Início » Brasil » PF investiga vazamento de depoimento de Paulo Roberto Costa
delação premiada

PF investiga vazamento de depoimento de Paulo Roberto Costa

O inquérito foi aberto no sábado, após a divulgação da suposta participação de políticos no caso

PF investiga vazamento de depoimento de Paulo Roberto Costa
O ex-diretor da Petrobras apontou a participação de políticos como Sérgio Cabral, Roseana Sarney e Eduardo Campos (Reprodução/Gazeta do povo)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Superintendência da Polícia Federal no Paraná apura o suposto vazamento do depoimento do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre um esquema de corrupção na estatal, já que as investigações prosseguem sob segredo de Justiça, no âmbito da Operação Lava Jato . O inquérito foi aberto no sábado, 6, após a divulgação da suposta participação de políticos no caso, por meio da revista Veja deste fim de semana.

Leia também: Propinas podem ter chegado a R$ 3,4 bi

O depoimento foi prestado sob acordo de delação premiada, em que o investigado pode apontar os demais envolvidos em troca da possibilidade de redução da pena. O senador Vital do Rêgo, presidente das duas comissões parlamentares  de inquérito (CPI) sobre o assunto no Congresso Nacional, pediu acesso ao conteúdo do depoimento nesta segunda-feira, 8, assim como a Petrobras, que requereu por meio do juiz federal Sérgio Moro.

Rêgo pediu cópia das informações ao Supremo Tribunal Federal e à Justiça do Paraná. A presidente Dilma, em entrevista ao jornal o Estado de S. Paulo, afirmou também ter pedido acesso ao depoimento, a fim de checar envolvidos do governo.

De acordo com a revista, o depoente revelou ao Ministério Público Federal a participação de três governadores, seis senadores, um ministro e de 25 deputados no esquema de pagamento de propina e lavagem de dinheiro por meio da Petrobras, que teve envolvimento do doleiro Alberto Youssef.

Alguns dos possíveis envolvidos citados foram Sérgio Cabral, ex-governador do Rio; a governadora do Maranhão, Roseana Sarney e o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que morreu em acidente de avião no mês passado.

Fontes:
G1 - PF investiga suposto vazamento de depoimento de Paulo Roberto Costa
Veja - Presidente de CPI pede cópia da delação de ex-diretor da Petrobras

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Mauricio Fernandez disse:

    Dilma já disse que tudo não passa de boataria. Exceto, evidentemente, no caso do falecido Eduardo Campos incluído na famigerada lista. Quem mandou Marina disparar nas pesquisas!

  2. helo disse:

    Como pode Dilma chamar esse crime bilionário na Petrobrás de malfeito como uma vovozinha diria a seu netinho?

  3. Áureo Ramos de Souza disse:

    Quem defenderá um morto? Em ano de eleição a candidata a reeleição não pode ter direito de solicitar aos juízes nada, ela que se cuide pois sua hora é chegada. EU NÃO ACREDITO QUE TODOS DO MENSALÃO E ESTE PAULO ROBERTO NÃO ENVOLVAM LULA, SERÁ SE ELES DELATAREM MORREM, ASSIM COMO ACONTECEU COM O PREFEITO. ´É MUITO ESTRANHO TUDO ISSO

  4. Marluizo Pires Cruz disse:

    Não existe segredo, pois a verdade pertence a todos que participaram da história. As maldades do Estado não é coisa de uma pessoa só. O malfeito é quando todos ficam sabendo que eles fizeram o que não deveria fazer, porquanto mensurando a conquista e manutenção do poder eles continuam fazendo benfeitas promessas para continuarem neste sistema cíclico eleitoral mantendo esse modelo de divisão política das instituições técnicas de bens e capital em troca de apoio político facilitando a usurpação dos bens do ESTADO.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *