Início » Brasil » Poderia o Brasil mediar a crise na Venezuela?
Mediação estrangeira

Poderia o Brasil mediar a crise na Venezuela?

Em 2003, quando Hugo Chávez sofreu a tentativa de deposição, Brasil criou o 'Grupo de países amigos da Venezuela'. Talvez uma nova mediação brasileira seja o que a Venezuela necessita

Poderia o Brasil mediar a crise na Venezuela?
Governos de esquerda do Brasil sempre apoiaram a Venezuela, mesclando ideologia e oportunidade de negócios (Reprodução/AP)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A situação na Venezuela necessita urgentemente de um interlocutor internacional. Mas com o país se isolando cada vez mais, quem poderia assumir essa função? O governo venezuelano já deixou claro que o fato dos Estados Unidos fazerem parte da Organização dos Estados Americanos (OEA) torna impossível qualquer intervenção do órgão.

Leia também: Venezuela corta relações com Panamá

Poderia o Brasil assumir o papel de mediador dos conflitos internos venezuelanos? Em 2003, quando o governo de Hugo Chávez foi abalado pela tentativa de golpe, o Brasil criou o “Grupo de países amigos da Venezuela”. Talvez uma nova mediação brasileira seja o que a Venezuela necessita. Os governos de esquerda do Brasil sempre apoiaram a Venezuela, mesclando ideologia e oportunidade de negócios.

Mas para isso é preciso quebrar o silêncio imposto pelo mantra da “não intervenção”, política que tem feito vários países latino-americanos desviarem o olhar da situação na Venezuela. No mês passado, a presidente Dilma Rousseff disse concordar com essa postura.

Mas o Brasil somente concorda com o silêncio quando a situação está de acordo com seus interesses. O país já interviu na política de países vizinhos em outras ocasiões, como em 2012, quando condenou o impeachment do presidente paraguaio Fernando Lugo. Em 2009, o país também havia se envolvido em outro impasse diplomático ao oferecer apoio ao presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya.

O governo brasileiro diz estar “trabalhando nos bastidores” para convencer Nicolás Maduro a ser mais moderado. Mas, se isso for verdade, não está dando certo. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso estava correto quando afirmou que “o Brasil jamais será reconhecido como potência se continuar paralisado em uma região na qual tem influência direta”, no caso, a América Latina.

No próximo dia 11 de março, Maduro estará presente na cerimônia de posse da nova presidente do Chile, Michele Bachelet. Será o momento ideal para o Brasil assumir o posto de mediador e lançar os esforços para trazer a paz de volta à Venezuela.

Fontes:
The Economist-A test of political maturity

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Carlos U Pozzobon disse:

    O problema da Venezuela não se resolve por negociação: somente a saída de Maduro do poder, com a chegada de um novo presidente poderá resolver o conflito. A gravidade da situação implica em colocar como árbitro um país que não esteja comprometido com o fracasso do bolivarianismo. O que torna o Brasil inviável como mediador é seu envolvimento ideológico com o país que produziu o maior economicídio no Ocidente, a ponto de causar uma inflação de 50%, uma desvalorização cambial insuportável e desabastecimento e escassez, criando filas monstruosas para acesso a cesta básica. Com este panorama, e seu agravamento cada vez maior, dada a natureza intransigente e filocubana do regime, somente um governo não bolivariano poderia refazer o colapso atual da economia venezuelana. Mas este só será possível com uma revolução armada. A Venezuela é uma ditadura, e ditadores não descem do poder por eleições. Aliás, Maduro já fraudou-as em 2012. E de usurpador passou a tirano. A única coisa que o Brasil pode fazer é mirar-se na Venezuela de hoje e mudar de governo em outubro, antes que seja tarde.

  2. walter silveira de assis disse:

    Não, todo Brasil sabe que este Governo Petista é alinhado ideologicamente com o Chavismo,portanto não tem independencia soficiente para sugerir nenhuma proposta Democrática para os cnflitos internos da Venezuela. Lá quem tem o Dominio são os Irmãos Castros.

  3. Áureo Ramos de Souza disse:

    Brasil mediador de conflitos, me poupem, o Brasil não mediar os seus como pode mediar conflitos dos outros, a era Lula é passado e não tem mais cacife para nada, veremos nas urnas biométricas isto é sem kits.

  4. Joma Bastos disse:

    Mediar o quê e com quem?
    Os irmãos castro desejam que a Venezuela e o Brasil vivam em autocracia, porque estes países são os únicos no momento que garantem o equilíbrio das contas públicas de Cuba!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *