Início » Brasil » Pelo menos 110 bolsistas devem deixar o exterior por erro do MEC
Ciências Sem Fronteiras

Pelo menos 110 bolsistas devem deixar o exterior por erro do MEC

Estudantes receberam uma notificação para regressar ao Brasil por não terem atingido a proficiência necessária em inglês

Pelo menos 110 bolsistas devem deixar o exterior por erro do MEC
A medida gera um impacto aos cofres públicos superior a US$ 12 mil por aluno (Reprodução/Estadão)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Seis meses após o embarque, universitários beneficiados pelo programa Ciências Sem Fronteiras foram notificados que deverão retornar ao Brasil por não terem atingido a nota mínima exigida para obtenção da bolsa. A determinação do governo federal afeta jovens atualmente instalados no Canadá (84) e na Austrália (26).

Conforme publicado nesta quarta-feira, 9, no Estadão, os alunos “nem sequer começaram a exercer atividade na universidade estrangeira” e terão de retornar nesse mês, sem iniciar o estágio.  Além de decepcionar os estudantes, a medida gera um impacto aos cofres públicos superior a US$ 12 mil por aluno, valor referente ao custeio da bolsa, gastos com passagens aéreas e seguro saúde.

Os alunos que receberam o ultimato haviam se candidatado a universidades portuguesas, no edital de 2012. Porém, o governo excluiu o país do edital devido ao grande contingente de alunos que já haviam sido enviados para o país. Outro argumento para a exclusão da nação lusa diz respeito ao idioma; para a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes),  tais estudantes não teriam a oportunidade de dominar um segundo idioma. Por esse motivo, 3.445 inscritos tiveram de  eleger outro país e viajaram sem proficiência na língua.

De acordo com as regras do programa, os inscritos foram enviados  meses antes do início do curso para estudar inglês. Em nota, a Capes – órgão ligado ao Ministério da Educação – informou que os prazos foram cumpridos e que as avaliações ocorreriam “a partir de fevereiro de 2014”. Entretanto, alguns alunos afirmam que o exame de certificação foi antecipado.

 

Fontes:
Estadão-MEC manda 110 bolsistas voltarem do exterior sem estágio

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    É necessário privatizar o organismo que cometeu esse erro. Do jeito que está ninguém vai ser responsabilizado por este erro grosseiro e a pátria amada (nós) paga por essas incompetências. Eita Brasil bão!!!!

  2. Henrique de Almeida Lara disse:

    É mais uma prova, entre muitas, da falta de capacidade de gestão desse governo. O brasileir, o que ama a sua Pátria, só pssa vergonha. Será que essa situação toda não vai produzir complexo de inferioridade nos brasileiros? Será que jovens de outros países já precisaram voltar de uma universidade estrangeira escolhida por falta de proficiência em língua?

  3. Luis Barati Silva disse:

    What’s difficult in written English that one can not learn in a few months?

  4. Luis Barati Silva disse:

    Já o inglês falado na Austrália, só australiano, aborígene e canguru que entende aquilo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *