Início » Brasil » Política » Japão luta contra desabastecimento
Em meio a tragédias

Japão luta contra desabastecimento

Lanchonetes de rua servem apenas café, por falta de suprimentos

Japão luta contra desabastecimento
Equipes de resgate no Japão (Fonte: Reuters)

Entre as tragédias que se sucedem — terremoto, tsunami, vazamento radioativo — o Japão vê um outro problema crescer: o desabastecimento.

Nos mercados as prateleiras estão cada vez mais vazias, e quase já não há produtos como comida pronta, arroz, macarrão instantâneo, enlatados, carnes e biscoitos.

Sem café da manhã

A maioria dos restaurantes do país está fechada, e muitos hotéis deixaram de servir o café da manhã. Lanchonetes de rua servem apenas café, por falta de suprimentos.

Os postos de gasolina estão abastecendo apenas os veículos envolvidos nas operações de emergência.

Suprimentos são enviados às áreas afetadas

Enquanto suprimentos começam a ser destinados às áreas mais afetadas, sobreviventes e equipes de resgate estão tendo de enfrentar neve e frio abaixo de zero.

Alimentos e bens de primeira necessidade chegarão aos abrigos por helicópteros do Exército. Os desabrigados vivem em escolas, ginásios e casas que resistiram aos tremores e ao tsunami.

O número oficial de mortos na tragédia é de 3,5 mil pessoas, o que deve subir bastante, já que muitos corpos foram encontrados no litoral e ainda não foram identificados.

A autoridade nuclear francesa classifica a catástrofe no Japão como sendo de nível seis, em uma escala que vai até sete. Já o Japão classifica o incidente como sendo de nível quatro.

Leia mais:

Imperador japonês pede calma à população

Fontes:
Estadão - Após catástrofe múltipla, Japão luta contra desabastecimento e radiação
BBC -Equipes de resgate e sobreviventes enfrentam neve no Japão

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

4 Opiniões

  1. frambell disse:

    OU PARAMOS DE ABUSAR, OU TODOS PAGAREMOS TINTIN POR TINTIN.
    Seria bom que começássemos a perceber que o ser humano vive no fio da navalha.
    E não são, apenas, os pobres não. Também os ricos. Vejam o Japão, a segunda economia do mundo. Desde a segunda guerra mundial, o Japão tem experimentado progresso constantemente. Até então não sabia o que era dificuldade. De repente, em alguns minutos seu povo não tem para onde ir, nem o que comer. Além, de muitos terem perdido a familia e os amigos.
    Ultimamente todos nós temos andado muito descuidados com coisas importantes, fundamentais para a nossa existência. Desde algum tempo, a falta de cuidado com o meio ambiente, por exemplo, tem gerado consequências desastrosas. Até então, porém, nem uma grande potência tinha sido “importunada” pela reação um pouco mais forte da natureza. O que não quer dizer que não devamos lamentar. Entretanto, depois de tantos avisos, que parece não terem surtido efeito, ela reage contra um alvo famoso pela preocupação e organização da segurança dos seus cidadãos contra fenômenos naturais.
    Isso está parecendo um aviso, ainda, mais convincente! Deverá ser. Não tenham dúvida que poderá levar o mundo a uma reflexão mais profunda. Há quem diga que as consequências não fora tão graves devido. Graças às precauções que vêm sendo tomadas há muito tempo. Entretanto, os estragos tendem a crescer, assustadoramente, exigindo uma nova postura dos paises poderosos. De uma forma ou de outra, os governos têm colaborado com o lado agressivo na natureza, dando a ela mecanismos de grande potencial para o agravamento de situações já calamitosas. Às usinas nucleares, por exemplo.
    É claro que a condição de ilha do Japão, pode ter facilitado o desencadeamento do avassalador fenômeno. Muita gente pode ser levada a pensar que devido à geografia do país o fenômeno tenha sido pontual. Isso, porém, não nos deve tranqüilizar, absolutamente. Principalmente, se dermos uma olha do mapa mundi, chegando à conclusão que todos os continentes nada mais são que imensas ilhas. Principalmente, pelo fato de a natureza não ter a preocupação de escolher país rico ou pobre. Está provado: para sobreviver, o mundo terá que se aliar a ela. Fora isso, não existe obstáculo que consiga aplacar ira da Natureza.
    Frambell Carvalho.

  2. JORGE TERRA NACER disse:

    ISSO PARECE O FIM DO MUNDO.

  3. Regina Caldas disse:

    É muito triste o que acontece no Japão. Faço votos que esta tragédia termine logo e que os japoneses, um povo forte e corajoso, se recuperem tão rápido quanto possivel.

  4. José Luiz Birocchi disse:

    O Japão um país considerado de primeiro mundo,esta enfrentando dificuldades muito sérias com esse terremoto,falta tudo e fora isso ainda tem o fantasma da radiação que apavora a população,é uma pena , mas a natureza esta se vingando da população mundial de um lado e de outro.Esperamos que o povo japones possa sair mais uma vez dessa situação.E vida nova ao Japão.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *