Início » Notícia » Dilma manda punir militares críticos ao governo
'Insubordinação'

Dilma manda punir militares críticos ao governo

Militares da reserva assinaram uma nota com duras críticas ao governo e à criação da Comissão da Verdade

Dilma manda punir militares críticos ao governo
Signatários dizem que não reconhecem a autoridade do ministro da Defesa (Fonte: Reproduçã/ABr)

A presidente Dilma Rousseff solicitou aos comandantes das Forças Armadas que 150 militares da reserva signatários de uma nota com duras críticas ao governo e à criação da Comissão da Verdade sobre o regime militar, que consideram uma “afronta” à Lei de Anistia, sejam punidos por insubordinação.

O texto, intitulado “Eles que Venham. Por Aqui Não Passarão”, foi publicado no site “A Verdade Sufocada”, mantido pela esposa de Carlos Alberto Brilhante Ustra, coronel reformado do Exército. Os signatários dizem na nota que não reconhecem a autoridade do ministro da Defesa, Celso Amorim.

Treze generais endossam o texto da nota. Cada força — Exército, Marinha e Aeronáutica — tem o seu regulamento próprio, mas em todos a punição vai de advertência à expulsão, o que o governo considera ainda não ser o caso. A presidente da República é a comandante suprema das Forças Armadas.

Fontes:
Portal Imprensa - Governo determina punição de militares responsáveis por nota no site ligado a Ustra
Portal Imprensa - Militares mantêm críticas a Dilma e afrontam Amorim publicando nota em site ligado a Ustra

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Vanderlei Alves Pereira Junior disse:

    É vergonhosa a atitude da presidente. Bem , nenhuma novidade…Não li a nota dos militares, nem creio que precisaria fazê-lo para saber o que ela deve falar sobre a inominável comissão da verdade, ou seja, a verdade é claro.
    Vejam o absurdo a que chegamos leitores. Num passado recente, diversos integrantes de organizações terroristas, leia-se criminosas, tentaram fracassadamente implantar uma ditadura socialista no Brasil. Depois de anos,e uma lei de anistia bem no meio disso tudo, esses mesmos sujeitos chegam ao poder, e querem julgar os supostos ou não crimes que o governo estabelecido usou à época, para impedir que um mal maior se instalasse na sociedade brasileira. Pois bem. Quando que num processo legítimo, o julgador, é também suposta vítima, e ao mesmo tempo, maior beneficiado? Rídiculo. Ademais, apenas serão investigados os crimes reais ou supostos do governo da época, não daqueles que também cometeram crimes ainda piores, como a VAR Palmares da senhora Dilma. Ou sequestrar, extorquir, roubar, formar quadrilha, explodir bomba, matar (justiçamento), não são crimes piores que os dos militares, em certo sentido? Pois os militares tentavam combater criminosos, mas estes, leia-se Dilma, José Dirceu, e todos so demais, faziam esses crimes contra inocentes, ou pessoas que não tinham participação direta com o regime. “Nunca na história desse país” tamanho descaramento, perfídia e cinismo criminoso, foram elevados as raias da loucura institucional, criminosa realmente é a comissão da verdade, isso sim. E uma vergonha, isto é uma vergonha, parabéns aos militares, justa indignação, apenas muito tímida e tardia demais ao meu ver. Mas antes tarde…

  2. Antonio Ribeiro disse:

    A presidente da República é comandante-em-chefe das Forças Armadas. Nas democracias, o poder militar se sujeita ao pode civil. À presidente da República, militar de qualquer patente, deve obediência e continência. Os militares – e os órgãos de imprensa – saudosos da ditadura que infelicitou o Brasil durante mais de dois lustros, devem se colocar em seus devidos lugares. Os primeiros por imposição legal, e a imprensa porque não há liberdade total para nenhum segmento social. Estes militares, cassandras de pijama, cometeram delito tipificado no Código Penal Militar, verbis: Publicação ou Crítica Indevida
    Art. 166. Publicar o militar ou assemelhado, sem licença, ato ou documento oficial, ou criticar publicamente ato de seu superior ou assunto atinente à disciplina militar, ou a qualquer resolução do Governo.

    Pena – detenção, de dois meses a um ano, se o fato não constitui crime mais grave.

  3. Beraldo Dabés Filho disse:

    Vergonha internacional.

    Só o Brasil jogou pra debaixo do tapete, as torturas e as mortes cometidas pelo militares, durante a Ditadura.

    Pra isso precisavam ficar 21 anos no poder, torturando e matando opositores?

    Me ajuda aí!!!
    _______________________________________________

    NÃO VOTE EM BRANCO! NÃO ANULE SEU VOTO!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *