Início » Brasil » Polícia do Ceará prende mais de 200 pessoas
ONDA DE ATAQUES

Polícia do Ceará prende mais de 200 pessoas

Onda de violência no Ceará chegou ao oitavo dia nesta quinta-feira, 10. Ataques tiveram como estopim a nomeação de secretário de Administração Penitenciária conhecido por atuação rígida

Polícia do Ceará prende mais de 200 pessoas
O policiamento continua reforçado em locais estratégicos (Foto: Agência Brasil/José Cruz)

A onda de violência no Ceará chegou ao oitavo dia nesta quinta-feira, 10. Segundo informou o governador do estado Camilo Santana (PT-CE), 215 pessoas já foram presas por envolvimento nos ataques criminosos.

Os crimes envolvem disparos contra postos policiais e outros estabelecimentos, ataques com bombas caseiras, ateamento de fogo em ônibus e coação de comerciantes donos de estabelecimentos para que estes mantenham as portas fechadas.

Na última terça-feira, 8, uma concessionária de veículos foi alvo de ataques. Um homem em uma moto atirou diversas vezes no local. Uma vidraça foi quebrada e caminhonetes que estavam no pátio ficaram danificadas.

Na mesma noite, explosivos foram apreendidos no Morro de Santiago e, segundo a Polícia Militar, criminosos tentavam explodir uma ponte para dificultar o acesso ao bairro. Um homem suspeito de envolvimento na ação foi preso e encaminhado à Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas.

Na manhã desta quinta-feira, 10, um grupo de criminosos ateou fogo a uma creche no município de Caucaia, região metropolitana da capital Fortaleza, utilizando coquetéis molotov. Móveis da unidade escolar foram destruídos, mas os seguranças conseguiram apagar o incêndio. A creche estava vazia e não houve registro de feridos.

A onda de violência no estado teve início após a nomeação de Luís Mauro Albuquerque como novo secretário de Administração Penitenciária do estado, cargo criado no segundo mandato do governador Camilo Santana. Conhecido pelo rigor de sua atuação, ele firmou o compromisso de aumentar a fiscalização para impedir a entrada de celulares em presídios, bem como endurecer as regras do sistema carcerário atual.

Quem é Luís Mauro Albuquerque

Natural de Brasília, Luís Mauro Albuquerque, de 50 anos e atua na área de segurança pública desde o 19 anos, quando ingressou na Polícia Militar do Distrito Federal. Ele atuou também na Polícia Civil do DF e, posteriormente, da Polícia Civil de Custódia, onde foi responsável por elaborar doutrinas de intervenção em prisões em casos de rebeliões, que foram adotadas até mesmo pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Em 2017, Luís Mauro Albuquerque fixou residência no Nordeste, após assumir o comando do sistema penitenciário do Rio Grande do Norte em maio daquele ano. Ele chegou ao posto em um período conturbado, em meio a uma onda de rebeliões em presídios do estado. Na época, quatro secretários já haviam passado pelo cargo em menos de dois anos.

Albuquerque implementou uma gestão linha-dura, que excluiu a divisão detentos por facções e implementou rigorosas rotinas de inspeção, nos moldes das feitas em presídios federais. A princípio, as medidas levaram a rebeliões me presídios do estado, o que, posteriormente, acabou sendo controlado.

Em janeiro deste ano, mesmo diante do convite da governadora do RN, Fátima Bezerra (PT-RN), para permanecer no cargo, ele decidiu aceitar o convite do governador Camilo Santana (PT-CE) para comandar a Administração Penitenciária do Ceará. Sua ida para o estado, no entanto, desagradou líderes de facções criminosas, que determinaram em represália o início da onda de ataques.

Fontes:
Agência Brasil-Governador atualiza para 215 o número de presos no Ceará
Estadão-CE registra mais 11 ataques; presos são transferidos para penitenciária federal

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *