Início » Brasil » Planalto bate recorde de gastos secretos com cartões corporativos
Governo Dilma

Planalto bate recorde de gastos secretos com cartões corporativos

Despesas atingiram R$ 6,5 milhões até novembro. Valor já superou em 9,2% os R$ 5,9 milhões registrados em 2013

Planalto bate recorde de gastos secretos com cartões corporativos
Gastos secretos não são discriminados (Fonte: Reprodução/Folhapress)

Um levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo revelou que os gastos secretos feitos com cartões corporativos da Presidência da República bateram o recorde do governo Dilma.

As despesas atingiram R$ 6,5 milhões até novembro. O valor já superou em 9,2% os R$ 5,9 milhões registrados em 2013. Em 2012 os gastos somaram R$ 4,6 milhões, e, em 2011, R$ 6,1 milhões — os valores já foram corrigidos pelo IPCA.

O uso dos cartões corporativos inclui despesas como compra de materiais, prestação de serviços e abastecimento de veículos oficiais. Estes tipos de gastos estão disponíveis no Portal da Transparência. Já os gastos secretos, que incluem despesas consideradas de segurança nacional, não são discriminados.

As despesas sigilosas da Presidência são gerenciadas pela Secretaria de Administração. O Planalto não informou quantos funcionários utilizam o cartão na Presidência e se há limite de gastos.

A reportagem não incluiu gastos ligados a ministérios, secretarias, empresas públicas, agências e controladorias, uma vez que estes órgãos têm cartões próprios.

As despesas dos cartões corporativos de todo o governo federal vêm, no entanto, diminuindo nos quatro anos de gestão da presidente Dilma. Até novembro os gastos chegaram a R$ 46,3 milhões. Já no ano passado as despesas foram de R$ 65,5 milhões. Em 2012, R$ 66,9 milhões, e, em 2011, R$ 69,5 milhões.

Em 2008, o uso dos cartões corporativos gerou diversas denúncias contra o primeiro escalão do governo Lula. Na época, o Senado criou uma CPI exclusiva para investigar cartões corporativos.

Fontes:
Folha de S.Paulo - Gastos secretos com cartões do Planalto batem recorde

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *