Início » Brasil » Polícia Federal faz buscas na sede da Petrobras
Operação Lava-Jato

Polícia Federal faz buscas na sede da Petrobras

Objetivo da segunda fase da operação Lava-Jato é reunir provas da sociedade entre o doleiro Albert Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa

Polícia Federal faz buscas na sede da Petrobras
Foram cumpridos 23 mandados nas cidades de São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Macaé e Niterói (Reprodução/internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Polícia Federal esteve nesta sexta-feira, 11, na sede da Petrobras, no Centro do Rio, para executar mandados relacionados à segunda fase da Operação Lava-Jato, que investiga um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas suspeito de movimentar cerca de R$ 10 bilhões.

Leia também: PT decide ouvir André Vargas
Leia também: André Vargas renuncia à vice-presidência da Câmara

Ao todo, foram cumpridos 23 mandados nas cidades de São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Macaé e Niterói: dois de prisão temporária, seis de condução coercitiva (quando o suspeito é levado para prestar depoimento), além de 15 de busca e apreensão de documentos.

Na sede da Petrobras, no Rio, as buscas foram iniciadas às 10 da manhã, quando agentes foram recebidos pela presidente da estatal, Graça Foster, que colaborou na entrega de documentos. Além da estatal, também está na mira das investigações a empresa Ecoglobal Ambiental, sediada em Macaé, que mantém grandes contratos com a Petrobras, alguns sem licitação, bem como sua filial americana, EcoGlobal Overseas.

Preso no último dia 20, o ex-diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa, um dos responsáveis pela elaboração do contrato para a compra superfaturada da refinaria de Pasadena, nos EUA, seria sócio do doleiro Alberto Yousseff na EcoGlobal Ambiental. Youssef é apontado como um dos líderes da organização criminosa que operava dentro da estatal. Ele foi preso no dia 17 de março, quando a operação Lava-Jato foi deflagrada, acusado de lavar dinheiro de propinas de fornecedores da petroleira. O esquema envolve pelo menos quatro outros doleiros.

A documentação apreendida pela polícia nesta sexta-feira deve auxiliar ainda na investigação de outros negócios de Youssef ligados à Labogen, instituição que chegou a fechar contrato com o Ministério da Saúde.

Fontes:
Folha de S. Paulo-PF faz buscas na sede da Petrobras em operação contra lavagem de dinheiro
O Globo-PF diz que Petrobras colaborou com investigações e não precisou utilizar mandados expedidos
Estadão-PF faz buscas na sede da Petrobrás

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Rafael Sarnelli Lopes disse:

    “agentes foram recebidos pela presidente da estatal, Graça Foster, que colaborou na entrega de documentos.” Sabem qual o nome disto? Direcionamento de investigação – o mordomo é sempre o culpado!!! É, MAIS UMA VEZ, o PT fraudando as investigações.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *