Início » Brasil » Política » A lealdade de Lulla
Artigo

A lealdade de Lulla

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O senador José Sarney, do PMDB, escutou diversos elogios do presidente Lula, que tentava convencê-lo a ser candidato à presidência do Senado. Lula disse: "O presidente Sarney tem sido um companheiro dos momentos mais difíceis; quero de público agradecer a lealdade do companheiro". Para Lula, lealdade é algo ligado à pessoa, não aos valores. Companheiro é aquele que passa por cima dos aspectos morais e sempre defende o "camarada". Esta visão de lealdade é típica das organizações tribais ou mafiosas. O grupo está unido para se proteger dos "de fora", e cada um, em troca desta proteção, deve lealdade aos demais membros do grupo. Não há espaço para princípios neste esquema de lealdade. Se o companheiro é pego com dólares na cueca, deve-se lealdade a ele, não ao princípio ético de não roubar. Se o companheiro é acusado de chefiar uma quadrilha, deve-se lealdade a ele, não aos valores morais.

O PT é um excelente exemplo desta mentalidade coletivista, onde cada petista deve lealdade aos demais petistas, e para o inferno com a moralidade, essa coisa de pequeno-burguês! O PMDB, sempre sedento pelo poder, também adota esta política, ignorando qualquer fidelidade a princípios éticos para conseguir mais poder e verbas. O PT e o PMDB foram feitos um para o outro. Quem não se lembra de Lula apertando a mão de Jader Barbalho e afirmando que se tratava de uma aula sobre como fazer política? O caso de Renan Calheiros deixou explícita demais esta realidade, de que o PT não tem lealdade a nenhum valor além da sede pelo poder. Na mesma semana dos elogios a Sarney, Lula se disse novamente uma "metamorfose ambulante", utilizando a música de Raul Seixas como lema de vida. Mudar de opinião, quando os fatos ou argumentos demonstram seu erro anterior, é algo louvável. Você está justamente preservando os princípios, no caso, o de respeitar a verdade e a lógica. Mas isso é totalmente diferente de mudar o discurso de acordo com a necessidade do momento, jogando no lixo os valores éticos. A metamorfose de Lula, todos sabem, é deste segundo tipo. Ele ajusta o discurso de acordo com os interesses, abandonando completamente os princípios. Enquanto oposição, condenava a CPMF, e enquanto governo, alega que fazer isso é coisa de quem defende sonegador. Ele era um defensor de sonegadores então? Bela confissão!

O desespero de perder quase R$ 40 bilhões para sustentar tantas "boquinhas camaradas" tem feito Lula perder a linha e subir o tom de seu discurso. Um governo que já arrecada algo como 40% da riqueza produzida no País acha "imprescindível" ter esse dinheiro da "contribuição provisória", que é imposta e permanente, para governar. Afinal, são 36 ministérios, avião novo, muitas viagens inúteis, bilhões com propaganda política, R$ 350 milhões por ano para uma TV "chapa branca", gastos milionários no cartão corporativo, esmolas para comprar votos, financiamento para os criminosos do MST, verbas para filmes esquerdistas, ajuda para ONGs que ignoram o N da sigla, e muitas outras "necessidades" básicas de um governo “justo”. Novamente, Lula tem exigido "lealdade", não aos princípios, que condenam tantos impostos, mas aos companheiros. A máfia não faria nada diferente, com a exceção, talvez, de cobrar tão caro das vítimas…

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. Markut disse:

    Aí esrá dito tudo sobre por quem somos governados.
    E isso vai continuar assim, até que possamos ter uma massa eleitora mais esclarecida e menos anestesiada.
    Falta desfraldar a bandeira da educação primária competente e contar com o tempo necessário para ver surtir o efeito.Uma ou duas gerações?

  2. Sandra disse:

    Perfeita a colocação!FORA A CPMF! Se este imposto cair hoje ainda há alguma esperança em relação a estes políticos brasileiros.Os que votarem à favor podem dar byebye ao meu voto forever…

  3. Jean Carlos disse:

    não tenho palavras para elogiar tal colocação

  4. Ivander disse:

    Quanta bobagem e despeito juntos. Como é difícil para os "doutoreszinhos" deste país reconhecerem que foram "vencidos" por um "analfabeto operário"

    LAMENTÁVEL QUE AINDA EXISTA 30 MILHÕES DE BRASILEIROS ENGANADOS POR ESTE TIPO DE GENTE QUE SÓ SE ENRIQUECEU AS CUSTAS DO POVO.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Artigos

A lealdade de Lulla

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O senador José Sarney, do PMDB, escutou diversos elogios do presidente Lula, que tentava convencê-lo a ser candidato à presidência do Senado. Lula disse: "O presidente Sarney tem sido um companheiro dos momentos mais difíceis; quero de público agradecer a lealdade do companheiro". Para Lula, lealdade é algo ligado à pessoa, não aos valores. Companheiro é aquele que passa por cima dos aspectos morais e sempre defende o "camarada". Esta visão de lealdade é típica das organizações tribais ou mafiosas. O grupo está unido para se proteger dos "de fora", e cada um, em troca desta proteção, deve lealdade aos demais membros do grupo. Não há espaço para princípios neste esquema de lealdade. Se o companheiro é pego com dólares na cueca, deve-se lealdade a ele, não ao princípio ético de não roubar. Se o companheiro é acusado de chefiar uma quadrilha, deve-se lealdade a ele, não aos valores morais.

O PT é um excelente exemplo desta mentalidade coletivista, onde cada petista deve lealdade aos demais petistas, e para o inferno com a moralidade, essa coisa de pequeno-burguês! O PMDB, sempre sedento pelo poder, também adota esta política, ignorando qualquer fidelidade a princípios éticos para conseguir mais poder e verbas. O PT e o PMDB foram feitos um para o outro. Quem não se lembra de Lula apertando a mão de Jader Barbalho e afirmando que se tratava de uma aula sobre como fazer política? O caso de Renan Calheiros deixou explícita demais esta realidade, de que o PT não tem lealdade a nenhum valor além da sede pelo poder.

Na mesma semana dos elogios a Sarney, Lula se disse novamente uma "metamorfose ambulante", utilizando a música de Raul Seixas como lema de vida. Mudar de opinião, quando os fatos ou argumentos demonstram seu erro anterior, é algo louvável. Você está justamente preservando os princípios, no caso, o de respeitar a verdade e a lógica. Mas isso é totalmente diferente de mudar o discurso de acordo com a necessidade do momento, jogando no lixo os valores éticos. A metamorfose de Lula, todos sabem, é deste segundo tipo. Ele ajusta o discurso de acordo com os interesses, abandonando completamente os princípios. Enquanto oposição, condenava a CPMF, e enquanto governo, alega que fazer isso é coisa de quem defende sonegador. Ele era um defensor de sonegadores então? Bela confissão!

O desespero de perder quase R$ 40 bilhões para sustentar tantas "boquinhas camaradas" tem feito Lula perder a linha e subir o tom de seu discurso. Um governo que já arrecada algo como 40% da riqueza produzida no País acha "imprescindível" ter esse dinheiro da "contribuição provisória", que é imposta e permanente, para governar. Afinal, são 36 ministérios, avião novo, muitas viagens inúteis, bilhões com propaganda política, R$ 350 milhões por ano para uma TV "chapa branca", gastos milionários no cartão corporativo, esmolas para comprar votos, financiamento para os criminosos do MST, verbas para filmes esquerdistas, ajuda para ONGs que ignoram o N da sigla, e muitas outras "necessidades" básicas de um governo “justo”. Novamente, Lula tem exigido "lealdade", não aos princípios, que condenam tantos impostos, mas aos companheiros. A máfia não faria nada diferente, com a exceção, talvez, de cobrar tão caro das vítimas…

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *