Início » Brasil » Política » Assange divulga vídeo após seis meses de prisão domiciliar
WikiLeaks

Assange divulga vídeo após seis meses de prisão domiciliar

Acusado de crimes sexuais, ele é obrigado a usar tornozeleira de monitoramento e se apresentar todos os dias na delegacia

Assange divulga vídeo após seis meses de prisão domiciliar
Fundador do WikiLeaks, Julian Assange, com tornozeleira eletrônica (Reprodução/AP)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Julian Assange, fundador do WikiLeaks, completa seis meses de prisão nesta quinta-feira, 16. Como alerta ao tratamento que ele recebe, o site da organização WikiLeaks divulgou um vídeo em que ele mostra sua rotina como prisioneiro.

Leia também: Assange ganha prêmio dado a Mandela e ao Dalai Lama
Leia também: WikiLeaks recebe indicação para o Nobel da Paz
Leia também: Assange quer patentear o próprio nome

Acusado de crimes sexuais na Suécia, Assange é obrigado a usar uma tornozeleira de monitoramento eletrônico, e tem que se apresentar todos os dias na delegacia. A casa emprestada por um amigo em Norfolk, na Inglaterra, onde está, é fortemente vigiada por câmeras.

No vídeo, seus colaboradores prestam depoimentos sobre as condições em que o australiano vive, enquanto luta contra uma possível extradição para a Suécia. “Este homem não foi acusado pelo crime. Você compara isso com alguém que foi, como (Shrien) Dewani que foi acusado de matar a mulher. Suas condições de fiança são praticamente idênticas às de Julian”, diz o colaborador Joseph Farrell.

“Ele está sendo tratado como um animal enjaulado”, diz Sarah Harrison, uma de suas colaboradoras mais próximas.

Entenda o caso

O WikiLeaks ficou mundialmente conhecido após a divulgação de milhares de documentos secretos dos Estados Unidos no ano passado. O nome de seu fundador, Julian Assange, ficou mais conhecido após denúncias de duas ex-colaboradoras suecas que tiveram relações sexuais com o australiano e que alegam que em ambas as ocasiões ele não teria usado preservativo — o que é considerado um tipo de estupro na Suécia. O pedido de prisão foi emitido no dia 26 de novembro de 2010, mas Assange conseguiu liberdade condicional em Londres, após pagamento de fiança.

Fontes:
O Globo - Estão tratando Assange como um animal enjaulado, diz colaboradora seis meses após prisão

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *