Início » Brasil » Pelo menos 200 mil são afetados por chuvas no Rio
Tragédia recorrente

Pelo menos 200 mil são afetados por chuvas no Rio

Número inclui desde moradores que tiveram que deixar suas casas a outros que não conseguem sair para trabalhar

Pelo menos 200 mil são afetados por chuvas no Rio
Entulhos após tempestade que atingiu o distrito de Xerém, em Duque de Caxias (Fonte: Reprodução/Efe)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Levantamento feita pelo Defesa Civil revelou que pelo menos 200 mil pessoas foram afetadas pelas fortes chuvas que atingem algumas regiões do estado do Rio de Janeiro desde a última quarta-feira, 2. A informação foi divulgada em entrevista ao jornal Bom dia Brasil, da Rede Globo.

Leia também: Chuvas começam a causar prejuízos no estado do Rio

Nesse número estão incluídos desde moradores que tiveram que deixar suas casas a outros que não conseguem sair para trabalhar. Pelo menos 5 mil pessoas tiveram que sair de suas casas em Angra dos Reis, Duque de Caxias, Belfort Roxo, Seropédia, Petrópolis e Teresópolis.

Previsão é de mais chuva

Dados oficiais apontam para um morto, mais de 20 feridos e dois desaparecidos na cidade de Duque de Caxias, que está em estado de emergência. Há também problemas como falta de luz e abastecimento de água. A previsão é de mais chuva para o estado do Rio ao longo das próximas horas.

Fontes:
Veja - Chuva no Rio de Janeiro afeta ao menos 200.000 pessoas

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. André Luiz Duarte de Queiroz disse:

    Entra ano, sai ano, e as tragédias causadas pelas intempéries se repetem no Rio de Janeiro e outros lugares do país… Qualquer chuva mias forte é suficiente para causar inundações, desabamentos, cortes de energia, falta de água potável… Todo ano vemos prejuízos, desabrigados, mortes… Tudo isso acontece há décadas, sem que jamais os governos (qualquer que fosse o grupo político no poder) tenham tomado ações sérias e efetivas de prevenção.

    As calamidades não são os fenômenos climáticos; são o péssimos governantes que continuamos tendo, e a passividade da sociedade perante a incompetência, omissão e corrupção deles…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *