Início » Brasil » PM e ex-PM são presos suspeitos pela morte de Marielle Franco
VEREADORA DO RIO

PM e ex-PM são presos suspeitos pela morte de Marielle Franco

Assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes completam um ano nesta semana 

PM e ex-PM são presos suspeitos pela morte de Marielle Franco
Investigadores afirmam que PM reformado pesquisou na internet sobre a rotina da vereadora (Fonte: Reprodução/CMRJ)

Policiais Civis e o Ministério Público do Rio de Janeiro prenderam no início da manhã desta terça-feira, 12, um policial militar reformado e um ex-policial militar por envolvimento nos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

De acordo com a força-tarefa que levou à Operação Lume, que começou às 4h, Ronnie Lessa, de 48 anos, e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, de 46 anos, participaram das mortes da vereadora e do seu motorista em março do ano passado, no Centro do Rio de Janeiro.

Segundo a denúncia, Lessa é o autor dos 13 disparos que mataram Marielle e Anderson; e Queiroz era o motorista do carro, um Cobalt, que perseguia o veículo da vereadora.

A investigação ainda não apontou, entretanto, quem foram os mandantes e o motivo do crime. Há também em curso mandados de busca e apreensão contra os denunciados. Também haverá ao longo desta terça-feira buscas em mais de 30 endereços de outros suspeitos de participação no crime.

O PM reformado Ronnie Lessa foi preso em sua casa, na Barra da Tijuca, no mesmo condomínio onde o presidente Jair Bolsonaro tem uma casa. Já um perfil nas redes sociais atribuído ao ex-PM Élcio Queiroz postou uma foto de Queiroz com Bolsonaro, às vésperas das eleições de 2018.

A denúncia ressalta que “é inconteste que Marielle Francisco da Silva foi sumariamente executada em razão da atuação política na defesa das causas que defendia”.

Promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado afirmam que o assassinato de Marielle Franco, que completa um ano nesta quinta-feira, 14, foi planejado durante três meses.

Ainda de acordo com os investigadores, Ronnie Lessa pesquisou na internet sobre a rotina da vereadora e também pesquisava, desde outubro de 2017, sobre o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL). O PM reformado também teria feito pesquisas sobre o general Braga Netto, então interventor na segurança pública do Rio de Janeiro, e sobre a submetralhadora MP5.

Durante a coletiva de imprensa de apresentação dos fatos sobre a investigação dos assassinatos, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, admitiu que os detidos poderão ter direito à delação premiada.

“É uma resposta importante que nós estamos dando para a sociedade: a elucidação de um crime bárbaro cometido contra uma parlamentar, uma mulher, no exercício de sua atividade democrática. Teve sua vida ceifada de forma inaceitável. Mas muito mais ainda inaceitável porque estava exercendo seu mandato”, afirmou Witzel, segundo noticiou o portal G1.

Fontes:
G1 - Polícia e MP prendem PM reformado e ex-PM suspeitos pelos assassinatos de Marielle e Anderson

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *