Início » Brasil » Política » A História do Brasil precisa ser reescrita?
Opinião

A História do Brasil precisa ser reescrita?

Grave é o ocultamento intencional ou a distorção proposital dos fatos históricos. Por Mario Guerreiro

A História do Brasil precisa ser reescrita?
É muito duro ver heróis nacionais transformados em farsas (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Por “reescrita”, é possível entender ao menos duas coisas: (1) reinterpretada, pois a maioria dos historiadores quando não faz uma abordagem do tipo ufanista, faz uma do tipo marxista. (2) Mas também se pode entender uma abordagem distorcedora e falsificadora dos fatos históricos, coisa mais grave ainda.

Alguns poucos jovens historiadores, como Eduardo Bueno e Leandro Narloch, voltaram-se para a tarefa de reescrever a História. Em sua obra:Guia politicamente incorreto da História do Brasil” (Leya, 2011) Narloch reescreve alguns capítulos numa visão liberal e fiel aos autênticos fatos.

Lendo esses e outros historiadores ficamos sabendo algumas coisas bastante interessantes, como, por exemplo, que a independência do Brasil, que até então teria sido feita em 7 de setembro de 1822 às margens do Ypiranga (SP) – conforme todos os livros de História – na realidade, foi feita nos últimos dias de agosto no Paço Imperial no Rio de  Janeiro.

Foi descoberto um documento oficial em que D.Pedro I declara a independência.

Quanto ao famoso brado varonil “Independência ou morte!”, este não passou de um gesto simbólico para acalmar paulistas inquietos.

Não houve nenhuma falsificação de documentos, nem mesmo ocultamento de fatos: apenas a mencionada declaração assinada por D.Pedro I permaneceu muitos anos desconhecida, ao passo que o brado do Ypiranga contou com diversas testemunhas oculares.

Menos grave! Coisas como essa não são infrequentes na labuta dos pesquisadores de fontes primárias. Mais grave é o ocultamento intencional ou a distorção proposital dos fatos históricos.

Recebi recentemente de um amigo internauta um e-mail contendo coisas estarrecedoras sobre um importante episódio da História do Brasil. O autor do texto é anônimo, coisa que concorre para aumentar a suspeita de que meu amigo – tendo desconhecimento ou não suspeitando de uma possível falsificação – passou adiante um fake, coisa infelizmente muito frequente na comunicação via Internet.

No entanto, o autor anônimo revela conhecimento da história ou ao menos ótimo conhecimento do episódio narrado por ele. Não só apresenta fatos dignos de confiança como também riqueza de detalhes na sua narrativa.

Outras coisas narradas são tão insólitas e estarrecedoras que geram inevitavelmente a suspeita de que se trata de uma falsificação muito bem elaborada.

No entanto, não podendo me certificar disso nem do contrário, faço como os antigos céticos gregos: suspendo meu juízo por não dispor de nenhuma boa razão a favor ou contra a fidedignidade da narrativa, reproduzida abaixo em trecho:

“Quem morreu no lugar dele foi um ladrão chamado Isidro Gouveia. A mentira que criou o feriado de 21 de abril é: Tiradentes foi sentenciado à morte e foi enforcado no dia 21 de abril de 1792, no Rio de Janeiro, no local chamado Campo da Lampadosa, que hoje é conhecido como a Praça Tiradentes.

Com a Proclamação da República, precisava ser criada uma nova identidade nacional. Pensou-se em eternizar Marechal Deodoro, mas o escolhido foi Tiradentes. Ele era de Minas Gerais, estado que tinha na época a maior força republicana e era um pólo comercial muito forte. Jogaram ao povo uma imagem de Tiradentes parecida com a de Cristo e era o que bastava: um ‘Cristo da Multidão’.”

Que dizer diante disso? É muito duro e decepcionante ver um grande herói nacional transformado em engenhosa farsa.

Supondo que seja uma falsificação, só podemos lamentar que o autor da mesma tenha assumido ares de historiador, quando na realidade é um excelente ficcionista do gênero romance histórico – criado por Sir Walter Scott no século XIX – pois sua estória (storyse non è vera, è molto ben’ trovata.

Mas, supondo que seja digno de confiança como relato histórico, só podemos aplaudir essas grandes desmitificação e desmistificação. E temos mais um exemplo que reforça nossa suspeita de que a História do Brasil precisa urgentemente ser toda reescrita.

Como na política, estamos fartos de ser engabelados por habilidosos homens na arte da patifaria!

Fontes:
Instituto Millenium - A História do Brasil precisa ser reescrita?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

24 Opiniões

  1. Antonio Campos Monteiro Neto disse:

    Na moderna historiografia, há o cuidado de se estabelecer a distinção entre o Passado e a História. História é o passado relatado, e para isso contribui a personalidade, o caráter, a ideologia, etc. do relator.

    A história de Tiradentes já era popular durante o Império. Basta ler “Um passeio pela Cidade do Rio de Janeiro”, de Joaquim Manuel de Macedo, de 1861, cujo relato é recheado de referências ao mártir da Independência, apesar de quem o condenou ter sido avó do Imperador.

    Já que D. Pedro I é citado no texto, é também oportuno citar que ele causou a morte de D. Leopoldina, acertando-lhe um chute na barriga, pela recusa da Imperatriz em apareceer numa recepção à Marquesa de Santos. Como era Imperador, estava acima da Lei na época.

  2. Jan disse:

    Há 40 anos atras ja ouvia esta historia sobre Tiradentes. Desde que Portugal precisou esconder a descoberta do Caminho das Indias temos o costume de criar uma historia “Oficial” e esconder a verdade. Acho importante sabermos que a historia oficial não é a unica e estarmos abertos a novas descobertas.

  3. Maria Tereza disse:

    É VERDADE QUE NÃO HOUVE “TIRADENTES NENHUM”? É VERDADE QUE TUDO FOI UMA FARSA PORTUGUESA E OS BRASILEIROS,COMO SEMPRE, PARA LEVAR ALGUM, ATESTARAM TAL ENGANAÇÃO? QUEM FOI NA VERDADE GETULIO VARGAS, O BOM OU VILÃO? OBRIGADA..MARIA TEREZA

  4. Carlos U. Pozzobon disse:

    Entre o descalabro e o escabroso, vamos reiterpretando a história a luz da diversidade de novos documentos disponibilizados: descalabro no governar e o escabroso no agir de certas personagens. Parece que nossa história vai se remendando a cada decênio, quando mais coisas vão aparecendo. Mas não lembro qual historiador disse que a história tinha que ser reescrita a cada 25 anos: a tendência de uma nova história despida de ufanismo e classicismo, vem se impondo a medida que mais conhecimentos vão iluminando o entendimento dos fatos e novas tendências de julgamento ganhando terreno.

  5. João Cirino Gomes disse:

    Se basearmos nas hipocrisias e mentiras mais deslavadas que vemos na politica, poderemos concluir o seguinte da independência!

    Notem bem, como tanto nossos políticos, como nossa história é mentirosa!

    O rei de Portugal não era pai de D Pedro?

    Supostamente Tiradentes foi enforcado por incentivar outros brasileiros a revolução, devido a cobrança de tributos!

    Acontece que depois de acalmarem os ânimos do povo por trinta anos, com o enforcamento de TIRADENTES em praça publica, a população voltou a ser incitada, reiniciando nova revolta contra Portugal, pelo mesmo motivo!

    Mas o Rei Portugal muito do esperto, logo imaginou uma saída; montaria um teatrinho onde molharia as mãos de uns e outros traidores do povo, e o filho proclamaria a independência!

    Esta sim, tem a cara de realidade de nossa história, que continua sendo mentirosa e ensinada nas escolas, para nossa vergonha!

  6. Áureo Ramos de Souza disse:

    São coisas que acontece e aqui em Pernambuco na Cidade do Cabo ensina-se nas escola que o Brasil foi descoberto na citada cidade, mas na historia do brasil diz que foi na Bahia e aí onde foi realmente descoberto? No cabo de Santo Agostinho onde está se construindo um grande estaleiro ou foi na Bahia, para tanto ex a questão?

  7. Jose Milton DeQuevedo disse:

    Pois é, são tantos fatos que precisam vir a tona
    para esclarecer à “Plebe-ignara” Os acontecimentos, que ocorreram na Terra de Vera Cruz e Pindorama.
    Os Chamados Herois da nação, que de herois ficam aquém das expectativas,não suportando a minima investigação Histórica. Tudo balela,mentiras,falsificações,estes pseudo-herois nunca passaram de bandidos inescrupolosos como os politicos de hoje.Que se abram todos os arquivos da nação aos pesquisadores sérios e verão quantos herois sobrarão para levantar estatuas.

  8. carlos alberto disse:

    Há estórias que a Historia não contam, devemos ficar atento a tudo que ouvimos e lemos. Veja bem, num movimento que envolvia pessoas mais influentes: comendadores,etc… como poderia um simples alferes ter assumido como lide? Realmente dá para desconfiar…

    Outras suspeitas também foram levantadas ao longo da história. Dizem que a princesa Isabel, só assinou a lei áurea, porque ficou triste com a morte de seu amante que era um escravo. Sem poder se manisfestar, devido a sua posição, aboliu os negros. Resolvendo assim um problema junto à Inglaterra, que queria a aboliçao, e vingando a morte do amado…

  9. João Cirino Gomes disse:

    Boa tarde caro colega CARLOS ALBERTO; Como sabemos: A liberdade dos escravos não ocorreu da noite para o dia!

    Acontece que, nossos irmão africanos guerreavam entre-si, e os que venciam estas guerras vendiam seus adversários aos navios negreiros, e estes os revendiam aos fazendeiros!

    Porem existia um custo! Os fazendeiros tratavam seus escravos como propriedade; e deviam alimenta-los e trata-los como hoje tratam um cavalo para que possam fazer o trabalho pesado em lavouras!

    Mas alguns pensantes da época notaram que; se libertassem os escravos e lhes dessem um salario irisório, eles mesmos teriam que trabalhar no pesados para se manterem!

    E foi partindo deste ponto de vista, que muitos concordaram em libertar os escravos: Pode notar que hoje, sem distinção de cor, ou raça; no Brasil, boa parte da população continua escravizada pelas altas taxas tributarias, falta de respeito por seus direitos e baixos salários!

    Nossa história como disse um dos colegas em seu comentário, precisa ser revista, para deixar de ser mentirosa!

    Afinal nem todos são tolos desinformados, ou conivente, com o sistema hipócrita, demagogo e escravocrata, que persiste em nos iludir e acorrentar!

  10. João Cirino Gomes disse:

    Aos que buscam conhecimentos, RECOMENDO lerem a obra, os iniciados!

    Esta obra, nos trás revelações épocas remotas, desde a idade da pedra!

    Cabe a cada um analisar, onde tem nexo e onde a história é fantasiosa, para criar heróis

  11. valdir rocha disse:

    Realmente muita coisa precisa ser reescrita na historia do brasil, dentre outras, o dia da independencia: foi 2 de julho de 1823.
    O brasil ficou independente na bahia, com lutas, onde foi derrotado Madeira de Melo. Àquela época, Portugal desejava manter o que valia à pena no brasil, a Bahia, e concentrou ali seu maior poder militar.
    Não foi o gritinho do ipiranga, se é que ele aconteceu, que fez a independencia. Caso as forças portuguesas não fossem expulsas com sangue, na bahia, ainda seriamos colonia.
    A historia precisa ser reescrita, sim, em muitos pontos, mas com a influencia de historiadores paulistas nosso livros nunca serão mudados, aliás isso traduz muito bem o espirito de nosso povo: avesso a lutas e ligados à balela.
    Outra coisa, estamos esperando ate hoje o decreto de D. João VI, assinado na bahia, abrindo os portos ás nacoes amigas que o Rio de Janeiro tomou emprestado em 1908 para a exposição de 100 anos da assinatura e que até hoje se recusa a devolver.
    Esse é o Brasil, nasceu com certidão adulterada e convive com seus estelionatos.

  12. Arnaldo Fernandez disse:

    Enquanto a educação não for prioridade, estamos condenados a viver ouvindo ou lendo verdades e mentiras…

  13. Ronaldo disse:

    Vamos a algumas verdades: a liberdade de algumas centenas de negros iniciou-se no Século 18, e muitos deles se tornaram empreendedores, pois já vinham com oficio da Mama Africa, alguns inclusive tiveram escravos, dominavam alguns setores comerciais de Salvador na Bahia e na cidade do Rio de Janeiro, sofreram repressões com impostos absurdos, como ainda é hoje, etc.. etcc. e tal devemos sim debruçarmos em documentos oficiais e reescrevermos a historia do Brasil. Temos que recuperar o passado, construir de forma sustentável o presente e a reinvenção do futuro será inexoravelmente fruto disto, com uma sociedade brasileira mais justa e cooperativa, não dá mais para esperar.

  14. Markut disse:

    É claro que a História precisaria ser reescrita a cada 25 anos, mas a reinterpretação ficará pendente do momento e não só no Brasil.
    Nos bancos escolares nos são fornecidos alguns referenciais consagrados e que nos fornecem os mitos necessários.
    Mas,a história do homem é quase sempre cheia de meandros escuros, que necessitam o envólucro do mito,para tornar o desenrolar de acontecimentos, nem sempre gloriosos, mais palatavel às gerações seguintes.
    Desmistificar o mito é bom, desde que isso não represente a substituição por outro.

  15. Irineu Coutinho disse:

    Também acho. Muitas “verdades” que aprendi desde pequeno, hoje são mitos. Mas a gente deixa pra lá até por causa da velocidade do nosso cotidiano. Inclusive, aquelas imagens de santos, santa ceia, etc.. que tanto gostava, na verdade foram frutos de artistas hoje consagradas mas na época não,que, foram obrigados a pintar demonstrações que agradacem as lideranças da época seja por poder, gostos ou negócios. As construções antigas que tem vários nomes chiques. Foram feitas as custas dos miseráveis só por caprichos de alguns lideres da época. Hoje são muito lindas, maravilhadas por turistas, muitas fotos mas, na verdade teve motivos muito tristes assim como sangues e suor de miseráveis através do trabalho e os impostos cobrados na época.
    Até a Bíblia, ja soube que muitos livros escritos não foram publicados e o que lemos, e fomos ensinados, não necessariamente são fatos reais. Foram também forjados para dar…outro tom da coisa…
    Então,Mário, acho que o Mundo inteiro precisa ser reescrito. eheheh FOMOS ENGANADOS!
    O pior, é que as histórias incluvise as de hoje, são desvirtuadas. Um dia, meus tataranetos irão descobrir tá tudo errado! eheh

  16. Leandro Gomes disse:

    Acredito piamente que a história distorcida sobre nosso passado torna o nosso presente pior.
    Reescrever a nossa história de forma correta sem viés ideológicos nos propiciará enxergarmos nossas limitações e a partir daí encontrar soluções própias para uma melhora qualitativa do País como um todo.

  17. Constantine disse:

    “Sem orientação à VERDADE toda a cultura se desfaz, decai no relativismo e se perde no efêmero.” Bento XVI-
    “Os princípios mais importantes podem e devem ser inflexíveis.”-Abraham Lincoln
    “ Sempre se ouvirão vozes em discordância, expressando oposição sem alternativa; discutindo o errado e nunca o certo; encontrando escuridão em toda a parte e procurando exercer influência sem aceitar responsabilidades.”John Kennedy

  18. Francisco Araújo disse:

    A mentira vem desde o descobrimento. Sem rodeios, bem antes de 1500, quem primeiro chegou às nossas terras foi o navegador espanhol Vicente Pinzon, em sua homenagem Fortaleza/CE tem um bairro com o seu nome.

  19. JULIO SPÍNOLA disse:

    SE TODA HISTÓRIA DO MUNDO FOSSE REESCRITA….
    ISTO TEM UM NOME: REVISIONISMO.
    Ha pouco tempo, passou na TV Brasil um documentário sobre o Daomé, em que descendentes dos escravos africanos, supostamente os devolvidos da revolta dos Malês, ainda se vestiam com as roupas dos basileiros do Sec XXVIII, falam português e se consideram brasileiros, além de não-negros, julgando-se superiores aos locais numa forma diferente de discriminação negroo contra negro. SAlém disso, que um antepassado seu teria sido um riquíssimo traficante de escravos trazendo os nativos africanos ao Brasil mostrando que não era somente o branco que escravizava o africano mas, que tb o nativo escraviza seu semelhante caçando-o ou comprando-o de famílias pobres para uso próprio e para venda a outros mercados.
    Há bem pouco tempo em nosso país havia uma escravidão muito frequente nos lares brasileiros de classe média que tomavam “para criar” uma criança de família pobre e a explorava, inclusive sexualmente, em troca de sub-salários como domésticas “QUASE DA FAMÍLIA”.
    NA ÉPOCA, BEM RECENTE, NÃO ERA CONSIDERADO ESCRAVIDÃO.

  20. JAIR CUNHA disse:

    Sabemos que a história do Brasil é uma fábula mal contada. A historiografia oficial transforma crápulas,bandidos,covardes e assassinos sanguinários em heróis. Enquanto que, heróis e mártires os transformam em bandidos e crápulas. Com certeza, a história do Brasil tem que ser reescrita.

  21. Marluizo Pires Cruz disse:

    A História do Brasil está sempre sendo escrita de acordo com os intereseees de poder da conquista e manutenção do Estado, pois as autoridades e historiadores do Brasil estão sempre atrelados as benesses do Estado, talvés pelas concessões os formadores de opiniões estão sempre a concordar com as explicações fantasiosas inexplicaveis apresentadas pelas autoridades em proposital distorções do fatos.
    Precisamos estar atentos para a História do Brasil, pois estamos convivendo com este sistema de poder que a 511 anos não deu solução para os deveres do Estado.

    Nos episódios mais recentes precisamos de muitas explicções das autoridades!

    Considerando que, Todo Poder é Corrupto!

  22. Luiz Franco disse:

    A independência do Brasil foi planejada com muita paciência e decidida apenas quando se teve certeza do apoio da Inglaterra.

  23. Luiz Franco disse:

    Tem ainda o caso do herói gaúcho, Bento Gonçalves. Abigeatário e grileiro, com seus pares fez uma guerra civil para escapar de seus crimes e negociar vantajens com o Império brasileiro. Conseguiram.

  24. Nação Continental disse:

    O que realmente precisamos é fortalecer o civismo e o idioma unico dessa Nação Continental que nossos antepassados nos legaram.Ao longo da historia territorios foram fragmentados por conflitos de grupos,mas esse Grande Pais com seu povo conseguiu manter sua unidade, mas politicas equivocas de privilegios e discriminações de nacionais podem agora fragmentá-lo!O Mexico perdeu metade de seu territorio para os E.U. que só conseguiu sua independencia com o apoio de França e Espanha,inimigos da Inglaterra.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *