Início » Brasil » Política » FHC critica Dilma Rousseff e cobra ênfase do PSDB
Em entrevista

FHC critica Dilma Rousseff e cobra ênfase do PSDB

Durante entrevista, ex-presidente falou sobre economia, política e redes sociais

FHC critica Dilma Rousseff e cobra ênfase do PSDB
FHC foi entrevistado por grupo de jornalistas no programa 'Roda Viva' (Reprodução/Internet)

Durante participação no programa Roda Viva, da TV Cultura, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso abordou diferentes temas como economia, sociedade, redes sociais e política. FHC criticou o governo federal e até o seu próprio partido, o PSDB. O programa foi transmitido ao vivo na noite da segunda-feira, 5.

Leia também: ‘É mais fácil falar do futuro do euro do que o do PSDB’, diz FHC
Leia também: FHC critica relação de ONGs com o governo

Na entrevista, o ex-presidente criticou a demora de Dilma Rousseff para demitir os ministros envolvidos em escândalos e a preocupação da presidente em manter muitos partidos em sua base no Congresso: “Não precisa ter uma maioria tão grande. Partido reclamou, demite o ministro e o partido, se quiser, sai da base”, disse.

De acordo com FHC o problema do loteamento do governo começou no mandato do ex-presidente Lula e é usado pelos partidos para medir a força do presidente e conseguir mais espaço político a qualquer sinal de fraqueza. Para Fernando Henrique, o aumento de postos de livre nomeação gera o “clientelismo”.

Fogo amigo

FHC fez críticas também ao seu partido, o PSDB. Segundo o ex-presidente, o partido deveria marcar com mais ênfase sua oposição em relação ao governo federal. O tucano admitiu também que seu partido não soube “deixar uma marca nas políticas sociais” apesar dos investimentos na área.

Sobre economia, Fernando Henrique lembrou que durante seu governo enfrentou algumas crises econômicas e que a “situação da população era objetivamente pior”. O ex-presidente afirmou também, que, pela primeira vez no Brasil, o termo “desindustrialização” pode ser aplicado ao país. Ele mencionou que, em seu governo, as exportações eram 60% de produtos industrializados e 40% de commodities, e que agora, os números se inverteram. FHC destacou ainda o avanço da economia nacional nos últimos anos: “O Brasil está saindo de uma fase de escassez para um começo de prosperidade”.

Fernando Henrique se mostrou entusiasmado com as redes sociais. O ex-presidente declarou logo no início da transmissão que hoje, quem não está no Facebook está fora da vida real, destacando a importância das novas formas de comunicação. Aos 80 anos, FHC estreou sua página na rede social nesta segunda-feira: “Esse mundo me fascina”. Apesar do entusiasmo, o ex-presidente alertou sobre a exposição pessoal através da internet e criticou os usuários que descrevem suas vidas na rede.

Questionado sobre o slogan em inglês (“Yes, we care”) que sugeriu ao PSDB, FHC disse que não passou de uma brincadeira: “Imagine se eu iria falar isso pro povo. Só se fosse um débil mental”, disse.

Fontes:
OGlobo - FH cobra mais rapidez de Dilma para demitir ministros
Estadão - Oposição tem que dizer ‘o que é contra e o que é a favor’, afirma FHC

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *