Início » Brasil » Pedaladas do governo não são só de bicicleta
Diários de bicicleta

Pedaladas do governo não são só de bicicleta

Não somente a cidadã Dilma dá pedaladas. A chefe de Estado também trafega perigosamente sobre outras rodas

Dar uma pedalada por aí pode ser uma atividade muito perigosa, principalmente se for no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona Sul do Rio – onde menores mataram em maio o médico Jaime Gold a facadas.

Às voltas com as medidas do ajuste fiscal, Dilma Rousseff cuida das próprias medidas, pedalando no Palácio da Alvorada – cercada por dois seguranças. Já perdeu quinze quilos e persegue a cinturinha de vespa. Facada mesmo, só nas próprias gordurinhas e no bolso dos aposentados.

Mas não somente a cidadã Dilma dá suas pedaladas. A chefe de Estado também trafegou perigosamente sobre outras rodas.

Nesta quarta-feira, os ministros do Tribunal de Contas da União podem considerar irregulares as chamadas “pedaladas fiscais” do primeiro mandato da presidente. O artifício de causar atrasos propositais no repasse de recursos públicos a bancos – com o objetivo de maquiar para melhor as contas do governo – pode levar à condenação administrativa do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega e o ex-secretário do Tesouro Arno Augustin.

A bicicleta da presidente – como podemos ver – além de importada também é blindada.

O relatório técnico que vai embasar a decisão do Tribunal mostra que R$ 37,1 bilhões – gerados pelas pedaladas fiscais – foram omitidos do balanço de 2014: é o passivo oculto. O estudo aponta que as distorções somam um total R$ 281 bilhões. O TCU pode levar o Governo a pagar R$ 24 bilhões ao Banco do Brasil e ao BNDES para corrigir as pedaladas fiscais.

Voltando à bicicleta da presidente, é de se estranhar que, no momento de crise que o país vive, ela tenha optado pelo modelo Expeditio Sport Tubo Superior Baixo, da marca norte-americana Specialized, com 21 marchas e aro 26, cujo valor unitário chega a R$ 2.899,00 – com as taxas de importação. O equivalente nacional, a Aluminum Sport, da Caloi, custa cerca de R$ 600,00.

Como se vê, a presidente sempre opta por pedaladas mais caras.

2 Opiniões

  1. rene luiz hirschmann disse:

    só muito burro para engolir as mentiras que o ministro da previdência diz sobre o “fim do mundo” para a previdência, hoje somos um dos países mais privilegiados na captação de recursos para a previdência, para cada aposentado existe 10 trabalhadores contribuindo, só isso já seria o bastante para fazer frente para daqui a 30 ou 50 anos, depois parece que o problema maior são os aposentados mas não dizem que suas contribuições vão para um caixa único e banca a saúde do INSS, e as aposentadorias dos funcionários públicos que não contribuem com nada, além disso os recursos dos processos trabalhistas também contribuem com uma parcela maior do que os contribuintes formais é uma mentira muito grande quando se fala que a Previdência Social esta deficitária se o governo central administrasse com seriedade e competência(fiscalização) seria uma das previdência mais ricas do mundo.

  2. Miguel disse:

    Se verdadeiro, não é necessário mais nada para provar a má fé do caráter da Dilma e seu governo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *