Início » Brasil » Política » Como assim, Brasil?
Opinião

Como assim, Brasil?

A decisão do presidente norte-americano Barack Obama de anunciar no Brasil um ataque contra a Líbia pode criar uma saia justa para o governo Dilma. Por Leandro Mazzini

Como assim, Brasil?
Dilma e Obama no Palácio da Alvorada (Fonte: Agência Brasil)

A decisão do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de anunciar oficialmente, em sua passagem por Brasília, o ataque a forças militares da Líbia, comandada pelo ditador assassino Muammar Khadafi, pode ser uma saia justa para o governo brasileiro.

Isso porque, há poucos dias, o Brasil se absteve de votar na ONU sanções ao governo líbio, a exemplo de outros países, no que concernia à criação de zona de exclusão aérea naquele país.

Para um governo que insiste – desde a gestão de Luiz Inácio Lula da Silva – em ser integrante permanente do Conselho de Segurança da ONU, a decisão de se abster não é boa. Ou votasse sim, ou não. E basta. Indecisões não são bem-vindas no Conselho.

E se nesta ocasião da visita de Obama, o Brasil compusesse já o Conselho de Segurança? Diante da pressão norte-americana na presença de seu próprio presidente, iria se abster?

A decisão do Brasil na ONU é soberana e teve suas justificativas, mas surge na imprensa um fato que causa outra saia justa, e remete ao âmbito econômico, que, por ora, não pode ser levado em questão como um dos motivos da abstenção do Brasil na ONU, mas causa estranheza: o fundo líbio de investimentos comandado pelo ditador Khadafi quer investir R$ 1 bilhão em obras do PAC de um canal de transposição do Rio São Francisco na caatinga da Bahia (O Globo), e já enviou US$ 1,5 milhão para estudos técnicos.

Perguntar não ofende: isso interferiu na decisão do Brasil?

Por outro lado, EUA, Reino Unido e França, que lideram os ataques a bases militares da Líbia com a justificativa de que precisam libertar o povo de seu ditador sanguinário, que perdeu o controle da nação — e o juízo — devem responder a outra pergunta: por que só agora?

EUA, Reino Unido e França tiveram 42 anos para depor Khadafi e “libertar” o seu povo. E não o fizeram.

O petróleo líbio explica. Ele não chega a seu destino ocidental desde que a revolução líbia eclodiu.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. zuleide disse:

    Por favor MR.OBAMA… ,.Não se envolva em guerras!!!!!!!!!!!!!!!isso será importante para sua possível REELEIÇÃO.boa sorte.,

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *