?
    O PT e seus sequazes também prometeram acabar com a pobreza no Brasil. Fizeram mil promessas, nunca cumpridas. No entanto, o País está falido!!!!
    O nosso arcabouço jurídico está embasado em um emaranhado de leis, tão complexo, que faz com que uma lei contradiz a outra. Se assim não fosse, por que tanto malabarismo se faz presente em nossos tribunais e os juristas, mesmo de renome, não se entendem? E nossas autoridades judiciais navegam em áreas pantanosas da subjetividade. Assim, cada um julga conforme a sua própria subjetividade, não podendo, portanto, escapar do seu arcabouço ideológico. Nesse contorno, há espaço para a verdadeira e imparcial justiça? As nossas leis penais são aplicáveis às pessoas “fracas”, mas nunca às pessoas “fortes”! Há exemplos muito eloquentes de pessoas que vivem a cima da lei!
    A impressão que traz desespero e revolta é aquela de que, pelos caminhos da lei, não haverá solução tão rápida para a nossa “Pátria amada, idolatrada ..”.
    Articulista de VEJA (13/01/2016), Claudio de Moura Castro, foi muito feliz ao narrar incidente em que Churchill, como estadista, teve que tomar decisão muito dolorosa. Ele estava de posse do código secreto, já decifrado, do Enigma alemão. De posse do segredo alemão, ele sabia que submarinos alemães iam atacar esquadra inglesa. Ele podia evitar que esse ataque de surpresa acontecesse. Mas se ele o fizesse, levantaria suspeita aos alemães de que ele já estava de posse do segredo. Assim, os alemães reorganizariam a sua defesa. Deixou que os alemães atacassem a esquadra inglesa e reservou os recursos, dos quais ele tinha posse, para usá-los nas próximas etapas. E assim, ele pode salvar muito mais vidas.
    Claudio cita também Fernando Henrique: “A virtude do político não é pessoal, é a virtude de colocar um objetivo que seja aceito democraticamente e fazer com que aconteça. Isso tem um preço, e esse preço muitas vezes contraria o que você gostaria de fazer”.
    Dá para entender, claramente, que muitas vezes o estadista tem que escolher, não entre uma coisa boa e uma ruim, mas uma entre duas ou mais coisas ruins. Não tem alternativa. Ele, então, não decidirá com base no aspecto positivo do tema escolhido, pois no momento o positivo não existe. Ele decidirá com base no volume das consequências e das oportunidades futuras, estrategicamente.
    Há uma discussão sobre a base jurídica para que, no Brasil, um presidente sofra impeachment. Essa discussão envolve leis antigas (Lei Nº 1.079, de Abril de 1950), a Constituição e Regimentos Internos do Parlamento. Também é mais que patente que existem forças ideológicas desvirtuando o palmilhar dos caminhos do processo jurídico.
    Há, também, movimentos sociais. Por exemplo: há aqueles que pedem impeachment da Presidente. Mas, no Parlamento, o sistema partidário permitiu a criação de dezenas de pequenos partidos de aluguel, que se vendem, de forma que o Parlamento não tem consistência e se apresenta aos olhos da Nação como uma colcha de retalhos.
    Há aqueles que pedem a anulação das eleições de 2014. Há fortes indícios de irregularidades e suspeição. Todavia, o andar da carruagem da Justiça Eleitoral é angustiantemente lento.
    Ainda, há os que pedem “intervenção constitucional”. Essa ideia se apresenta mais como ilusão, principalmente depois que o STF passou o seu rolo compressor sobre o Parlamento. Está parecendo Venezuela!!!! Cruz, credo!!!!
    E agora? O que fazer? Há a impressão de que não se pode fazer nada que possa levar os “donos” do País a chegarem a um consenso sobre a legalidade do ATO.
    Darei a minha sugestão: O País é, no momento, um doente grave para o qual não se está encontrando remédio que produza efeito salutar eficaz. Diante desse quadro, vê-se que o seu mal está a exigir intervenção cirúrgica. É traumático? É. Quando o médico substitui em seu paciente um coração falido por outro, essa intervenção é muito traumática, mas salva a vida do paciente.
    Receita para o paciente Brasil: intervenção cirúrgica, traumática. Essa intervenção, que a meu ver será a única eficaz, é uma firme ruptura institucional com limite de tempo. A junta médica será formada por “médicos” apolíticos, disciplinados, imparciais, com muita competência e abnegado amor à Pátria, porque não podem falhar: as Forças Armadas do Brasil.
    Não há que se assustar. A nossa História está pontilhada de rupturas institucionais. O nosso povo, em quase quinhentos anos de história, ainda não se encontra plenamente treinado e preparado para viver a democracia ideal, robusta, consistente. Pois, há muitos aproveitadores que sempre querem levar vantagem. Não sabem colocar o interesse da Pátria em primeiro lugar. Em primeiro lugar está o interesse pessoal ou corporativo. Não há leis e/ou forças que os inibam de praticar os seus desatinos. Para conseguir seus objetivos não se importam de prejudicar a Nação! Essa índole só será removida pela educação, EDUCAÇÃO (isso mesmo, com letras maiúsculas). O que nunca se deu no Brasil. E se nosso País conseguir essa façanha, será a longo prazo, pois precisa envolver pelo menos uma geração. Busquemos essa educação na Finlândia e no Japão.
    Essa ruptura incluirá suspensão temporária da Constituição, os partidos políticos viciados, os tribunais, também, viciados, todos os corruptos e corruptores de acordo com os processos policiais. Com esse Parlamento que aí está não se faz reforma política. Há que partir do ZERO (não convém colocar alicerce sobre escombros), com leis que eliminem todos vícios que dificultam a governabilidade. Reforma política, com esse Parlamento que aí está, não passaria de remendos pontuais cujos conteúdos estariam jungidos a interesses corporativos.
    Aliás, servindo-se do ensejo, O nosso Parlamento é pesado demais para a Nação! Assim, um dos pontos da reforma política seria diminuir o número de parlamentares. O Brasil não tem a mínima necessidade de um Legislativo monstruoso, colossal, paquidérmico, verdadeiro sugadouro de uma parte imensa da economia nacional. O que não se justifica, pois a impressão que se tem é que o nosso Parlamento funciona muito mais a favor de corporações do que da Nação propriamente dita. Por exemplo: onde está o Código de Processo Penal reformado e atualizado? A falta desse trabalho é que faz a sociedade sofre tanta violência, consequência da impunidade. Omissão do Parlamento! O Parlamento brasileiro se configura mais como fonte de emprego para membros de partidos e apadrinhados políticos de parlamentares. Pelo menos agora, não está se configurando como instituição da República que tem finalidade precípua servir a Pátria. Basta o número de 60 Senadores e 200 deputados. Com certeza, o Brasil estaria muito bem servido. E haveria uma boa economia para ser canalizada para a EDUCAÇÂO, Saúde e Segurança. E Deus seria louvado porque o povo brasileiro estaria mais bem servido. Parlamentares brasileiros, aceitam esta ideia ou vão criticá-la impiedosamente?
    (Psicologicamente, estou preparado para virar saco de pancadas, pois o que faço, faço-o pela minha Pátria)! As decisões estruturais incluiriam, ainda, a reforma política, incluindo um mínimo de partidos (no máximo três ou cinco). Os pequenos partidos de aluguel desapareceriam, pois eles formam uma colcha de retalhos (saco de gatos) que dificulta a governabilidade do País. A polícia seria fortalecida. O Código Penal teria que ser mudado com urgência (o sofrimento do povo não pode mais esperar). As leis brandas que dificultam o trabalho da polícia (ela prende, o juiz solta) passariam por reforma bem objetiva. O Estatuto da Criança e do Adolescente seria revisado. Pois, o nosso povo está morrendo na rua, nas calçadas, nos transportes, nos empórios, nas praças e nas casas à mercê de bandidos impunes.
    Promulgar-se-ia uma Constituição que diminuiria o peso do Estado sobre a Nação, asseguraria melhor governabilidade e impediria a interferência dos três poderes sobre outros. Os Ministros do STF, STJ e TSE seriam escolhidos por concurso a fim de os deixarem imunes a interferências externas.
    O sistema presidencialista, no Brasil, fracassou. Por isso teria que instituir o sistema Parlamentarista, pois assim fica mais fácil remover Executivo corrupto e demagogo. Mentiroso! O STF deixaria de interferir no Parlamento, pois o governo seria exercido pelo Parlamento, que pode ser dissolvido. E novas eleições serão convocadas. Se o sistema hoje fosse Parlamentarista, esse governo que aí está já teria caído e, assim, ter-se-ia interrompido a marcha para esse assombroso endividamento. Isso implica, também, uma responsabilidade maior do Executivo para com a coisa pública, pois o Primeiro Ministro poderia sofrer voto de censura.
    Eleições livres ocorreriam quatro ou cinco meses depois da ruptura! Isto é, depois que tudo estivesse bem estruturado e a reforma política completa e perfeita.
    São algumas ideias esboçadas que podem e devem ser estudadas, analisadas, complementadas, aperfeiçoadas, ampliadas, aprofundadas pelas cabeças pensantes, técnicas e grandes e valiosos caráteres do Brasil e por pessoas “livres e de bons costumes”. Pessoas que amam a Pátria e pensam o seu futuro com ideal desprendido. É preciso encontrar estadistas imbuídos da convicção de que são servidores da Pátria e nunca, jamais, donos da Pátria. O dono da Pátria é o povo. Criemos, pois, uma democracia que realmente funcione com justiça para glória do nosso País! Fica o meu apelo às Forças Armadas da nossa Pátria!!!!! – RUPTURA JÁ!!!
    Forças Armadas Brasileiras, vós sois os avalistas do País, da Nação, do Estado e da Pátria Brasileira. É urgente, pois a sombra da traição paira sobre nosso povo – povo que ama a liberdade, o trabalho e a democracia, que é para todos!
    O povo está sem esperança e angustiado.
    Adendo: Houve insinuações de leitores de que este texto tem algo a ver o AI-5. Grande engano! Falta de cuidado na interpretação. Pois, este texto não propõe “fechamento do Congresso”, mas reforma (formar de novo, reconstruir), pois Congresso brasileiro é ineficiente, paquidérmico, pesado, monstruoso, a semelhança de um asqueroso molusco que caminha, cego, sem antena, sem rumo definido e por isso não consegue chegar aos mais importantes objetivos do interesse do País. Há que ser, portanto, substituído por um corpo leve, ágil, dinâmico, superativo para que se torne pleno de realizações que produza o bem da Nação. Aliás, o Brasil precisa ter um projeto de Nação e nunca de poder.

  5. JAMILSOM disse:

    ISTO TUDO TA ACONTECENDO PORQUE HOJE NA ATUALIDADE NAO EXISTE MAIS GENERAI
    S COMO DO ANO DE 1964 AGORA SO TEM CALÇAS FROXAS AGORA SO TEM OS COORRONPIDOS QUE SE VENDERAM SE RENDERAM AO COMUNISMO TRAIRAM A NAÇAO SO TEM BAJULADORES

  6. carlos alberto martins disse:

    caro henrique:após ler seu depoimento,vi que não estou sózinho na luta por um Brasil livre da ditadura democrática instalada no Brasil.lamentavelmente as forças que poderiam tomar alguma providencia,estão dormindo em berço esplendido.o nosso gigante a ésta altura dos acontecimentos já deve estar em coma narcótica.meus parabens pelo seu depoimento.o qual me identifico.por inteiro visto que ele vai de encontro aos depoimentos meus postos em ON.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *