Início » Brasil » Polícia Federal investiga desvio de dinheiro na Saúde
Operação Frota

Polícia Federal investiga desvio de dinheiro na Saúde

O contrato estaria superfaturado e previa desvio de valor para o ex-ministro Alexandre Padilha, candidato ao governo de São Paulo

Polícia Federal investiga desvio de dinheiro na Saúde
Alexandre Padilha pode ter recebido 15% do valor do contrato, o que seria usado em campanha eleitoral (Reprodução/IG)

A Polícia Federal investiga superfaturamento de contrato de locação de automóveis para o Ministério da Saúde e desvio de dinheiro para a campanha de Alexandre Padilha ao governo de São Paulo, por meio da Operação Frota. O empresário Alan Diniz afirmou envolvimento do ex-ministro Padilha e de assessores no esquema.

Diniz informou ao Ministério Público que a licitação teria sido dirigida e que parte do dinheiro seria desviada para campanha de Padilha, candidato do PT ao governo de São Paulo. O depoente era sócio da San Marino, empresa que venceu a licitação. O edital teria sido alterado de forma a beneficiar a empresa.

Diniz entrou no negócio como sócio-investidor, ou seja, fornecendo recursos para compra dos carros que seriam alugados para o ministério. Ele contou que desistiu de participar quando descobriu que era uma fraude. O empresário afirmou ainda que o contrato superfaturado previa um desvio de 15% do valor para o então ministro Padilha. O destino do dinheiro teria sido revelado por Beatris Gautério de Lima, que era consultora do ministério.

Segundo a revista Veja, o empresário entregou documentos à Justiça que provariam que a licitação foi confeccionada fora das dependências do ministério e deu os nomes dos envolvidos.

Padilha negou as acusações. “Essa acusação é absurda e carece de indícios mínimos que possam sugerir meu envolvimento no caso. Trata-se de uma licitação cuja responsabilidade era da coordenadoria do Distrito Sanitário Especial Indígena do Estado da Bahia e, quando as irregularidades foram detectadas pelo Ministério da Saúde, todas as medidas cabíveis foram tomadas por minha direta determinação”, afirmou o petista.

O empresário Dácio Maria de Lacerda, dono da San Marino, negou que tenham ocorrido irregularidades. Beatris Gautério não foi encontrada.

Fontes:
Veja - Operação Frota: PF investiga desvio de dinheiro na Saúde

1 Opinião

  1. Joaquim Caldas disse:

    Escândalos no Brasil tornou-se parte do código da corrupção política,lastreada pela globalização elitista.
    OS GOVERNANTES DO PLANETA,Elite sionista e mais os G-8,dominam todas as Américas,fazendo escravizar os países democratas,através das dívidas ao FMI.Assim,estes garantem o financiamento das campanhas presidenciais,tornando os eleitos presidentes por indicação à prestarem seus mandatos à ordem mundial As eleições nestes países funciona como um engodo democrático,mas na verdade os indicados presidentes tornam-se obedientes as decisões desta ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL.Quem se atreve pelo contrário tem o fim idêntico: Tancredo Neves,Marcos Freire,Ulisses Guimarães,Castelo Branco,PC Farias e Eduardo Campos.É notório que só tem esse fim a oposição?A lei da anistia foi organizada pelos globalista,que infiltraram,novamente,os bandidos,corruptos,assaltantes e terroristas na política nacional.Salvem os militares.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *