Início » Brasil » Plano de saneamento deve atrasar pelo menos 20 anos
ESTUDO DA CNI

Plano de saneamento deve atrasar pelo menos 20 anos

Estudo da CNI revelou que, no ritmo atual, a universalização de serviços de saneamento básico no país será alcançada apenas após 2050

Plano de saneamento deve atrasar pelo menos 20 anos
Falta de saneamento básico prejudica desde o sistema de saúde às empresas (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) revelou que, no ritmo atual, a universalização de serviços de saneamento básico no Brasil será alcançada apenas após 2050.

Leia também: O impacto do saneamento básico na saúde pública

Isto significa que o plano de saneamento — coleta de esgoto e rede de água — deverá atrasar mais de 20 anos, de acordo com o prazo previsto no plano oficial do governo federal.

O estudo da CNI foi baseado em dados oficiais sobre andamento de obras do setor.

Para cumprir a a meta estabelecida pelo governo no Plano Nacional de Saneamento Básico seria preciso dobrar os gastos.

Ainda de acordo com a CNI, a principal culpada pelo baixo desempenho do setor é a burocracia.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Ilana Ferreira, analista de políticas e indústria da CNI, ressalta que “o município faz um projeto para saneamento, mas demora 22 meses para que o governo libere o recurso. Num ambiente urbano dinâmico, esperar 22 meses significa ter que pensar tudo de novo”.

A falta de saneamento básico prejudica desde o sistema de saúde, que fica mais sobrecarregado, às empresas, que enfrentam mais ausências no trabalho por causa dos funcionários doentes.

O estudo da CNI mostra ainda que entre 1996 e 2006 o Brasil conseguiu sair de 40% para 48% de domicílios com rede de esgoto, chegando a 58% entre 2007 e 2013.

Já em relação à rede de água, o país saiu de 76% para 84% de domicílios atendidos entre 1996 e 2006, chegando a 85% entre 2007 e 2013.

A meta estabelecida pelo governo no Plano Nacional de Saneamento Básico era chegar a 2023 com a universalização do serviço de água e em 2033 com o de esgoto. No ritmo atual, no entanto, a CNI prevê que isso só será possível em 2043 e 2053, respectivamente.

Em nota, o Ministério das Cidades afirmou que o andamento do plano acontece “dentro dos parâmetros adequados”, e que os atrasos podem ser recuperados em momentos de retomada de crescimento.

Fontes:
Folha de S.Paulo - Plano de saneamento do Brasil vai sofrer atraso de pelo menos 20 anos

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *