Início » Brasil » PF levou anotações sigilosas de Dirceu sobre governo
Coluna Esplanada

PF levou anotações sigilosas de Dirceu sobre governo

São os rascunhos iniciais da autobiografia que ele prepara, com foco na sua atuação no Palácio do Planalto e na sua relação com o ex-presidente Lula

PF levou anotações sigilosas de Dirceu sobre governo
José Dirceu foi preso nesta segunda em Brasília, pela Polícia Federal, na 17ª fase da Operação Lava Jato (Fonte: Reprodução/José Cruz/Agência Brasil)

Agentes da Polícia Federal levaram numa caixa um caderno de anotações de próprio punho, de José Dirceu, na operação de busca e apreensão na casa do ex-ministro ontem, no Lago Sul em Brasília. São os rascunhos iniciais da autobiografia que ele prepara, com foco na sua atuação no Palácio do Planalto e na sua relação com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dirceu foi preso preventivamente na nova fase da Lava Jato e o principal procurador da investigação revelou que o alvo é a atuação do petista desde o seu período no Planalto até o lobby para empreiteiras do esquema do petrolão.

Estrela sem brilho

Quem conhece Dirceu e sabe da autobiografia em gestão diz que o teor, por ora, não chega a ser bombástico. Mas revela situações que podem constranger o PT.

‘Me abandonaram!’

Dirceu revelou a amigos que o visitaram há duas semanas em sua casa que está ‘muito magoado’ com Lula e Dilma. ‘Eles me abandonaram!’, frisou numa das frases.

Apostas

Não se descarta que Dirceu entre em delação premiada. Apaixonado pela nova esposa e pela filhinha, ele pode não suportar a cela e a iminência de nova condenação.

Advogada na mira

Há uma informação não revelada na decisão da advogada Beatriz Catta Preta de deixar a profissão, e abandonar a defesa de cinco clientes que fizeram delação premiada na Lava Jato. Ela teme ser espionada pela Kroll, a famosa e melhor empresa de investigação particular do mundo. A empresa foi contratada por R$ 1 milhão por Eduardo Cunha.

Espionagem geral

O presidente da Câmara, alvo das críticas veladas de Catta Preta por intimidação via CPI da Petrobras, contratou a Kroll para levantar as contas secretas dos acusados no petrolão. Mas o contrato é sigiloso. Daí a suspeita de que a investigação particular pode se estender a quem Cunha apontar como inimigo. Detalhe: o pagamento é da Câmara.

Os Gomes

Os irmãos ex-ministros Cid e Ciro Gomes vão se filiar ao PDT no próximo dia 17. Eles já avisaram ao PROS, em reunião de parte da executiva, e tiveram a garantia do presidente do PDT, Carlos Lupi, de controlarem o diretório (ou parte) no Ceará.

Primos

Um detalhe da independência do Judiciário. Quem assinou o mandado de busca nos imóveis do senador Collor foi o primo Marco Aurélio, ministro indicado por ele ao STF.

Revolta petista

O ex-senador Saturnino Braga (PT-RJ), amigo de Dirceu, reclama da prisão: “Ele já se encontrava preso pela pena do mensalão, não fugiria, pois está sob a guarda do Estado”.

Site petista

A PF e o MPF cercam o portal petista Brasil 247, notório por atacar a imprensa livre desde que fundado. O delator Milton Pascowitch disse que entregou R$ 120 mil do petrolão ao editor do site. A PF investiga se há ligação da empresa com Delúbio Soares.

E aí, OAB?

Dirceu foi preso pela segunda vez, é alvo de duas grandes investigações, condenado e apenado, e mantém a carteirinha de advogado da OAB, contrariando os bons preceitos da classe. Um processo que pede a cassação dormita na entidade há 18 meses.

Dividindo holofotes

Antes reclusos, os delegados da PF começaram a protagonizar os anúncios e coletivas da Lava Jato num acordo amigável com os procuradores. Nota-se a maior aparição deles nas TVs. As classes disputam no Congresso leis pelo controle de inquéritos.

Salto de Trabuco

Funcionário de carreira do banco, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, ganhou pontos com a família Brandão com a compra do HSBC Brasil. Meses atrás, ele teve a melhor notícia da vida. A família banqueira o convocou e avisou que ele vai assumir a presidência do Conselho da holding em breve.

‘Fora’ na amiga

Por isso ele recusou convite de Dilma para assumir o Ministério da Fazenda. Trabucco é queridinho da presidente e era sua primeira opção para o cargo.

Intensivão do caos

Bancas de advogados tributaristas já oferecem pela internet cursos (presenciais) sobre as reduções da desoneração da folha de pagamento, que nem passou ainda no Congresso.

Ponto Final

“Os crimes de lesa pátria na operação Lava a jato devem ser esclarecidos, pois muitos que foram condenados anteriormente no caso do Mensalão não tiveram tratamento tão rigoroso”.
Deputado estadual Paulo Ramos (PDT-RJ)

Com Equipe DF, SP e Nordeste

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *