Início » Brasil » Política » Caso Battisti: parceria de cidade italiana com Santa Catarina será cancelada
Itália

Caso Battisti: parceria de cidade italiana com Santa Catarina será cancelada

Objetivo foi protestar contra a libertação de Cesare Battisti, condenado em solo italiano pelo assassinato de quatro pessoas

Caso Battisti: parceria de cidade italiana com Santa Catarina será cancelada
Decisão do STF sobre Battista ainda gera polêmicas entre os dois países (Reprodução/internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Uma cidade na província de Treviso, na Itália, que preparava uma parceria com o município catarinense de Arroio Trinta, cancelou a iniciativa, para protestar contra a libertação de Cesare Battisti, condenado em solo italiano pelo assassinato de quatro pessoas.

Leia também: Battisti e a vergonha de ser brasileiro

“O Conselho Comunal quis se posicionar com força e mostrar que a parceria em curso ficou ameaçada com o caso Battisti”, disse o prefeito Vittorio Andretta à agência de notícias Ansa.

Segundo o prefeito, a parceria entra em confronto com o caso Battisti, apesar de San Polo di Piave, como indicado por jornais locais, ter muitos pontos em comum com a cidade brasileira. A começar pelo fato do prefeito sul-americano, Claudio Spricigo, ter um avô nascido em San Polo.

No entanto, apesar do duro posicionamento da cidade veneta, nem tudo está perdido, porque a medida pode ser retirada e as negociações retomadas. Isso foi confirmado pelo próprio Andretta, que anunciou que Spricigo enviou-lhe uma carta na qual lamenta a decisão do governo brasileiro de libertar Battisti.

“Solicitarei um aconselhamento da Anci (a Associação dos Municípios Italianos) e então decidiremos o que fazer”, comentou.

A Itália deverá apresentar até o dia 25 de junho recurso ao Comitê de Conciliação com o Brasil, que representa condição prévia para o recurso ao Tribunal Internacional de Haia, informou o ministro das Relações Exteriores italiano, Franco Frattini.

Sem saber sobre a retaliação da cidade italiana, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, descartou nesta quarta-feira a possibilidade de o Brasil e a Itália viverem momentos de tensão. Para o chanceler, os italianos mantêm o tratamento respeitoso referente ao Brasil e não há indicações de restrições nas relações bilaterais.

“Estive em Roma com o chanceler Franco Frattini e posso assegurar que recolhi uma atitude de respeito por parte da Itália sobre a decisão da Justiça brasileira. Por isso não acredito que deva haver problemas na relação entre os dois países”, disse ele.

 

Fontes:
O Globo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Dorival Barroso disse:

    Isso é um pequeno começo das retaliações que sofreremos pelo comportamento absurdo do governo do PT.

  2. Helio disse:

    Os dois países terão poucos problemas. Já D. Marisa Letícia Lula da Silva, seus filhos e netos passarão certo constrangimento. Suas cidadanias italianas foram concedidas “para garantir um futuro melhor para eles”, disse ela. Sei não, a justiça italiana foi questionada. Os 50 passaportes diplomáticos aos não diplomatas Patriota deveria continuar mantendo. Afinal a família com o passaporte diplomático, ao invés do italiano, evitaria um mico maior caso quiserem passear ou trabalhar por lá.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *