Início » Brasil » Política » A água será causa de guerras
Artigo

A água será causa de guerras

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Esse mineral líquido, surgido no início da formação do planeta Terra, permitiu o aparecimento da vida na sua superfície. Os primeiros seres vivos que se estabeleceram no planeta há 3,8 bilhões de ano, iniciaram a sua existência nos oceanos primitivos. De bactérias e algas azuis unicelulares, evoluíram e se reproduziram ao longo do correr dos milhões de anos e se espalharam por todo o seu ambiente. Não pode existir vida sem a água, pelo menos desta forma conhecida. Esse precioso bem é indispensável à existência humana, tornando-se, portanto, imperiosa a sua economia, preservação e uso zeloso.

Apesar de ser o bem mais precioso para a humanidade, é tratada de forma negligente, sem salvaguarda da sua pureza e reservatórios naturais, não somente no Brasil, mas no mundo todo. O planeta Terra, por ter dois terços de sua superfície coberta pela água, distribuída nos oceanos, mares e rios, poderia apropriadamente ser chamado de planeta "Água" — sem mencionar a existente no subsolo. Esbanjando privilégios, o Brasil tem quase 15% da água doce do mundo não congelada, correndo na Amazônia, concedendo à região o status de reserva do mineral líquido do planeta para os vindouros mil anos. A situação torna-se mais dramática se for entendido que a água doce representa apenas 3% de toda a água que existe no planeta e que destes, menos de 1% pode ser utilizado. O restante cobre os picos das grandes cordilheiras, formam as geleiras polares e é subterrânea constituindo os aqüíferos, sendo que 90% dos 3% compõem o conglomerado branco do continente antártico.

Wikipédia

 

O planeta Terra com predominância da cor azul, representando 97,2%, dois terços, da sua cobertura em água, visto do espaço. No polo sul, de cor branca, está o continente antártico com suas geleiras.

 

 

A importância da água para os árabes e o descaso brasileiro

Em 1932, após conquistar a maior parte da península arábica com a ajuda dos guerreiros islâmicos de Muhabe, Iben Saud criou o reino da Arábia Saudita. Em 1933, a casualidade contribuiu para a descoberta de petróleo quando o objetivo de uma expedição americana era encontrar água, iniciando, então, a produção comercial com a autorização do rei, sendo formada em 1938, a primeira companhia entre a Arábia Saudita e os Estados Unidos (Arabian American Oil Company – ARAMCO).

A água para os países árabes é um problema dramático. Debaixo das areias do deserto, em busca constante de água, nas perfurações do solo, em vez de brotar o precioso líquido, jorra o petróleo, ao contrário do que ocorre no Brasil. Diversos países do Oriente Médio, entre eles Israel, Kuwait e Arábia Saudita, quando dão a sorte de encontrar água no subsolo, encontram-na salinizada, exigindo procedimento caríssimo para a dessalinização.

A foz do rio Amazonas, costa do Estado do Amapá, vem sofrendo captação da água por petroleiros estrangeiros no processo de contrabando internacional típico da hidropirataria. Isto ocorre nas barbas das autoridades brasileiras que não tomam a iniciativa de estabelecer rigorosa fiscalização na área. Para as empresas da Europa e do Oriente Médio, a água contrabandeada do rio Amazonas, embora no estado bruto, tem o custo do beneficiamento do metro cúbico mais barato do que o tratamento de retirada do sal da água obtida dos lençóis subterrrâneos e dos oceanos.

Wikipédia

 

Rios, a benção divina que os brasileiros ainda não souberam agradecer.

 

 

 

O contrabando da água brasileira

Missões religiosas, empresas multinacionais e pesquisadores estrangeiros têm contribuindo com interferências externas, coletas de dados e transporte da água brasileira para o exterior. Segundo publicação na revista Veja (edição 2036) de 26 de novembro de 2007, na seção "O apelo exótico da selva", página 106, foi veiculada a matéria "A guerra contra a água mineral". A revista afirma que a água mineral Equa é originária do meio da floresta amazônica brasileira e que passará a ser distribuída nos USA a partir de abril de 2008. Análises efetuadas em laboratórios americanos dão a essa água de origem amazônica como sendo a água mineral mais pura do mundo. Esta é mais uma questão que tem que ser bem avaliada pelo governo brasileiro.

O Brasil tem que sair da indifereça

É necessária uma tomada de decisão imediata. Ou assumimos a posse da Amazônia como território brasileiro ou a entregamos logo, sem pestanejar, para os países hegemônicos que a cobiçam e nos livramos de uma vez por toda deste problemão.

Que fique bem sabido que, se decidirmos pela sua integração à Federação, temos que investir maciçamente nas Forças Armadas, tanto em efetivos militares e equipamentos de guerra, para que possamos encarar qualquer tentativa de tomada da região pela força das armas desencadeada por forças internacionais coligadas invasivas. Porém, ainda resta a opção dos covardes e traidores: entregar a região aos cobiçosos países europeus e americano, e viver em paz, confortavelmente com a bolsa-Amazônia.

A guerra que a carência de água causará

Nos círculos de debates internacionais sobre os bens comuns, entre eles as florestas e a água doce, pode ser extraído futuras ingerências na Amazônia para gerenciamento da região por potências estrangeiras.

A Global Business Network, californiana, especializada em tendências de negócios, apontou o rio Amazonas como palco de guerra, em futuro próximo, por causa da água. Esta afirmação consta do relatório de 2004 encomendado pelo Pentágono.

O Brasil não está isento de guerra

Portanto, os brasileiros têm que romper o trato que sempre tiveram com a ilusão de que ser pacífico é garantia permanente de viver em paz. Os militares têm no pórtico de seus quartéis a máxima que garante a paz permanente: se queres a paz, prepara-te para a guerra (si vis pacem para bellum). Está na hora dos brasileiros conquistarem a verdadeira garantia de paz, investindo nos avançados equipamentos de guerra, tais como armamentos e submarinos nucleares, e preparo de ferozes guerreiros das três Forças Armadas, em consonância com o seu gigantismo e potencial de influência dirigidos à manutenção da paz na Humanidade.

Fontes:
19/07/07 - Darfur- Descoberta de água pode trazer paz
17/04/07 - Aquecimento global pode gerar conflitos armados

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Alvaro de Mesquita Sampaio disse:

    Enquanto os nossos políticos ficam pensando só nos Mensalões, Cartões Corporativos, Esmola Família, Venezuela e em se aproveitar do poder, os outros países vão fincando o pé na Amazonia, explorando suas riquezas e depois será praticamente impossível ter a soberania sobre ela.
    Acorda Brasil !!!!!

  2. Benedito Lacerda disse:

    Vamos vender água para todos!

  3. Glória Megumi Omori de Mendonça disse:

    Na atual conjuntura, o papel da "Educação" é fundamental para conscientizar, principalmente as crianças sobre a importância da água na vida de qualquer ser vivente.

  4. Eduardo disse:

    Vivi por 2 anos em Belém e falo com propriedade, o descaso que a população e o governo local tem com as águas e outros recursos naturais. Ali é terra de ninguém e sem lei. Muitos falam que a amazonia já não é mais nossa por lá. A maioria prefere viver a margem da lei. Por um engradado de cerveja você compra muita terra. O índio fica quieto por um litro de cachaça.
    Mas enquanto isso em Brasília …

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *