Início » Brasil » PF prende líderes de seita evangélica por trabalho escravo
Operação De Volta para Canaã

PF prende líderes de seita evangélica por trabalho escravo

Os dirigentes também convenciam os fiéis a doarem seus patrimônios. Os investigadores estimam que a seita tenha recebido mais de R$ 100 milhões

PF prende líderes de seita evangélica por trabalho escravo
A ação faz parte da Operação De Volta para Canaã (Foto: Reprodução/Polícia Federal)

Nesta segunda-feira, 17, a Polícia Federal prendeu líderes de uma seita evangélica suspeitos de escravizar fiéis. Os presos vão responder pelos crimes de redução de pessoas à condição análoga a de escravos, tráfico de pessoas, estelionato, organização criminosa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. A ação faz parte da Operação De Volta para Canaã.

Segundo as investigações, os dirigentes da seita Jesus, a Verdade que Marca estariam mantendo pessoas em regime de escravidão nas fazendas onde desenvolviam suas atividades e rituais religiosos. Ao ingressarem na seita, os fiéis eram convencidos a doar seus bens para conviver em uma comunidade onde “tudo deveria ser de todos”, além de serem obrigados a trabalhar sem qualquer espécie de pagamento. Os investigadores estimam que o patrimônio recebido em doação dos fiéis chegue a pouco mais de R$ 100 milhões. Segundo a PF, parte do valor teria sido convertido em ‘grandes fazendas, suntuosas casas e veículos de luxo’.

A PF informou que a Operação de Volta a Canaã, que conta com 190 policiais federais e abrange os estados de Minas Gerais, Bahia e São Paulo, dá continuidade a investigações iniciadas em 2011, que levaram à deflagração da Operação Canaã em 2013. Durante as investigações da época, um esquema de exploração do trabalho humano e lavagem de dinheiro por dirigentes e líderes religiosos foi identificado.

Fontes:
O Estado de S. Paulo-PF prende líderes de seita religiosa que teriam escravizados fiéis
PF-PF desarticula seita religiosa que submetia fiéis a trabalho escravo
G1-Polícia Federal faz operação contra seita suspeita de trabalho escravo

2 Opiniões

  1. Áureo Ramos de Souza disse:

    PRIMEIRO EXISTE MUITOS POLÍTICOS QUE INVENTARAM NOMES BÍBLICOS E CONSTRUIRÃO SUAS IGREJAS PARA ENGANAR AOS POBRES E RICOS TAMBÉM ( como ´é o caso) e Segundo: O ministério Público Federal deveria fazer com que estas falsas religiões pagassem imposto como todos nós pagamos pois não são nada Organização Não governamental, são sim um bando de ladrão.

  2. Isam disse:

    Esquema semelhante ao que foi desenvolvido pelo lider da Igreja Universal e muitos outros que procedem praticamente a lavagem cerebral!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *