Início » Brasil » PF indicia quatro candidatas do PSL
CANDIDATURAS DE FACHADA

PF indicia quatro candidatas do PSL

Além das candidatas, também foram indiciados dois assessores e um ex-assessor do ministro do Turismo, suspeitos de envolvimento em candidaturas de fachada

PF indicia quatro candidatas do PSL
As quatro mulheres que teriam sido candidatas de fachada pelo PSL também foram indiciadas (Fotos:Roberto Castro/Mtur)

A Polícia Federal (PF) indiciou na última segunda-feira, 1, sete pessoas suspeitas de envolvimento em um esquema de candidaturas de fachada do PSL nas eleições de 2018, em Minas Gerais. Entre os indiciados estão dois assessores e um ex-assessor do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Na última semana, foram presos o assessor especial Mateus Von Rondon, o assessor Roberto Silva Soares e o ex-assessor Haissander Souza de Paula. Os acusados, porém, foram soltos na última segunda-feira, quando o pedido de prisão preventiva não foi renovado.

Além deles, também foram indiciadas as quatro mulheres que afirmaram à PF que foram usadas como candidatas de fachada pelo PSL de Minas Gerais. São elas as ex-candidatas: Camila Fernandes, Lilian Bernadino, Débora Gomes e Naftali Tamar.

Todos os acusados respondem pelos crimes de falsidade ideológica eleitoral, emprego ilícito do fundo eleitoral e associação criminosa. O caso coloca ainda mais pressão sobre o ministro Marcelo Álvaro Antônio, que já foi acusado de chefiar o esquema das candidaturas de fachada.

No entanto, o presidente Jair Bolsonaro deve esperar as investigações serem concluídas para decidir se vai exonerar o chefe da Pasta, como informou o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, na última segunda-feira.

“O presidente mantém sua decisão de aguardar a finalização da apuração da Polícia Federal para então, a partir dessa finalização, tomar as decisões que são naturais a quem lidera o poder Executivo”, afirmou o porta-voz.

Por sua vez, o Ministério do Turismo informou, através de uma nota, que vai abrir um processo administrativo para apurar o caso. No entanto, ressaltou que, caso as irregularidades tenham ocorrido, aconteceram em 2018, não tendo relação direta com a Pasta.

Leia mais: Ministro teria chamado candidata do PSL para ser laranja 
Leia também: Candidatas receberam verbas do PSL às vésperas das eleições

Fontes:
G1-PF indicia assessores do ministro do Turismo e candidatas que teriam sido usadas como laranjas pelo PSL em MG
Estadão-Bolsonaro vai aguardar investigação da PF para decidir sobre ministro do Turismo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *