Início » Brasil » PDT quer derrubar o ministro do Trabalho
Coluna Esplanada

PDT quer derrubar o ministro do Trabalho

Bancada do PDT na Câmara quer a cabeça de Manoel Dias

PDT quer derrubar o ministro do Trabalho
Manoel Dias, ministro do Trabalho (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

A bancada do PDT na Câmara, que votou unida contra o pacote fiscal da presidente Dilma, com pretexto de respeitar a memória de Leonel Brizola, agora enquadrada pela presidente empurra a conta para o ministro de seu partido, Manoel Dias, do Trabalho. Os deputados querem a cabeça de Dias. Liderados por Weverton Rocha (MA) e Ronaldo Lessa (AL) — ambos pretendentes — os parlamentares procuraram o chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e o vice-presidente e articulador Michel Temer.

À mesa

Na quarta à noite o ministro se reuniu com a cúpula do Governo. Ciente do complô, Mercadante se esforça para contornar a situação, mas ele cobrou unidade no partido.

Zolinha na área

Apeado do cargo por Carlos Lupi e o ministro Dias, o ex-ministro Carlos Brizola roda Brasília inflamando o ambiente. Esteve com os deputados nos dias das votações.

Nomenclatura extra

Com esse fogo amigo contra o ministro, o PDT já é apelidado nos corredores de Brasília como Partido Dá Trabalho.

Fábrica de propostas

Chegamos a metade do ano, e a Câmara está numa atividade intensa a poucos dias do recesso parlamentar. Os deputados já propuseram mais de 2.100 projetos de lei, protocolados na Mesa Diretora, em apenas quatro meses e meio de atividades. E, vale lembrar, nem todos os 513 políticos da Casa apresentaram propostas.

Memorial do Cargo

Expert em política desde que Dom Pedro soltava pipa, um cacique alerta: ‘Todos (os presidentes) que chamaram para a briga caíram: Getúlio, Jango e Collor’. Dilma, numa situação nada boa, garante que não cai e ainda provoca quem a fiscaliza.

De quem entende

O ex-ministro e economista Delfim Neto comentou a atual situação política com o deputado federal Gilberto Nascimento (PSC-SP), a quem relatou otimista: ‘Ninguém no Brasil tem competência para impedir o desenvolvimento do país’.

Frente da Gestão

Delfim fez a observação em reunião em que anunciou o apoio à instalação da Frente Parlamentar da Gestão Pública.

Acabou o ano (e a grana)

O governador do Rio de Janeiro decretou: ‘Investimento novo somente em 2016’. Muitos credores de contas em aberto e restos a pagar de 2014 entenderam o mesmo.

Bandidagem agradece

Enquanto os governadores debatem formas de combater a violência, as suas bancadas não se movem no Legislativo. Dorme na Câmara Federal a regulamentação da Lei Orgânica da Segurança Pública, que prevê a integração dos cadastros e fichas das polícias de todo o País. Até hoje as delegacias e quartéis não interagem.

Filiais da mulherada

A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, disse ontem ao governador do Piauí, Wellington Dias, que vai concluir em todo o País a instalação da Casa da Mulher Brasileira nas capitais. O local se destina a concentrar as políticas públicas de defesa dos direitos da mulher e a aplicação da Lei Maria da Penha.

Outras de Janene

Veja como Francisco Dornelles, o ex-senador, entrega o falecido José Janene, do seu PP, em entrevista à Veja: ‘Quando eu era ministro do Trabalho de FHC, o Janene me indicou três conhecidos, que tive de afastar, um depois do outro, porque estavam vendendo facilidades. O quarto acabou preso pela polícia.

Turismo é isso aí

Tem gente querendo dar uma voltinha. O deputado Alex Manente (PPS-SP) pediu à Comissão de Turismo para liberar uns colegas a fim de prestigiarem nos Estados Unidos a entrega da 100ª aeronave na fábrica da Boeing a companhia aérea brasileira.

História

O deputado Bruno Covas (PSDB) tem boa intenção, mas compra briga com a Turquia. Propõe o ‘Dia do Reconhecimento às Vítimas do Genocídio do Povo Armênio’.

Mudou muito…

A Comissão de Direitos Humanos na Câmara vai debater ‘os efeitos benéficos da Lava Jato, que completou um ano, na defesa e proteção dos direitos da dignidade da pessoa’.

Ponto Final

‘Partido político é como um buquê: tem rosa, cravo e flor de cemitério’.
Francisco Dornelles, ex-ministro de três Governos, vice-governador do Rio.

Com Equipe DF, SP e Nordeste

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *