Início » Brasil » PF prende dez brasileiros que preparavam ato terrorista durante as Olimpíadas
TERRORISMO NAS OLIMPÍADAS

PF prende dez brasileiros que preparavam ato terrorista durante as Olimpíadas

Operação é a primeira a efetuar prisões por suspeita de terrorismo às vésperas das Olimpíadas

PF prende dez brasileiros que preparavam ato terrorista durante as Olimpíadas
Ministro da Justiça citou 'atos preparatórios' como justificativa para as prisões (Foto: Reprodução/Twitter/SITE Intel Group)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta quinta-feira, 21, a 15 dias das Olimpíadas no Rio, um grupo de dez brasileiros que preparava ações terroristas durante os Jogos. As prisões aconteceram em dez estados e são as primeiras com base na Lei Antiterrorismo, sancionada pela presidente afastada Dilma Rousseff em março. O líder do grupo é de Curitiba, no Paraná.

Em uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, salientou que o grupo fez apenas um contato pela internet com o Estado Islâmico no exterior, através do qual os membros juraram lealdade ao grupo extremista. A partir deste contato, o ministro explicou que houve uma organização, ou “atos preparatórios” para que fossem iniciados treinamentos de artes marciais e se buscasse financiamento no Brasil.

A maioria dos suspeitos não se conhecia pessoalmente. Dois deles têm antecedentes penais. Um dos suspeitos teria entrado em contato com um site de armas clandestinas no Paraguai, o que a PF caracterizou como um “ato preparatório”. Não há informações de que ele teria conseguido adquirir qualquer tipo de armamento, mas mensagens entre membros do grupo transmitidas através dos aplicativos de mensagens por celular Telegram e Whatsapp indicavam que ele tinha a intenção de adquirir um fuzil AK-47.

Mensagens trocadas pelo grupo também comemoraram o ato de terrorismo em Nice e outros atribuídos ao Estado Islâmico no exterior. Nas mensagens, os membros argumentaram que, embora o Brasil não faça parte da coalizão contra o Estado Islâmico, em virtude das Olimpíadas o país passaria a ser alvo, embora nenhum alvo específico tenha sido mencionado.

Manual do terror

As prisões ocorreram no mesmo dia em que o Estado Islâmico (Isis) e outros grupos jihadistas lançaram um manual para seus seguidores sobre como realizar atentados terroristas durante as Olimpíadas. De acordo com o SITE Intelligence Group, consultoria especializada na atuação de grupos extremistas na internet, o Isis sugeria como alvo de ataques terroristas as delegações e visitantes dos EUA, Inglaterra, França e Israel e recomendaram métodos como o uso de aviões-robô com pequenos explosivos, acidentes de trânsito e o uso de veneno e medicamentos.

Segundo uma análise feita pelo SITE, essas formas de terrorismo foram disseminadas em inglês por meio do aplicativo de mensagens Telegram. O aplicativo tem sido usado frequentemente para estimular a ação de “lobos solitários”, e em junho, o Isis criou o primeiro canal de disseminação de propaganda jihadista em português, voltado para o público brasileiro.

Uma das orientações dos jihadistas dadas aos seus seguidores foi de se abrigar nas favelas do Rio de Janeiro, onde a criminalidade é disseminada,  e usar a “porosa fronteira” com o Paraguai para conseguir transportar armas para o Brasil. A SITE aponta que a recente postagem dos extremistas sobre as Olimpíadas destaca que “vistos, entradas e viagens para o Brasil serão fáceis de obter”.

 

Fontes:
Estado de S. Paulo-Estado Islâmico sugere formas de disseminar o terror no Jogos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Carlos U Pozzobon disse:

    A prisão preventiva ajuda na distensão do clima para o evento das Olimpíadas, mas não é suficiente sem as provas e o devido processo penal. Além do mais, espero que a PF não esteja colocando junto suspeitos que não se conhecem, facilitando a organização de células na prisão, como ocorreu no Iraque.

  2. Fernando Feitosa disse:

    Fala sério. Respeito muito a PF. Mas se prestar a um pastoril desse. Pelo que foi exposto não vejo nada prata prisão. Foi mais um ato pasta a mídia. Se contatos e conversas fossem motivo pasta prisão o congresso estária vazio.

  3. Beraldo disse:

    A propósito deste assunto, Ministro da Justiça(?) Fernando Moraes e o da Defesa(?) Raul Jungman, são medíocres ao extremo.

    Numa disputa de quem é o mais medíocre, pesa a favor do Jungman o fato de ser mero intermediário entre os comandantes das três armas com o Presidente Golpista e a Mídia. Garotinho de recado.

    Parada dura, porque o Moraes já apresentou suas credenciais, enquanto Secretário de Segurança pública do Estado de São Paulo. Falastrão ridículo.

    Indicados politicamente, empolgados, não sabem a que vieram e desatam a falar bobagens.

    Será que o pilantra do Temer não tinha nada melhor do que eles para nomear? Aliás, para aceitar as indicações?

    Nada como um dia depois do outro.

    Ficam empatados

  4. Rosangela Machado disse:

    Boa noite,

    Até agora, 19:43 h eu não recebi a edição de hoje. Existe algum motivo especial ?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *