Início » Brasil » Petroleiros iniciam greve de 72 horas
PROIBIDA PELO TST

Petroleiros iniciam greve de 72 horas

Tribunal Superior do Trabalho considerou o movimento ilegal

Petroleiros iniciam greve de 72 horas
Anúncio da paralisação foi feito na madrugada desta quarta-feira (Fonte: Reprodução/FUP)

Em mensagem publicada em suas redes sociais, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) anunciou que a categoria iniciou uma paralisação na madrugada desta quarta-feira, 30, por 72 horas.

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) considerou a greve abusiva e o movimento ilegal, estipulando multa de R$ 500 mil por dia aos sindicatos.

De acordo com o comunicado da FUP, funcionários “não entraram para trabalhar” em refinarias de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Amazonas e Pernambuco. A federação afirmou ainda que os terminais de Reman (AM), Abreu e Lima (PE), Regap (MG), Duque de Caxias (Reduc, RJ), Paulínia (Replan), Capuava (Recap), Araucária (Repar), Refap (RS), além da Fábrica de Lubrificantes do Ceará (Lubnor), da Araucária Nitrogenados (Fafen-PR) e da unidade de xisto do Paraná (SIX) estariam paralisados.

“A greve nacional dos petroleiros contra a política de preços de derivados da Petrobras começou aos primeiros minutos desta quarta-feira, 30, em diversas refinarias e terminais da empresa”, afirmou a FUP.

Uma reportagem do portal G1 diz, no entanto, que a movimentação de caminhões de combustíveis na Refinaria de Duque de Caxias (Reduc) ocorre normalmente na manhã desta quarta-feira.

Além de apoiar o movimento dos caminhoneiros, a paralisação dos petroleiros visa também a destituição de Pedro Parente do comando da Petrobras. Os petroleiros reagem à política de preços dos combustíveis e são contra os valores cobrados no gás de cozinha.

Fontes:
EBC - Ministra do TST concede liminar para impedir greve de petroleiros
EBC - Mesmo com liminar do TST, petroleiros deflagram paralisação hoje
G1 - Petroleiros anunciam que estão em greve de 72 horas nas refinarias, diz federação

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Leonardo Leal disse:

    Pra o TST lutar pelos direitos é ilegal. Agora para os que trabalham de terno e togas roubar, desviar dinheiro, explorar o trabalhador é legal.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *